15/03/2013

Arábia Saudita seleciona carrascos



A Arábia Saudita tem autorizado o fuzilamento em vez das decapitações por causa da escassez de carrascos, e por causa da sobrecarga laboral que os existentes têm.

Uma comissão especial formada por representantes de vários ministérios chegou à conclusão que o país ver-se-á obrigado a tomar medidas devido à escassez de carrascos capazes de cortar cabeças.

O governo da Arábia Saudita fez uma declaração onde afirma que os carrascos atuais do país sofrem de sobrecarga laboral e que às vezes não têm tempo para executar todos os condenados do dia. Vêm-se obrigados frequentemente a viajar “por questões de trabalho” para outras regiões, o que provoca demora nas execuções e gera, por conseguinte, “rumores não-verdadeiros”. É de assinalar que as degolações neste país, o único do mundo em que se pratica este tipo de execução, efetuam-se com sabre.

Segundo o Ministério do Interior da Arábia, o Procurador-Geral deu a permissão aos governantes das províncias para ordenar o fuzilamento perante a escassez de carrascos capazes de executar degolações com sabre.

O papel da Constituição na Arábia Saudita é interpretado segundo o Corão, e os códigos de procedimento penal e criminal são ditados segundo as leis Islâmicas. Segundo estas mesmas leis, os delitos mais graves devem ser castigados com a decapitação pública. Os fuzilamentos, apesar de existirem, não são habituais. Normalmente na Arábia Saudita a cada ano são executadas entre 50 e 100 pessoas.

No ano passado, as autoridades referem que foram decapitadas 76 pessoas por homicídios premeditados, assaltos à mão armada e tráfico de droga.

2 Comentários
Comentários
2 comentários:
  1. pagando bem que mal tem ??

    acho que vou pra lá

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ainda mais que é pra matar bandido, seria uma boa ideia...

      Excluir

Página do Facebook

Publicidade 1

Noite Sinistra no YouTube

Postagem em destaque

O misterioso perfil do Facebook de Karin Catherine Waldegrave