01/03/2013

Conto do leitor: A Noite Sinistra

Olá meus amigos atormentados...hoje, com muita alegria, trago a vocês um conto escrito por um leitor do Noite Sinistra, trata-se do nosso estimado Trevor Kalligan Sandyw. O Trevor já fez uma grande participação no blog da minha amiga CLP o Creepy World  (relembre clicando aqui). Pois bem, chega de papo furado e vamos ao que interessa...vamos ao conto desse nosso estimado amigo!!!

A Noite Sinistra

Eu quero te contar uma história, e ela não é ficção...

Já ouviu falar do Triângulo do Diabo, também conhecido como Triângulo da Bermuda, um lugar

Curiosamente, o Triângulo das Bermudas situa-se diretamente na mesma linha de latitude do triângulo do dragão, 35 graus, levando muitos pesquisadores a acreditar que exista um Buraco de minhoca, um tipo de túnel que poderia ligar o Triângulo das Bermudas com o Triângulo do Dragão, dando a entender que um dos dois triângulos serve como buraco negro e o outro como um buraco branco.

Eu tinha um amigo...Você tem amigos?E até onde você iria pela amizade? Eu quero te contar uma história. Você gosta de histórias? Eu tinha um amigo, um único amigo. O sonho dele era navegar os mares. Me lembro de como ele me falava de seus sonhos, empolgado, descrevendo como a brisa tocava seu rosto e quão puro era o cheiro do mar, apoiado à proa do navio, como se estivesse voando sobre as águas. Sempre foi fascinado por naufrágios, como Wihelm Gustloff, RMS Titanic e batalhas navais, como a Jutlandia, da Primeira Guerra Mundial. Também, possuía profundo encantamento pelas estrelas e planetas; bem me lembro, como se fosse ontem, quando ele me apresentou Júpiter pela primeira vez, quando traçou a constelação de Orion a olho nu. Era notável o brilho nos seus olhos e o sorriso que continha enquanto continuava a me mostrar no céu noturno Aldebaran, da constelação de Touro, Antares, que formava a constelação de Escorpião, e infinidades de outras visões. Ele me mostrou o que eu tinha a oportunidade de ver todas as noites, mas ignorava a beleza de perfeição inigualável que era as estrelas e a nova forma que adquiriam quando as traçava;você já não via mais um aglomerado de estrelas,mas sim desenhos magníficos.

Eram bons tempos...Após alguns curtos anos, tentou se alistar na marinha naval, mas não foi aceito. Se tornou tripulante em vários navios a vapor, estes que faziam viagens e levavam cargas em suas embarcações, e logo obteve títulos como Quinto Officil, em um transatlântico chamado RMS Olympic, da White Star Line, do qual ele mencionou que o diretor estava no trágico naufrágio do dia 14 de Abril, as 23:40, que colidiu com um Iceberg no comando de um tal...Como?Ah,Smith? Capitão Smith, no Oceano Atlântico. Nunca mais o vi vivo, desde então. Quero compartilhar algo com você...As últimas horas a bordo do SS Titan Hammer, em uma noite sinistra de 15 de Agosto...Vou lhes falar como se fosse meu amigo, que morreu no suposto "naufrágio".


Era uma noite calma, o vento estava gélido,o mar tranquilo .De repente, começaram a surgir nuvens pesadas sobre o SS Titan Hammer, as águas começaram a quebrar.Estávamos a 16 nós. Quando saía de minha cabine onde tratava de fazer com que meu navio tomasse o percurso certo, um dos operados da sala do telégrapho veio até onde estava, demonstrando preocupação. 

-Capitão Lorreyne, recebemos um CQD do...-Fiz um sinal para que parasse enquanto olhava pela janela; havia um farol enviando repetidos pedidos de ajuda em código morse. 

-Virar para bombordo e aumentar a pressão nas caldeiras à 19 nós!!Agora!!! - Disse, controlado mas de voz apreensiva.Começaram a disparar fogos brancos para o alto,apesar de que vermelhos seriam de emergência. Temos que chegar lá, eles não enviariam tantos pedidos de ajuda e disparariam fogos brancos se não houvesse algo errado!Pensei. 

Quando começamos a virar a proa, começou a surgir uma neblina densa e as águas se agitaram mais ainda.As nuvens pesadas começaram a descarregar uma forte tempestade acima de meu navio. O tempo estava mudando. Então,algo imprevisível aconteceu; algo colidiu com estibordo do navio, causando um estrondo úmido, como se algo viscoso tivesse deslizado com força pela lateral do casco estibordo. Corri para o lado direito do navio para conferir o que havia acontecido, nisso, um forte barulho de ferro sendo entortado e um explosivo ranger metálico que vinham da popa; eram as hélices. Nisso, um dos Oficiais correu até a porta de minha cabine, ofegante, apoiando-se nas suas laterais. 

-Capitão!As hélices!! As hélices pararam!! - Diz ele, desesperado. 

- Peça para os serventes acalmarem a todos e vá na sala do telégrapho pedir para que mandem SOS explicando nossa situação atual e localização!Chame todos os oficiais e tripulantes que encontrar à estibordo! 

Enquanto ele apurava os passos para cumprir minhas ordens, me dirigi para estibordo e, ao sair de minha cabine, sinto outra batida vinda de bombordo.O que era isso? Seria alguma besta marinha? Eu não sabia. Continuei e, quando cheguei no parapeito do navio... 

Meu coração congelou; havia algo como as costas de uma grande cobra negra no casco que afundava e voltava para superfície. Então ,de repente ,uma enorme cabeça ,que me lembrava os dragões que lia em contos da Idade das Trevas ,de pupilas brancas e um largo sorriso monstruoso surgiu e, antes de bater mais uma vez no casco, eu pude sentir que a criatura olhou para mim...No impacto estrondoso, quase me desequilibrei e cai sobre o parapeito. Da água começaram a surgir tentáculos após aquela face horrenda ter mergulhado para dentro do mar...Era tão surreal...Em pensar que estávamos no Triângulo do Diabo ,conhecido como Triângulo das Bermudas ,localizado a 35 graus do Mar do Diabo, ou Triângulo do Dragão ,na mesma linha de latitude ,tanto é que alguns pesquisadores acreditam haver um buraco de minhoca que liga ambos os lugares. Estamos navegando por um lugar cercado por desaparecimento de navios e aviões ,onde já foram encontrados outros transportes marítimos sem tripulação alguma ,velejando sozinho...Onde, constam as lendas, há inúmeros navios fantasmas...Talvez um defeito no campo eletromagnético da terra, algo a ver com as Linhas de Ley, porém, nada disso importa agora...Não posso deixar todas essas pessoas morrerem aqui!!Elas são minha responsabilidade!!! 

Corri decididamente para bombordo, mas...Quando vi aquilo, minhas pernas tremeram; havia ondas vindo de todos os lados. Quando olhei para o alto, meu pavor foi ao pico máximo; em meio a chuva, as nuvens se aglomeraram uma nas outras e se tornaram gigantes...Sua forma...Era a de um sorriso, como se estivesse feliz com tudo aquilo. Trovões começaram a surgir, o vento começou a mudar, a ficar violento...As ondas se aproximava, mas...Espere?!! Elas estão ma-mais...Mais altas!! Elas estão vindo, como se engolissem tudo em seu caminho e expandem-se com o que devoram...Quando me dou por si,os tentáculos negros estavam em contraste com a paisagem, suspensos no ar, crescendo e crescendo...E do fundo do oceano surgi aquela grotesca cabeça de dragão com seu corpo esguio e viscoso, pele escura como a noite...E um sorriso atormentador. 

--Você não se lembra de mim? Fora vós quem me chamastes para trazer-te o fim do velejo, humano. Não lembras de minha face quando olhaste para mim e insultou-me com o nome Red Queen Star? 

Seus olhos brancos...Me davam agonia; era como se pudesse ver a morte dentro deles. Sua voz...Era límpida, suave como o timbre dos gritos de um violino, nítida...Me acalmava ao mesmo tempo que me horroriza...Senti um líquido grosso escapar sobre minhas orelhas e logo levei meus dedos, sentindo algo quente e denso, colocando à frente de meus olhos...Era sangue, sangue negro, e minha face mudou para um completo horror. Minha garganta começou a doer, era como se uma agulha estivesse perfurando e atravessando-a, uma grande agulha...Assegurei meu pescoço fortemente, quase me sufocando, e caí de joelhos. Aquele sorriso...Eu vi aquele sorriso uma última vez...Sim, me lembro bem daquele sorriso, era lindo, trágico, triste...Me lembrava um amor morto, uma melancolia romântica, um coração que jamais poderá bombear sangue novamente, que nunca mais iria bater dentro do corpo de quem, antes, era inseparável...E tudo ficou claro. Dizem que a vida passa diante de nossos olhos quando estamos beirando a morte...Eu agora sei qual foi meu erro, naquelas madrugadas que passava do lado de fora de minha casa, com o telescópio que ganhei de meu grande amigo, quando encontrei aquele par de estrelas vermelhas como o sangue, tão brilhantes...E a chamei de Red Queens Stars. Agora sei que aquilo não eram estrelas...Mas sim olhos. 

O vento está soprando...Sinto a brisa na minha face, batendo em meu cabelo, e o cheiro do mar como a primeira vez que velejei, como em meus sonhos que contava unicamente para meu amigo... 

Agora, a única coisa que vejo são as ondas gigantes por todos os lados envolvendo este navio em uma esfera de água, enquanto os tentáculos se misturam ao azul das ondas em meio aos gritos dos homens, mulheres e crianças que acabam de descobrir sobre este inequívoco fim... 

E aquele sorriso negro de olhos brancos se funde à água como, e minha visão começa a escurecer... 

Antes de atirar em minha própria cabeça, eles se tornaram vermelhos, extinguindo o branco puro que havia antes, e neles vi alguém que nem sempre foi mal. Foi tudo recíproco. Mas, é provável que foram delírios de alguém quase morto. Monstros são monstros, e se chamam assim pois, não conhecem, nem a amizade, nem ninguém por qual valha a pena lutar. Até onde você iria por amizade?


Você deve estar se perguntando como sei de tudo isso, do que aconteceu realmente com SS Titan Hammer em suas últimas horas antes de desaparecer e seu navio sido encontrado semanas depois, navegando pelos mares sem nenhum vestígio de tripulação ou passageiros, sem nenhum sobrevivente...Como um navio fantasma. 

Lorreyne está aqui do meu lado. Meu amigo está aqui do meu lado...Ele quem estava me contando tudo para que te falasse, para que você saiba da história do nosso návio...Para que você seja bem vindo à ele, nosso mais novo tripulante. Entretanto, nosso navio precisa de mais passageiros, e nossa tripulação está aí fora, sedentos por mais velejos à alto mar, te esperando para embarcar no SS Titan Hammer. Abra a janela, vamos te levar à bordo do navio fantasma. Te vejo em poucos instantes...

Autor: Trevor Kalligan Sandyw

Quando amanhecer, você já será um de nós...
0 Comentários
Comentários
Nenhum comentário :

Página do Facebook

Publicidade 1

Noite Sinistra no YouTube

Postagem em destaque

O misterioso perfil do Facebook de Karin Catherine Waldegrave