07/03/2013

Dia internacional da mulher


Amanhã dia 8 de Março comemoramos o dia Internacional da Mulher. Então resolvi escrever um texto contando um pouco de como essa importante data, passou a ser comemorada no dia 8 de Março. Infelizmente descobri que existem dezenas de versões circulando pela internet, e todas elas um pouco diferentes da versão que me foi passada por uma professora de história, no longínquo ano de 1997, quando esse blogueiro aqui se encontrava na oitava serie. Essa versão da minha querida professora é importante para mim, pela minha idolatria a ela, uma vez que sempre fui um apaixonado por história, e essa professora sempre foi uma das minhas favoritas. Os textos encontrados na net variam um pouco, mas todos apresentam, basicamente, os mesmo elementos, sendo que vou me concentrar nos elementos então.

Em 1911, quando as mulheres não tinham nem direito ao voto em praticamente todo o mundo, o dia delas começava a ganhar o planeta. A homenagem vem não apenas de um fato que aconteceu em um 8 de março de 1857, em Nova York, quando mulheres empregadas em fábricas de vestuário têxtil foram protagonistas de um protesto. O protesto requeria melhores condições de trabalho e salários mais altos. Nesse protesto as mulheres não conseguiram nenhum avanço a curto prazo, apenas receberam uma dura opressão por parte dos policiais.

Mas aquela data não passou em branco dentro da história. Dois anos depois, também em 8 de março, mais mulheres fizeram uma força única e começaram a obter os primeiros direitos de trabalho por intermédio de uma associação. Fato este que impulsionou o direito das mulheres dezenas de anos depois.

Em 1908 (também em 8 de março), 15 mil mulheres se juntaram na cidade de Nova York e fizeram novo protesto reclamando por seus direitos e também protestando contra o trabalho infantil. Em maio do mesmo ano, o Partido Socialista da América estabeleceu que o último domingo de fevereiro seria o “Dia Nacional das Mulheres”, data mantida até 1913.

Em 1910, organizações socialistas se encontraram em Copenhague, na Dinamarca. Lideradas pela alemã Clara Zetkin, resolveram adotar uma data fixa para celebrar o dia delas no mundo todo. Ficou acertado que seria em 19 de março, e já no ano seguinte países como Dinamarca, Suíça, Alemanha e Áustria o adotaram.

Clara Zetkin à esquerda.
Em 1911, porém, é que acabou dando força ao movimento. Novamente em março, mas agora no dia 25, 141 trabalhadores dos 500 presentes na fábrica, entre mulheres, crianças e adolescentes italianos e judeus europeus, morreram em um incêndio na companhia Triangle Waist Company. A tragédia acabou sendo chamada de, em livre tradução, o ‘trágico incêndio no Triângulo’.

Após os relatos desesperados e as histórias das condições subumanas que eram implantadas na fábrica, a revolução começava a dar voz e direito às pessoas, principalmente para as mulheres.

Lideradas pela União das Moças Trabalhadoras do Vestuário e da Liga da União das Trabalhadoras, conseguiram os primeiros avanços. Entre eles, de obrigar que as empresas mantivessem abertas as portas de emergência. Antes, os empresários fechavam todas alegando que havia furto de produtos, isso teria acontecido na fábrica incendiada em 1911.

A data de 8 de março, porém, ganhou força na Rússia. Em 23 de fevereiro de 1917 pelo calendário Juliano, que coincidentemente caiu em 8 de março pelo calendário gregoriano, o czar russo Nicolau II foi obrigado a deixar o governo e garantir o direito ao voto das mulheres.

Somente em 1975, 64 anos depois da convenção socialista e 30 após a sua criação, as Nações Unidas resolveram adotar a data como oficial para celebrar o Dia Internacional da Mulher.


Fontes: Portal G1 e Mundo das Tribos:

Quando amanhecer, você já será um de nós...
0 Comentários
Comentários
Nenhum comentário :

Página do Facebook

Publicidade 1

Noite Sinistra no YouTube

Postagem em destaque

O misterioso perfil do Facebook de Karin Catherine Waldegrave