31/05/2013

Joachim Georg Kroll: O devorador Alemão


Dando continuidade a série que trata de assassinos cruéis e seus sádicos atos inumanos, novamente falaremos de um canibal. Trata-se de Joachim Kroll, ou devorador alemão, como ficou conhecido. Esse é mais dos tantos exemplos que nos mostram que o ser humano é a mais cruel e sanguinária criatura desse planeta.

Joachim Georg Kroll nasceu em 17 de Abril de 1933, filho de um mineiro de Hindenburg, Kroll era o caçula da família e uma criança muito frágil, frequentou a escola até a 3ª serie. Com o fim da Segunda Guerra Mundial a família de Kroll mudou-se para North Rhine-Whestphalia. Kroll começa a matar em 1955 depois da morte da mãe, iniciando uma grande jornada de massacres e carnificina, espalhando o terror a cidade de Duisburgo.

Vitimas

Irmgard Strehl
Em 8 de Fevereiro de 1955 fez sua primeira vitima, Irmgard Strehl de 19 anos, ela foi esfaqueada e estripada. Seu corpo foi encontrado em um celeiro em Ludinghausen.

Kroll a conheceu na estrada, após a mesma ter desembarcado de um trem e convidou-a para um passeio no bosque. Depois de uns 120 metros da estrada, ele tentou beijá-la, mas ela resistiu. Então ele esfaqueou quatro vezes no pescoço. Depois disso, ele estrangulou e estuprou, em seguida, cortou a barriga, não havia hematomas nos órgãos genitais e sem ferimentos de defesa.

Ela foi encontrada cinco dias depois, em uma cova coberta de neve ao lado da estrada.

Uma grande quantidade de esperma foi encontrada na vagina, e também sobre o abdômen e espalhadas através do pêlos púbicos.

Irmgard Strehl
Klara Frieda Tesmer
Em 16 de Junho de 1959 Klara Frieda Tesmer, de 24 anos, foi assassinada em um campo nas proximidades do rio Reno, perto de Rheinhausen. O mecânico Heinrich Ott foi acusado pelo crime e preso, pois ele havia sido visto com Klara em uma taverna (Schultheiß-Quelle), como ele não conseguiu apresentar álibi para a polícia, acabou preso, passados poucos dias o inocente mecânico se enforca na prisão.

Em seu relato a polícia Kroll disse que pegou Klara pelo braço, mas ela reagiu mal, então ele bateu na cabeça dela. Ambos rolaram para o lado da estrada, enquanto tentava despi-la. Na luta, ele a estrangulou.

Klara Frieda Tesmer
Manuela Knodt
Em 26 de Julho de 1959 Manuela Knodt, de 16 anos, foi estuprada e estrangulada no parque da cidade de Essen. Kroll removeu fatias de suas nádegas e coxas.

Kroll não só se masturbou sobre a região pubiana, mas também sobre o rosto e os cabelos também. Neste caso, a polícia suspeita de uma quadrilha de jovens pervertidos.

Manuela Knodt
Barbara Bruder
Em 1962 Barbara Bruder, de 12 anos, foi sequestrada em Burscheid, seu corpo jamais foi encontrado.

Ela estava a caminho de um parque infantil em Lützenkirchen, mas nunca chegou lá. Provavelmente, ela tomou um atalho em Gross-Hamberg, onde Kroll a encontrou.

Em seu julgamento, a Kroll não foi acusado com este assassinato, embora ele confessou a ele.
Barbara Bruder
Petra Giese
Em 23 de Abril de 1962 Petra Giese, de 13 anos, foi estuprada, e estrangulada em Dinslaken-Bruckhausen. E mais uma vez um inocente acaba sendo preso, Vinzenz Kuehn foi preso e condenado pelo crime.

Estrangulada com seu lenço, estuprada e parcialmente esquartejada. Kroll rasgou o vestido vermelho de seu corpo e, em seguida, teria cortado as nádegas, bem como o antebraço esquerdo e mão.

Polícia suspeita e prenderam Vinzenz Kuehn (52), que possuía histórico de pedofilia. Ele foi condenado a 12 anos de prisão e tratamento psiquiátrico. Ele foi liberado depois de 6 anos.

Petra Giese
Monika Tafel
Em 04 de Junho de 1962 Monika Tafel, de 12 anos, foi morta em Walsum, e teve fatias de suas nádegas cortadas.

Monika estava no caminho para a escola, Kroll arrastou-a para um campo de centeio, masturbou sobre seu corpo e cortou bifes de suas nádegas,  costas e de suas coxas. O pedófilo Walter Quicker (34), um ex-legionário foi preso em indicações de testemunhas. A polícia teve que deixá-lo ir, devido à falta de provas, mas os vizinhos continuaram a perseguição e sua esposa se ​​divorciou dele. Jovens passaram a zombar dele e lojas locais se recusaram a servi-lo. Em 5 de outubro de 1962, Quicker foi para a floresta fora da cidade e se enforcou em uma árvore.

Monika Tafel
Hermann Schmitz
Em 22 de Agosto de 1965 Hermann Schmitz, de 25 anos, ele e sua namorada Rita foram atacados por Kroll enquanto namoravam no carro em Duisburgo. Hermann foi sua unica vitima do sexo masculino, e sua namorada Rita conseguiu fugir.

Apunhalado no coração por duas vezes, ele morreu imediatamente. Kroll tem visão de Rita A., fazendo amor com Schmitz em seu Volkswagen. Ele furou os pneus do carro usando uma faca, Schmitz saiu para ver o que aconteceu, Kroll esfaqueou-o no peito, virando-se para a garota. A menina viu em desespero a morte do namorado, mas conseguiu pular para o banco do motorista, desconsiderando o pneu furado, pressionou buzina freneticamente o que assustou Kroll, que, assustado mal conseguiu realizar a sua fuga. Enquanto Schmitz sangrou até a morte nos braços de sua namorada, a área foi cercada, mas nenhum vestígio do atacante misterioso foi encontrado.

Hermann Schmitz
Ursula Rohling
Em 13 de Setembro 1966 Ursula Rohling, de 20 anos, foi estrangulada em Foersterbush Park. Seu namorado Adolf se suicidou apos ser acusado da morte da companheira.

Encontrada 2 dias depois, escondida no mato, nua da cintura para baixo e as pernas afastadas.

Estrangulada e estuprada. Ela havia saído da sorveteria Capri, onde ela passou uma cerca de meia hora com o namorado Adolf Schickel (27), depois fui para casa, passando pelo parque.

Kroll: "Eu vi uma mulher no parque Ela era jovem, com cabelo curto que eu falei com ela e, em seguida, agarroi-a em volta do pescoço com o braço direito eu arrastei ela para o mato e jogoi-a no chão, eu a estrangulei.... até que ela parou de se mover. Então eu tirei suas calças e suas outras coisas. Deixei-a ali e tomoi o trem de volta para Duisburg. Quando cheguei em casa eu ainda estava quente, e tive que fazer com a mão um par de vezes ".

A polícia prendeu Adolf Schickel e interrogou-o longamente, mas eles tiveram que deixá-lo ir. O público ainda considerado culpado e ele foi expulso de Marl. Em 4 de janeiro de 1967, ele se afogou no rio Main perto de Wiesbaden.
Ursula Rohling
Ilona Harke
Em 22 de Dezembro de 1966 Ilona Harke, de 5 anos, foi violentada, e morreu afogada depois de ser jogada em uma vala em Wuppertal.

Kroll raptou Ilona em Essen, a levou em um trem para a cidade de Wuppertal, embarcou em um ônibus e saiu em algum lugar em uma área arborizada, onde continuou a pé por cerca de 500 metros através dos arbustos densos para a vala chamado 'Feldbach. E lá ele atirou a menina e ficou para ver ela se afogar.

Ilona Harke
Gabriele Puetman
Atacada no dia 22 de Junho de 1967, o caminho entre Grafenwald e Grafenhausen, norte de Bottrop. Kroll estava vivendo em Grafenwald na época.Tinha 10 anos de idade. Ela sobreviveu ao ataque de Kroll

Kroll atraiu a garota para um prado e mostrou-lhe fotos pornográficas. A menina ficou horrorizada e tentou fugir. Kroll começou a sufocá-la, mas de repente ele escutou sirenes ao redor, era a sirene da mina que anunciava a mudança de turno, e a área foi cercada com os mineiros que estavam a voltar para casa. Kroll  deixou a menina desmaiada no local e conseguiu abrir caminho sem que ninguém vê-lo, ele não sabia que a menina ainda estava viva.

Os pais de Puetman nunca relataram o incidente à polícia, até nove anos mais tarde, após a prisão de Kroll.

Gabriele Puetman
Maria Hettgen
Em 12 de Julho de 1969 Maria Hettgen, de 61 anos, foi estuprada e estrangulada.

Kroll partiu, de trem, em uma pequena viagem a partir de Duisburg para Essen, em seguida, tomou um ônibus para Werden para um passeio nas margens do lago Baldeney. Lá ele encontrou Hettgen. Ele começou a falar com ela, mas ela não lhe deu atenção, ele bateu nela, eles caíram em alguns arbustos, onde ele estuprou e estrangulou-a.

Ela foi encontrada no dia seguinte.
Maria Hettgen
Jutta Rahn
Em 21 de Maio de 1970 Jutta Rahn, de 13 anos, foi atacada e estrangulada enquanto ia para casa a partir de uma estação de trem.

Kroll provavelmente a observou no trem, desceu e seguiu pela floresta, ela a atacou em atalho para a casa dela.

Em 9 de junho Peter Schay é preso, ele é vizinho de Jutta. Ele passou 15 meses na prisão antes de ser libertado por falta de provas.

Jutta Rahn
Karin Toepjer
Em 1976 Karin Toepjer, de 10 anos, foi estuprada e estrangulada em Voerde. Neste caso Kroll não deu detalhes sobre como Karin teria sido atacada e morta.

Karin Toepjer
Marion Kettner
Em 03 de Julho de 1976 Marion Kettner, de 4 anos, esse assassinato levou Kroll a prisão.

Ela havia sido sequestrada no dia anterior a prisão de Kroll, e a policia fazia buscas pelo paradeiro dela, quando ficou sabendo de uma história nas redondezas e resolvei averiguar. Essa história era relacionada ao assassino, como veremos mais a seguir.

A Prisão
Em um conjunto de apartamentos em Duisburgo, dois moradores conversavam sobre um entupimento que afetava todo o condomínio O Senhor Oscar Müller perguntou ao vizinho sobre o que poderia ser a causa do problema. "Tripas" respondeu Joachim Kroll, com muita calma e frieza.

A Policia que já conduzia investigações sobre desaparecimento e homicídios na região ficou sabendo da historia. Numa busca feita no apartamento de Kroll, a policia encontrou o corpo da garota Kettner cortado, algumas partes estavam no frigorifico e uma pequena mão estava cozinhando em uma panela de aguá fervente. Kroll foi imediatamente detido, admitiu ter matado Marion Kettner e deu detalhes de outros 14 assassinatos.

Cozinha de Kroll
Durante o julgamento, Kroll alegou consumir carne humana para diminuir seus gastos com supermercado. Kroll foi acusado por 8 Homicídios e uma tentativa. Em Abril de 1982 depois de ser jugado foi condenado a 9 prisões perpetuas. Em 1991 o Serial Killer morreu no presidio de Rheinbach, vitima de infarto.

Métodos
Kroll quase nunca repetia o lugar onde matava, fez isso apenas com intervalos de 1 ano entre as mortes. Ele pegava suas vitimas de surpresa e as estrangulava rapidamente. Depois ele tinha relações sexuais com o cadáver então multilava cortava em pedaços para serem comidos.

Fonte: Murderpedia.


0 Comentários
Comentários
Nenhum comentário :

Página do Facebook

Publicidade 1

Noite Sinistra no YouTube

Postagem em destaque

O misterioso perfil do Facebook de Karin Catherine Waldegrave