25/03/2014

O Triângulo de Algoma


Ao sul do município de Marathon na província de Ontário, Canadá, localiza-se o Parque Nacional de Pukaskwa. O parque nacional de preservação foi criado em 1983, sendo muito famoso pela visão que se tem do Lago Superior (maior lago de água doce do mundo em extensão e o terceiro maior em volume) e das florestas boreais, e também por ser o habitat de animais como: Ursos Negros, Alces, Lobos cinzentos e Caribus. Além das belezas naturais que atraem inúmeros aventureiros todos os anos, o local atrai a atenção de muitas pessoas, como ufólogos e místicos, por causa dos vários casos de desaparecimento de pessoas, carros e aeronaves, nas suas imediações, o que deu ao parque de Pukaskwa o apelido de "Triângulo de Algoma", como uma referência ao famoso "Triângulo das Bermudas". Convido os amigos e amigas a conhecer mais esse curioso e misterioso local.

No dia 3 de novembro de 1977, Craig Gavine, 47 anos, um piloto experiente, decolou com seu avião do aeroporto de Marathon, Ontário, Canada, uma cidade na costa norte do Lago Superior. Gavine estava planejando voar até Toronto juntamente com seu passageiro, Erik Lind, 33 anos, um engenheiro local.


O avião decolou sem problemas aparentes, mas assim que eles passaram sobre o Parque Nacional de Pukaskwa (pronuncia-se Puck-a-saw) na costa leste do Lago Superior, ao norte de Wawa, Ontário, cuja área de 1.878 km², a aeronave não realizou mais nenhum contato via rádio.

Durante as buscas um total de onze aeronaves foram usadas para investigar a rota e se concentraram num vale que se estende pela costa norte do Lago Superior. Esse vale é um denso labirinto de rochas, pântanos e pinheiros gigantescos. Esse isolado e inóspito local fere cerca de 100 aventureiro todos os anos, em alguns casos tais ferimentos podem levar ao óbito.

Gavine, Lind e o avião nunca foram encontrados.

O "Triângulo Algoma," o qual se estende entre Marathon, Sudburry e Sault Ste. Marie, tem má reputação de longa data. Desde 1953, trinta e quatro pessoas e dezessete aeronaves já desapareceram sem deixar vestígio algum nesta área. Acredita-se que essas aeronaves caíram na mata. A mesma coisa teria acontecido com Gavine e Lind, e assim como em tantas outras ocorrências, nenhum traço da aeronave em que ambos estavam foi encontrado. A investigação acerca do desaparecimento de ambos foram encerradas, e no arquivo relacionado com o caso consta um carimbo: "Caso desconhecido."

Mas os aviões não são os únicos veículos que tem desaparecido no Triângulo Algoma.

Associado aos mistérios dos desaparecimentos, nos livros da polícia de Winnipeg, está o Sr. e Sra. Earl Kirk da Baia do Norte, Ontário. No dia 4 de outubro de 1940, Kirk, um vendedor mercante e importador, e sua esposa saíram de carro para uma viajem de férias. A sua rota partia de Sudburry, a qual passava por uma estrada deserta que passava pela costa norte do Lago Hurion, até Sault Ste. Marie, Ontário. O último indivíduo a ver Kirk e sua esposa foi um trabalhador na estação de gás em Sudburry, que os direcionou para a Highway 17, após Kirk solicitar informações.

Só no fim de outubro de 1940 as pessoas tomaram conhecimento do desaparecimento dos Kirks... O misterioso desaparecimento teria acontecido entre as 175 milhas da Highway entre Sudburry e Sault Ste. Marie. Equipes de buscas investigaram milha por milha da Highway, Lagos e rios próximos, cavernas foram exploradas, a mata foi vasculhada por 150 homens durante seis semanas até a neve cair e colocar um fim nas buscas. Até hoje ninguém sabe o que houve com o Sr. e Sra. Kirk.


Fontes: Apocalipse 2000 e Wikipédia

Quando amanhecer, você já será um de nós...

Não deixe de dar uma conferida nas redes sociais do blog Noite Sinistra...

 Siga o Noite Sinistra no Twitter   Noite Sinistra no Facebook   Comunidade Noite Sinistra no Google +   Noite Sinistra no Tumblr

CONFIRA OUTRAS POSTAGENS DO BLOG NOITE SINISTRA




VOLTAR PARA A PÁGINA INICIAL...

0 Comentários
Comentários
Nenhum comentário :

Página do Facebook

Publicidade 1

Noite Sinistra no YouTube

Postagem em destaque

O misterioso perfil do Facebook de Karin Catherine Waldegrave