17/04/2015

Dionathan Celestrino: O maníaco da Cruz

Criminoso matou 3 pessoas em Mato Grosso do Sul com requintes de crueldade.

Hoje volto a contar com a ajuda de uma leitora na elaboração de uma postagem. A benfeitora de hoje é a amiga Iasmym Alves. O assunto proposto por ela remete aos assassinatos cometidos por Dionathan Celestrino, mais conhecido como Maníaco da Cruz. Os crimes ocorreram na região em que nossa amiga Iasmym mora,  em Rio Brilhante, Mato Grosso do Sul.

Em 2008 um jovem de 16 anos levou pânico aos moradores da cidade de Rio Brilhante, no interior do Mato Grosso do Sul. Com uma faca ele abordava suas vítimas e as obrigava a relatar como era sua vida sexual, e a relação que tinham com Deus. Baseado nessa entrevista ele avaliava a pessoa como “pura” e “impura”. Depois o criminoso as matava, deixando os corpos das vítimas em forma de cruz, o que lhe rendeu o apelido de Maníaco da Cruz. Foram três vítimas fatais creditadas ao maníaco.

Os crimes

24 de Julho de 2008 – O Primeiro Crime: O pedreiro Catalino Gardena, de 33 anos é encontrado morto em um terreno baldio na Rua Mohamed Ali, no centro da cidade. Segundo a perícia ele foi morto com uma facada no coração e enforcado com um saco de lixo. Em seu peito, foi escrito à faca a palavra “INRI” que significa Jesus Nazareno, Rei dos Judeus.

Criminoso matou 3 pessoas em Mato Grosso do Sul com requintes de crueldade.
Fonte: Amigos da Guarda Civil
24 de Agosto de 2008 – O Segundo Crime: Exatamente um mês depois da primeira morte, Letícia Neves de Oliveira, 22 anos, sai de casa a noite e diz que vai encontrar com amigos. Ela não voltou mais. Seu corpo foi encontrado a apenas 40 metros de sua casa, dentro do cemitério São Cristóvão. A cena deixou os moradores e policiais da cidade assustados: Letícia estava despida, deitada em cima de um túmulo com os braços abertos e as pernas juntas com os pés cruzados, como se tivesse sido crucificada. O legista atestou como causa da morte asfixia causada por esganadura. Como Letícia tinha uma tatuagem de cruz no peito, o assassino acabou por não repetir o que fizera com Catalino, portanto ele não deixou nenhuma inscrição na jovem.

Criminoso matou 3 pessoas em Mato Grosso do Sul com requintes de crueldade.
Fonte: O Aprendiz Verde

24 de Agosto de 2008 – Uma sobrevivente: As mortes e a forma como os crimes aconteceram assustam os moradores de Rio Brilhante, apesar da polícia ainda não admitir a ação de um serial killer, para a população, isso tudo era obra do mesmo assassino. Com medo de que ele seguisse o padrão (matar no dia 24 de cada mês), pais não deixavam suas filhas irem as aulas, comércios fechando antes do horário, ruas, praças e calçadas desertas. Ninguém ousa sair de casa. Um show, porém, aconteceria naquela noite. O show de uma dupla sertaneja foi um fracasso de público, mas alguns arriscaram.

Duas adolescentes menores de idade faziam parte do grupo de pessoas que se arriscaram a sair de casa naquele dia 24 de Agosto, para assistir ao show da dupla sertaneja Maria Cecília e Rodolfo na cidade de Rio Brilhante, Mato Grosso do sul. O show fazia parte das comemorações do aniversário da cidade. Uma das amigas, de nome Carla, de 17 anos, decide ir embora. Tenta ligar para sua mãe, mas os créditos do seu celular haviam acabado. Ela resolve ir a um orelhão. Faz contato com sua mãe e pede para que a mesma ou outro conhecido venha buscá-la para ir embora. Sua mãe tenta pedir um táxi, mas não consegue, por fim pede a um conhecido da família que vá buscar a filha. A mãe de Carla liga para sua filha para comunicar, porém a essa hora, Carla já não atende mais o telefone.

Carla aguardava o retorno da ligação de sua mãe quando foi abordada por um homem vestindo roupas e capa pretas, usando um cordão com um pentagrama e com os olhos, unhas e lábios pintados de preto. E o pior: portando uma faca.

Sem dizer muitas palavras o homem aproxima-se e diz: “Vai andando vadia!”

Caminharam por vários minutos entre as ruas da pequena cidade de Rio Brilhante. Enquanto caminhavam, o estranho homem a todo momento falava que a libertaria dos seus pecados e que a enviaria para o céu. Por fim acharam uma casa em construção. Foi aí que começou “A Entrevista”.

  • Estranho: Você acredita em Deus?
  • Carla: Sim
  • Estranho: Você é virgem?
  • Carla: Sim.
  • Estranho: Quantos namorados já teve?
  • Carla: Nenhum.
  • Estranho: Qual sua opção sexual?
  • Carla: Sou heterossexual.

Enquanto era entrevistada pelo estranho homem, o celular de Carla não parava de tocar, era sua mãe, desesperada em busca de informações sobre a filha. Em dado momento o estranho disse: “Você deve ser amada por sua família”. 

“Sim, muito”, respondeu Carla.

Depois de mais de duas horas de entrevista o estranho homem disse: “Você é realmente ingênua. Saí para matar uma vadia e encontrei você. Você está livre.”

Na época Carla relatou a polícia que: “Não demonstrei medo, não entrei em pânico e deixei ele falar. Durante todo o momento achei que não sairia viva”.

Ao ser entrevistada, Carla inteligentemente percebeu o que se passava na cabeça alienada do Maníaco. Respondeu a todas as suas perguntas de forma a não contrariá-lo.

Criminoso matou 3 pessoas em Mato Grosso do Sul com requintes de crueldade.
Carla tendo a identidade ocultada pela jaqueta da polícia, durante o seu testemunho à polícia.
Fonte: O Aprendiz Verde
O jornalista Paulo Lopes conta em seu blog que a primeira pergunta que o maníaco fez foi se ela acreditava em Deus. Ela disse que sim e devolveu a pergunta, numa tentativa de estabelecer um diálogo amigável: “E você, acredita em Deus?”.

Ele disse que não. O rapaz também quis saber se ela era virgem e a resposta foi sim. Perguntou várias vezes se ela tinha namorado e Carla sempre respondeu que não. Ela perguntou o mesmo para o rapaz e ele disse: “Você acha que alguém namoraria comigo?”. Ela respondeu: “Acho que sim”.

A esperteza de demonstrar interesse por ele parece que funcionou.

06 de Outubro de 2008 – O Terceiro Crime: No dia 07 de outubro o corpo de uma adolescente de 13 anos foi encontrado em uma construção na Rua Manoel Bento, no Conjunto Por do Sol, em Rio Brilhante. Ela havia sido morta na noite anterior. O nome da vítima era Gleice Kelly da Silva, e seu corpo estava posicionado em forma de crucificação, com os pés cruzados e os braços abertos, ela estava sem blusa e sem sutiã. Esse já era o terceiro crime com as mesmas características ocorrido nos últimos meses na cidade.

Criminoso matou 3 pessoas em Mato Grosso do Sul com requintes de crueldade.
Fonte: O Aprendiz Verde
Agora não haviam mais dúvidas de que a cidade de 27 mil habitantes havia se tornado a área de atuação de um serial killer. O pânico era geral entre os habitantes da cidade, tanto que boatos começaram a surgir. Populares começaram a afirmar que ao lado das duas primeiras vítimas haviam sido encontrados bilhetes com o nome de sete pessoas que seriam assassinadas pelo maníaco. Essa suposta lista recebeu o nome de “A lista do diabo”. A existência da lista foi negada pela polícia.

A Investigação

A polícia não tinha nenhuma pista concreta que pudesse ajudar na resolução dos assassinatos, nenhum suspeito e nenhuma evidência física. A principal linha de investigação era de que os crimes fossem resultado da ação de uma Seita Satânica. Com a pressão da população e da imprensa aumentando, a Polícia Civil de Rio Brilhante pede ajuda à Polícia Regional. O delegado, Nazi El Kadri, junta forças com policiais do Serviço de Investigação Geral (SIG) do município vizinho de Dourados. Os crimes, batizados de “Crimes da Cruz”, ganham as manchetes do Brasil.

A polícia investigava o caso quando o terceiro corpo apareceu. Gleice Kelly da Silva, 13 anos, foi encontrada morta em uma casa em construção na Rua Manoel Bento, no Conjunto Por do Sol no dia 7 de outubro de 2008. No local do crime foram encontradas algumas cruzes e um bilhete com letras soltas. Uma das palavras que as letras formavam era “INFERNO”.

A descoberta do corpo da jovem Gleice Kelly deixou a cidade em choque e a polícia pressionada. Mas o que a polícia não sabia era que a prisão do Maníaco seria muito mais fácil do que eles imaginavam e viria de uma pista muito menos inimaginável ainda: O ORKUT.

Criminoso matou 3 pessoas em Mato Grosso do Sul com requintes de crueldade.
Fonte: Cova do Inferno

Prisão do Maníaco da Cruz

Após verem esse comentário na página de recados do Perfil no ORKUT de Gleice Kelly, a polícia começou a investigar o usuário DOG HELL 666. Perceberam que o usuário era gótico. Em seu álbum de fotos, várias fotos em cemitério e simulações de rituais satânicos.

Criminoso matou 3 pessoas em Mato Grosso do Sul com requintes de crueldade.
Fonte: O Aprendiz Verde
Algumas comunidades do suspeito chamaram a atenção da polícia:
  • Eu odeio sol; 
  • Eu adoro cadáveres; 
  • Necrofilia; 
  • Eu LAMBO meu sangue; 
  • Cemitério minha segunda casa; 
  • Um soco vale + q 1000 palavras; 
  • Morte às góticas vadias; 
  • Sorrir deforma o rosto; 
  • Eu não tenho medo do seu Deus.

Essas pistas foram importantes mas não eram suficientes. Deveria ter algo mais concreto. O sigilo telefônico de Gleice Kelly foi quebrado e a polícia descobriu que um número desconhecido de celular ligava para o número dela mesmo após a sua morte. Ao investigar, descobriu-se que o número era de um menor de 16 anos da cidade. E como suspeitava a polícia, o menor era o usuário DOG HELL 666 que estava insultando os amigos de Gleice Kelly no ORKUT. O nome do maníaco é Dionathan Celestrino.

Fonte: O Aprendiz Verde
Fonte: O Aprendiz Verde
As duas horas da madrugada do dia 9 de outubro, o menor foi apreendido em sua casa. Em seu quarto a polícia encontrou:
  • canivete sujo de sangue (usado para marcar o peito da primeira vítima); 
  • a blusa de Gleice Kelly; 
  • pulseiras de Letícia de Oliveira; 
  • recortes de jornais com reportagens sobre o caso; 
  • um poster do Maníaco do Parque; 
  • revistas pornográficas.

O maníaco

A frieza do adolescente deixou os policiais boquiabertos. O menor não demonstrava remorso e dizia que planejava matar novamente. Inspirado em Francisco de Assis Pereira, que ficou conhecido como “Maníaco do Parque” pelos crimes cometidos em São Paulo, há uma década, o garoto tinha como meta ultrapassar o número de assassinatos cometidos por Pereira.


Segundo o menor, ele matava as vítimas porque elas acreditavam em Deus, mas não viviam conforme seus ensinamentos divinos. Catalino morreu porque era alcoólatra e homossexual. Letícia porque supostamente era homossexual e Gleice por ser usuária de drogas. Colocava as vítimas em posição de crucificação para que elas “encontrassem o seu Deus” , segundo ele, nessa posição, a “salvação viria logo”.

A investigação da polícia concluiu que o adolescente era líder de um grupo que frequentava cemitérios e adorava a imagem de Satã. Outros cinco menores foram indiciados por participação indireta nos crimes: Eles sabiam que Dionathan havia matado mas não contaram nada à polícia por respeito ao “Líder”. Uma namorada virtual do Maníaco da Cruz, de nome Daniela, de Umuarama, Paraná, também foi investigada. Através de mensagens no ORKUT, o maníaco havia dito a ela que ele havia matado as três pessoas.

Fonte: O Aprendiz Verde

Análise Psicológica

Um laudo psicológico feito na época atestou o adolescente como normal, não tendo nenhum tipo de distúrbio mental. Um outro teste foi feito a pedido do Ministério Público, o Rorschach, um teste psicológico mais detalhado, método de psicodiagnóstico para analisar traços de personalidade e até pensamentos inconscientes. Mais uma vez o menor foi considerado normal, mas de extrema periculosidade, podendo matar novamente se for solto.

O promotor da Infância e Juventude, Juliano Albuquerque, denunciou o jovem por homicídio doloso, aquele em que houve a intenção de matar. Por ser menor de idade, o adolescente foi recolhido para a Unidade Educacional de Ibtenação (UNEI). Segundo o ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente), o menor deverá ficar internado por, no máximo, três anos. Segundo o artigo 121, em hipótese alguma esse prazo deverá ser excedido.

De acordo com a Lei brasileira, Dionathan Celestrino deveria ter sido solto no fim de 2011. Preso em 2008 pelo assassinato de 3 pessoas, o serial killer adolescente foi internado em uma Instituição para menores infratores e teve seu pedido de soltura negado por um desembargador. O estado recorreu à decisão dizendo que não poderia mantê-lo sob seus cuidados, mas a decisão foi confirmada em março de 2012.

De acordo com um novo laudo psiquiátrico feito na época, Dionathan possui traços esquizotípicos, porém ele não seria portador de esquizofrenia. O psiquiatra forense Marcos Estevão Moura, ouvido pela imprensa, disse que o serial killer possui alterações de conduta, transtorno conhecido como condutopatia.

“Uma pessoa com a condutopatia não possui os valores morais da sociedade. O criminoso comum tem um motivo para matar, já o condutopata homicida mata para ver o desespero do outro”, disse o psiquiatra.

O psiquiatra ainda disse que uma pessoa portadora dos desvios de conduta não é considerado um doente. “Isso leva a um comportamento alterado de praticar crimes sem sofrer com o remorso, ele não tem compromisso com outro e nem com ele próprio”, diz.

De acordo com o psiquiatra, os riscos do Maníaco da Cruz voltar a cometer outros crimes é muito grande, por isso, o psiquiatra afirma que o jovem não deveria ser reinserido no convívio com a sociedade. “Não há como mudar a conduta dessas pessoas, nós usamos medicamentos pesados para diminuir a força física, é como se fosse uma anestesia psíquica”, diz.

Estudos revelam que cerca de 1% da população sofre algum tipo de desvio de conduta, são os chamados sociopatas, o psiquiatra explica ainda que o meio em que a pessoa vive pode agravar ou amenizar os impulsos causados pelo desvio de conduta.

Segundo Marcos Estevão Moura, não há precedentes hereditários para a condutopatia, o psiquiatra afirma que as pessoas nascem dessa forma por conta de algum tipo de mutação genética e não existe cura para esses desvios de conduta.

O Juiz que negou sua soltura em março de 2012 disse que se isso acontecesse seria: “…um dano irreparável para a sociedade. Há fortes boatos que, caso fosse liberado, ele não chegaria vivo ao centro da cidade. Liberar o demandado seria o mesmo que assinar sua sentença de morte”.

Fuga do maníaco da Cruz

Dionathan Celestrino, fugiu no dia 3 de março de 2013, durante a madrugada, da Unidade Educacional de Internação (Unei) Mitaí, em Ponta Porã. A fuga só foi descoberta pela manhã do dia seguinte, durante contagem dos internos feita por funcionários da unidade.

UNEI de onde o Maníaco da Cruz conseguiu fugir.
Fonte: O Aprendiz Verde
Ele arrebentou a janela do alojamento e fugiu sozinho. A polícia do Mato Grosso do Sul o procura pela fronteira.

Dionathan acaba preso no Paraguai

A polícia do Paraguai conseguiu recapturar no dia 29 de abril, o serial killer brasileiro Dionathan Celestrino, nacionalmente conhecido como Maníaco da Cruz.

Como suspeitavam as autoridades brasileiras, Dionathan estava no Paraguai. Segundo a mídia paraguaia, ele foi preso em um hotel na cidade de Horqueta, distante 160 quilômetros de Ponta Porã, no Mato Grosso do sul, local de onde Dionathan havia fugido em 3 de março. Sabendo que o serial killer poderia ter cruzado a fronteira para o Paraguai, a polícia local emitiu um alerta para hotéis de várias cidades. Todo e qualquer homem desconhecido da região, que hospedasse em qualquer local, deveria ter o nome anotado e imediatamente relatado à polícia. E assim conseguiu-se chegar a Dionathan.

Fonte: O Aprendiz Verde

O maníaco continua preso

No dia 20 de junho de 2013, o juiz de Ponta Porã, Adriano da Rosa Bastos, pediu à Unidade Experimental de Saúde de Vila Maria, no estado de São Paulo, uma vaga para o serial killer Dionathan Celestrino. No documento, o magistrado pede que a Santa Casa de Campo Grande também deve ser comunicada sobre a possibilidade do jovem ser transferido para à unidade em São Paulo.

A equipe médica de psiquiatria da Santa Casa já apresentou laudo pericial de que o jovem poderá voltar ao convívio social e, portanto, desde o dia 23 maio, recebeu alta médica.

Mas, por considerá-lo perigoso, a Justiça o manteve recluso. Mesmo com a avaliação, o juiz Adriano da Rosa determinou que o estado providencie, com a máxima urgência, uma vaga para o Maníaco da Cruz em clínica de atendimento adequada, o que indica que ele não ficará em em liberdade.

Relato da amiga Iasmym sobre o caso

Como eu já havia mencionado acima, esse texto foi uma indicação da amiga Iasmym Alves, moradora da cidade de Rio Brilhante, local onde ocorreram os crimes. A população de Rio Brilhante acabou aterrorizada pelos atos do Maníaco da Cruz. Abaixo confira o relato da amiga Iasmyn.

"Na época em 2008 ele tinha 16 anos, ele matou 3 vitimas em Rio Brilhante, Ele classificava elas como pura e impura, se a pessoas fosse pura ele liberava, se fosse impura ele matava e deixava o corpo estendido em forma de cruz.

Na época deu muito medo dele ainda mais quando ele foi preso e depois fugiu, todo mundo dizia que fugia pra tal cidade e todas as pessoas daquela cidade ficava com medo no fim ele foi encontrado em 2013 vivendo no Paraguai foi pego e preso."

Agradecimentos a amiga Iasmym Alves pela dica.


Quando amanhecer, você já será um de nós...

Não deixe de dar uma conferida nas redes sociais do blog Noite Sinistra...

 Siga o Noite Sinistra no Twitter   Noite Sinistra no Facebook   Comunidade Noite Sinistra no Google +   Noite Sinistra no Tumblr

CONFIRA OUTRAS POSTAGENS DO BLOG NOITE SINISTRA



Links Relacionados:

VOLTAR PARA A PÁGINA INICIAL...

7 Comentários
Comentários
7 comentários:
  1. o cúmulo é que daqui a pouco ele vai estar solto de novo. parabéns para o juiz que mantem ele trancado.

    ResponderExcluir
  2. Mesmo que muitos neguem,inclusive a psiquiatria e a psicologia,preferindo atribuir isso a sociopatia,desvios de condutas,etc,a verdade é que o mal existe,e o responsável pelo mal é o diabo.Tanto é que ele o adorava e fazia sua vontade.

    Por isso que prefiro seguir a Deus,pois com ele nossa vida só tende a melhorar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os políticos desse país devem todos seguir a Deus pois a vida deles só melhora a cada dia, já a vida do povo...

      Excluir
    2. não falo de melhorar materialmente,e sim espiritualmente,pois a vida aqui na terra é só uma passagem.Mas se vc inveja a vida dos políticos,e quer ser como eles,basta vc se tornar um.O que te impede?Comece como líder comunitário,depois se candidate a vereador,que daqui a pouco vc será um profissional da roubalheira também.

      Excluir
  3. Infelizmente tem muitos desses espalhado por aí. E como vimos no texto, a polícia, talvez por total falta de incentivo profissional e financeiro e também incentivo moral principalmente da população que só critica e não vê que a culpa é do governo que não investe direito nestes profissionais, faz corpo mole.
    E Adm, o nome certo "Estatuto da Criança e do Delinquente".

    ResponderExcluir
  4. E Iasmym Alves, parabéns pelo assunto e vamos torcer para que este infeliz fique o reto da vida preso e sua cidade possa viver em paz.

    ResponderExcluir

Página do Facebook

Publicidade 1

Noite Sinistra no YouTube

Postagem em destaque

O misterioso perfil do Facebook de Karin Catherine Waldegrave