23/06/2015

Tempestades revelam tesouro da marinha espanhola perdido há 500 anos


Canhões do navio mercante La Juliana foram encontrados na região costeira de Streedagh, no condado de Sligo. Pedaços de madeira do navio naufragado começaram a aparecer nas praias em abril. Os canhões do navio são de 1588 e estão em ótimo estado. Duas destas armas já foram retiradas do fundo do mar.

Em um dos canhões é possível ver uma dedicatória à santa Matrona, uma santa venerada pelas populações da Catalunha e Barcelona. A data na dedicatória é 1570, ano no qual o La Juliana foi construído, o que confirma a identidade do navio, segundo o governo irlandês. Heather Humphreys, ministra das Artes, Patrimônio e Idioma Irlandês, visitou o local onde está o navio naufragado.

"Descobrimos um tesouro de materiais fascinantes e muito importantes, que têm mais de 425 anos de idade", disse.


"Este material é, obviamente, de muita importância histórica e arqueológica", acrescentou.

Outros dois navios da Armada Espanhola (ou Invencível Armada) naufragaram na mesma época, em setembro de 1588, devido a tempestades violentas. Mais de mil soldados e marinheiros morreram afogados quando o La Lavia e o Santa Maria de Visión afundaram.

O La Juliana fazia viagens comerciais entre a Espanha e a Itália, até ser cooptado pelo rei Felipe 2º para fazer parte de uma frota de 130 navios da então poderosa Marinha da Espanha, com a missão de invadir a Inglaterra e derrubar a rainha Elizabeth 1ª.


O navio pesava 860 toneladas, levava 32 armas, 325 solados e tinha uma tripulação de 70 pessoas. O governo da Irlanda já iniciou uma operação para garantir a segurança dos artefatos. A operação para recuperar os objetos deve durar várias semanas.


Fonte: Último Segundo

Quando amanhecer, você já será um de nós...


CONFIRA OUTRAS POSTAGENS DO BLOG NOITE SINISTRA



Links Relacionados:

0 Comentários
Comentários
Nenhum comentário :

Página do Facebook

Publicidade 1

Noite Sinistra no YouTube

Postagem em destaque

O misterioso perfil do Facebook de Karin Catherine Waldegrave