03/07/2015

Joanna Dennehy: A assassina da vala


Joanna Dennehy tornou-se a primeira mulher a ser condenada a prisão perpétua no Reino Unido por conta dos seus crimes. No início de 2013 Joanna assassinou a facadas três homens, e jogou os cadáveres dos mesmos em uma vala nos arredores de Peterborough. Seus crimes acabaram conhecidos como: os assassinatos da vala de Peterborough. Ainda em 2013 ela ainda tentou fazer mais duas vítimas, mas ambas conseguiram sair do ataque com vida.

Os crimes aconteceram em um curto espaço de tempo. Joanna atacou e matou suas vitimas em um período de 14 dias. Ao viajar para Hereford, ela ainda atacou mais dois homens ao acaso, em plena luz do dia. Os ataques foram separados em 9 minutos.


Na época dos crimes Joanna Dennehy tinha 31 anos de idade. Ela é mãe de duas crianças. Joanna não agiu sozinha, contou com a ajuda de um amigo, Gary “Stretch” Richards, um conhecido criminoso local. Outro cúmplice de Joanna foi Leslie Layton, ele deu abrigo a Joanna e a Gary em Hereford, cidade natal da assassina.

Cúmplice de Joanna Dennehy
Gary Richards
Em Hereford, no dia 2 de abril, Joanna esfaqueou Robin Bereza pelas costas. Nove minutos depois, ela esfaqueou John Rogers, deixando-o quase morto e roubou seu cachorro. Ambas as vítimas testemunharam contra Joanna Dennehy no tribunal, e tiveram papel importante na captura de Joanna.

As vítimas fatais de Joanna Dennehy

Sua primeira vítima foi Lukasz Slaboszewski (31 anos), que foi atraído para uma propriedade em Peterborough via textos sugestivos, e depois esfaqueado no coração. Segundo algumas fontes Lukasz e Joanna mantinham um relacionamento virtual secreto, tanto que quando havia marcado o encontro com Joanna, Lukasz teria enviado uma mensagem de texto para um amigo dizendo o seguinte: ” A vida é bela”.


Dentro de 14 dias Joanna Dennehy usou um canivete para matar seu companheiro de casa (Joanna morava com ele em troca de cuidar dos afazeres do lar), John Chapman (56 anos), esfaqueando-o na região do pescoço, duas vezes no coração e três vezes no peito. Após o assassinato ela telefonou para um amigo para cantar a música da Britney Spears “Oops … I Did It Again”.


A terceira vítima era seu amante e chefe, Kevin Lee (48 anos), que Joanna Dennehy atraiu com a promessa de favores sexuais. Lee foi encontrado em uma vala vestido em um vestido preto com lantejoulas, seu traseiro estava exposto. O juiz, que disse que ele tinha fotos estudadas do cadáver, disse que o corpo tinha sido colocado nesta posição em uma vala como uma “humilhação final” e acrescentou: “A maneira em que seu corpo foi abandonado fazia parte do jogo de sua motivação sexual e sádica”.



Um histórico nada bom

Joanna Dennehy é considerada uma mentirosa patológica. Ela frequentemente alegava que havia cumprido pena por ter assassinado seu pai, depois de anos de abuso, o que era uma mentira. Seu pai, Kevin, um guarda de segurança, está vivo e bem. Nem ele, nem sua mãe Kathleen, jamais foram investigados sobre tais alegações. Sua família diz que ela teve uma infância feliz e amorosa em Hertfordshire, mas caiu no mundo das bebidas e drogas quando adolescente. “Acho que as pessoas, as drogas e o meio que ela frequentava… Ela entrou disparada em algo escuro dentro dela”, sua irmã Maria disse ao The Mail on Sunday.


Ela saiu de casa aos 15 anos e começou um relacionamento turbulento com John Treanor, um homem cinco anos mais velho que ela, com quem teve dois filhos. A relação do casal – marcada por disputas frequentes, violência de Joanna e longas separações – só terminou depois que o Sr. Treanor levou os filhos para longe, queixando-se de sua violência. Ele se casou de novo e vive com sua esposa e as duas meninas, com idades entre 13 e 7 anos, em Glossop, Derbyshire.


Após a separação, Joanna se mudou para Peterborough, onde ela começou a viver em uma quitinete de propriedade de uma de suas vítimas, Kevin Lee, e atuou como sua cuidadora e fez bicos em troca de sua renda.


Ela foi internada em uma unidade psiquiátrica em Peterborough, um ano antes da onda de assassinatos, onde foi diagnosticada com uma série de distúrbios e psicopatia. Ela alegou sofrer de depressão e tinha uma história de auto flagelação.

Seu abdômen tinha várias cicatrizes, pois Joanna se cortava com lâminas de barbear. As cicatrizes podem sere vistas em fotos que ela tirou antes de sua farra de esfaqueamento final, em Hereford, as quais ela comparou ao último posto de Bonnie e Clyde, que foram mortos a tiro pela polícia depois de matar nove pessoas.


Comparações

Ela é apenas a terceira mulher na história criminal Inglesa a ser avaliada como “tão perigosa que ela nunca pode ser liberada”. As outras duas Myra Hindley e Rosemary West. Ela não se encaixa no modelo de Myra Hindley ou Rose West, pois ambas foram cúmplices de um parceiro dominante. Joanna não é uma assassina em série clássica que desengatada após uma matança para regressar à vida normal, antes de assassinar novamente. O curto espaço de tempo entre seus crimes a classificam como uma Spree Killer.

Prisão

Como algumas das vítimas fatais de Joanna tinham ligações com ela, não foi muito difícil para a polícia colocar ela como suspeita número 1. Após os crimes Joanna e Gary se mudaram, o que levou a polícia a ter que procurar por seu paradeiro. As tentativas de assassinato cometidas por Joanna enquanto estava escondida em Hereford alertaram a polícia. Joanna foi presa em 2 de Abril de 2013, mesmo dia dos ataques em Hereford. Ela rapidamente assumiu a culpa das acusações que eram feitas contra ela.


Julgamento

O julgamento de Joanna Dennehy,e seus cúmplices aconteceu em Old Bailey, no centro de Londres, e foi presidida pelo juiz Spencer. Durante a audiência Joanna Dennehy sorriu e conversou com alguns dos três cúmplices que sentaram-se no banco dos réus com ela, e que também foram condenados. O juiz revelou que Joanna tinha dito a um psiquiatra que ela matou “para ver se eu estava tão fria quanto eu pensava que era. Então ficou maior e eu tive um gosto por isso”.


Spencer disse que Joanna Dennehy possui um transtorno de personalidade e tinha sido diagnosticada como adepta sadomasoquismo, uma condição em que a excitação sexual é derivado de dor e humilhação, o que pode ser algo muito perigoso para uma pessoa perturbada como ela. Ele disse que ela também não dispunha da faixa normal de emoções humanas.

Seu cúmplice Gary “Stretch” Richards foi condenado à prisão perpétua, com um prazo mínimo de 19 anos, por ajudar Joanna Dennehy despejar todos os três corpos em valas e por seu papel nas duas tentativas de homicídio. Ele dirigiu o carro enquanto Joanna vasculhava Hereford à procura de homens para atacar.

Leslie Layton foi condenado a 14 anos, e um terceiro cúmplice, Robert Moore, de 55 anos, que admitiu que ajudou um infrator, recebeu três anos.

A esposa de Kevin Lee, Christina disse: “Nós sentimos que Joanna Dennehy fez lavagem cerebral em Kevin, levando-o a tomar uma decisão ruim, e ele pagou por isso com a sua vida.”

Robin Bereza disse que ele se tornou um homem mudado após o ataque aleatório de Joanna Dennehy. O bombeiro aposentado disse: “Eu não estou tão confiante como eu costumava ser – eu estou mais tranquilo e não no meu estado normal.”

A filha mais velha de Joanna tem ser uma assassina também

John Treanor, ex marido de Joanna e pai das duas filhas da criminosa, afirmou no final de 2013 que a filha mais velha, na época com 13 anos de idade, estava com medo de se tornar uma assassina fria como a mãe.

"Ela já viu o rosto da mãe em todos os noticiários, jornais e internet. Agora ela está lutando para chegar a um acordo com tudo”. "Ela perguntou a outra noite, 'Pai, e que como eu vou acabar? Será que vou ser um assassino como a minha mãe? ' Eu tive que explicar a ela que não é algo que você herda”.

"Ela está realmente com medo de se transformando em sua mãe. Ela passou por muita coisa, enquanto vivia com Joanna. Agora ela está enfrentando um desafio ainda maior”.

John Treanor havia abandonado Joanna pela forma violenta com que ela agia em relação a ele e as filhas.

Segundo John, a filha mais nova do casal, que na época dos crimes de Joanna tinha 7 anos de idade, não conhecia a mãe, pois quando John fugiu com as filhas ela ainda era uma bebe.A menina não sabe que a criminosa que aparecia na televisão era sua mãe biológica. Ele chegou a afirmar que não sabia como lidar com a situação e como contar isso para a menina quando ela ficar mais velha.

Fontes: Convulssion e Murdepedia

Quando amanhecer, você já será um de nós...


CONFIRA OUTRAS POSTAGENS DO BLOG NOITE SINISTRA




1 Comentários
Comentários
Um comentário:
  1. essa Joanna era tão linda quando era uma criança cresceu e se transformou em uma pi psicopata drograda e cretina! ainda bem que as duas filhas dela estão sendo bem criadas pelo Pai que parece ser uma boa pessoa! é só as duas meninas não seguirem o Exemplo de sua Mãe doida e elas serão muito felizes em suas vidas!!! Marcos Punch

    ResponderExcluir

Página do Facebook

Publicidade 1

Postagem em destaque

O misterioso perfil do Facebook de Karin Catherine Waldegrave