30/10/2015

O beliche assombrado da família Tallman


Ao longo da história muitos foram os objetos que ganharam a fama de amaldiçoados ou de possuídos. Aqui no blog Noite Sinistra já publicamos diversas matérias falando desse assunto, com destaque para os casos: Annabelle, O maldito Boneco Robert e A maldição do diamante Hope. Hoje, porém, trago a vocês uma matéria sobre um objeto que é muitas vezes mencionado em listas de postagens sobre objetos amaldiçoados, sendo conhecido como: A bruxa do Beliche. Eu me refiro a um beliche supostamente assombrado por uma bruxa e que foi comprado por uma casal norte americano.

A bruxa do Beliche

Allan e Debby Tallman compraram, em 1987, um beliche em uma loja de móveis usados. Inicialmente, o móvel ficou no porão da casa, mas, alguns meses depois quando o item foi para o quarto das duas filhas do casal, coisas realmente estranhas começaram a acontecer na casa da família.

Desde a primeira noite em que as meninas dormiram no tal beliche coisas estranhas passaram a acontecer, como se o objeto tivesse ganhado vida. As crianças até então gozavam de uma ótima saúde, mas bastou elas começarem a dormir no enigmático beliche para elas adoecerem. Era como se a cama estivesse sugando a força das meninas.

Na noite em que a família mudou as camas, seu filho "Danny" (um pseudônimo), que estava no quarto ao lado das irmãs, notou que naquela noite o rádio aparentemente assumiu vida própria. O objeto passou a emitir som sem qualquer intervenção humana e seguia aleatoriamente trocando os canais sozinho. Danny relatou mais tarde que teria visto o ponteiro de sintonia do rádio (rádios antigos tinham um marcador, um ponteiro, para mostrar a sintonia aos usuários) movendo-se sozinho.

Nas semanas seguintes outros eventos estranhos aconteceram na casa da família Tallman.

Algumas semanas mais tarde, Alan estava pintando as paredes em seu porão quando ele subiu para o almoço e colocou o pincel em cima de uma mesa no porão, mas quando voltou, ele teria encontrado o pincel mergulhado dentro da lata de tinta.

Quando a filha mais nova de Allan e Debby estava dormindo na cama de beliche, ela alegou ter visto uma bruxa e fogo. O episódio inicialmente foi tomado como um pesadelo ou alucinação da garota, mas cerca de um mês depois do ocorrido, Danny teve a mesma visão.

Allan e Debby começaram a estranhar tais eventos, e cogitaram que sua casa estivesse assombrada. Movidos por esse pensamento o casal chamou o pastor Wayne Dobratz, para dar uma verificada na casa. O pastor afirma ter sentido a presença do diabo dentro da residência da família Tallman.

Pastor Wayne Dobratz
A partir da visita do pastor as ocorrências parecem ter ficado mais intensas. Barulhos de portas batendo e vozes estranhas passaram a ser ouvidas cada vez com maior frequência.


Uma semana antes do natal a situação havia se tornado tão assustadora que Danny não queria mais ficar dentro da casa. Allan, em um ato de desespero implorou para que os espíritos partissem, e que se eles quisessem atormentar alguém que procurassem ele e não as crianças.

Algumas semanas depois, na tarde do dia 07 de Janeiro de 1988, Allan retornava para casa quando ouviu um estranho som, como se fosse uma espécie de uivo. Ele foi investigar a origem do ruído, foi quando ele ouviu claramente uma voz dizer: "venha aqui". Ele certificou-se de estar sozinho em casa, e quando chegou a garagem viu labaredas de fogo. Allan então correu para dentro de casa para pegar um extintor de incêndio, e quando retornou a garagem não havia qualquer indício de fogo no local. Quando retornou para o interior da casa, Allan observou sua marmita ser atirada para o outro lado da sala.

Representação do episódio do fogo na garagem
O episódio fez com que Allan passasse a dormir no quarto das filhas, como forma de garantir a segurança delas.


Alguns dias depois Allan teve que ficar até mais tarde no trabalho, então ele pediu a um parente dele para que passasse a noite na sua casa para proteger a sua família. Algumas fontes afirmam que esse parente era um irmão de Allan, outras se referem a ela apenas como "um parente", mas em todos os casos é dito que essa pessoa era altamente cética. Nesse dia esse parente teria visto na casa da família uma figura terrível, e apavorado ele gritou pelo nome de Debby.

A destruição do Beliche

Os Tallmans acreditavam que a casa em que viviam estava assombrada, mas casa não tinha nenhum histórico aparente de assombrações. Ele moravam em Horicon, Wisconsin, é uma pequena cidade agrícola de 3800 habitantes.

Os Tallmans se mudaram para a residência em abril de 1986.

Não se sabe ao certo como os Tallmans chegaram a conclusão de que o problema estivesse no beliche. Eles decidiram atear fogo no beliche. Depois desse ato nenhuma ocorrência anormal foi registrada na casa, mas a família havia sofrido tanto no local que acabaram mudando-se para sua antiga residência em abril de 1988, como forma de tentar superar o trauma a que eles foram submetidos.

Notas adicionais

Os Tallmans foram assolados por uma atenção indesejada quando o caso se tornou público. Eles tinham recusado uma oferta lucrativa de um tabloide, que pretendia escrever uma matéria sobre as suas experiências. Debby e Allan recusaram, na época, uma oferta alegando que as crianças haviam sofrido muito com o episódio, e não seria correto tirar proveito financeiro disso, forçando elas a recordar tais eventos.

Anos mais tarde, quando as crianças já haviam crescido, os Tallmans concordaram em compartilhar sua história com Unsolved Mysteriessob mas com três condições: seus rostos foram mantidos ocultos durante a entrevista, os nomes de seus filhos foram trocados por pseudônimo e que todas as encenações de suas experiências deveriam ser feitas por atores que representam a família Tallman.

A atividade na casa dos Tallmans foi descrita em no livro, "Haunted América", de Michael Norman e Beth Scott, mas em nenhum momento os autores ligam as assombrações ao beliche. A atividade é em vez disse ligada ao fato de que a propriedade estaria localizada perto de antigos cemitérios indígenas americanos.

Os nomes das crianças são mantidos em segredo e pseudônimos foram usados, mas uma fonte (ver ao final da matéria) afirma que os nomes dos filhos de Debby e Allan eram Kenny de sete anos de idade, Mary Ann com quase um ano de idade e Sarah.



Quando amanhecer, você já será um de nós...


CONFIRA OUTRAS POSTAGENS DO BLOG NOITE SINISTRA



0 Comentários
Comentários
Nenhum comentário :

Página do Facebook

Publicidade 1

Postagem em destaque

O misterioso perfil do Facebook de Karin Catherine Waldegrave