08/02/2017

A lenda do Rougarou


Saudações galera atormentada. Hoje vamos falar de uma criatura lendária bem típica do folclore do estado norte americano da Luisiana: o Rougarou. Essa criatura também é chamada como Rugaru ou Rugarou.

O mito começou a ser disseminado nas comunidades norte americanas de origem francesa, sendo que o próprio nome Rougarou, descende de um termo francês: o Loupgarou. Em francês esse termo significaria lobisomem, e de fato o mito de Rougarou se funde ao mito do lobisomem em alguns casos. Segundo esse mito francês essa criatura se alimentaria de sangue humano. Algumas fontes relacionam o Rugaru ao mito do pé grande.

Os amigos e amigas podem escolher entre duas opções para conferir essa matéria. Abaixo vocês podem conferir as informações a respeito dessa criatura mitológica em vídeo ou em texto. Ambos os formatos apresentam atrativos especiais. Confiram...


As crenças a respeito do Loupgarou acabou encontrando um lar nas áreas pantanosas da Luisiana. Imigrantes francês vindos do Canadá e diretamente da Europa acabaram disseminando esse mito por toda essa região, onde passou a ser chamado de diversas formas, tal como o texto já explicou anteriormente.

A criatura rugaru é tema de muitas lendas dos nativos norte-americanos como os pelos Ojibwa de Turtle Mountain e os Chippewa da Dokota do Norte.

Como já foi visto anteriormente a origem do mito tem relação com a colonização francesa. Então como os índios norte americanos teriam conhecimento a respeito dessa lenda? Estudiosos do assunto afirmam que provavelmente os indígenas tenham assimilado esse mito por conta do contato com missionários e mercadores de origem francesa.

Um ser amaldiçoado

A exemplo do que ocorre com muitas outras lendas espalhadas ao redor do mundo, a lenda sobre o Rougarou possui muitas versões diferentes.

Segundo o mito mais conhecido atualmente na Luisiana, essa criatura vagaria pelo pântano. Algumas variações da lenda afirmam que o Rougarou seria um homem que passaria 101 dias sob efeito de uma maldição, onde essa pessoa acabaria assumindo a forma de uma criatura metade homem e metade lobo. Durante esse período o Rugaru caçaria qualquer pessoa que atravessasse o seu caminho. Passados os 101 dias a criatura voltaria a assumir a forma humana, porém a maldição seria passada para outra pessoa.


Há quem acredite que uma pessoa que fosse ferida, mas que conseguisse sobreviver a um ataque de Rougarou acabaria herdando a maldição, se tornando essa maldita criatura.

Algumas histórias sobre a origem desse monstro dizem que ele só pode ser “criado” por uma bruxa, já outras dizem que a maldição está no sangue, que é hereditária, logo se um dos progenitores é um rougarou o filho também será.

Outros dizem que o rougarou se transforma somente à noite e pelo dia volta ao estado normal.

Há quem afirme que o mito a respeito da maldição dos 101 dias teria relação com o desaparecimento de muitas pessoas nos pântanos da Luisiana. Antigamente quando alguma pessoa desaparecia dentro de um desses pântanos, sem voltar mais, ela acabava considerada como uma vítima de um rugaru. Se essa pessoa retornasse depois de um longo tempo desaparecida, os habitantes locais passavam a acreditar que essa pessoa fosse um rugaru.

Em outras regiões dos Estados Unidos as lendas afirmam que os rougarous se alimentam de carne humana. No início a criatura possuiria a aparência de uma pessoa normal, só com o tempo é que essa pessoa começaria a se transformar num monstro.

Outro ponto a respeito desse mito que possui versões diferentes tem haver com a alimentação da mítica criatura. Segundo algumas variações o Rugaru comeria carne humana, devorando todo o corpo das suas presas. Em outra versão igualmente conhecida e popular o Rougarou se alimentaria apenas do sangue da vítima.

Um mito para colocar medo nas pessoas

Acredita-se que o mito do rugaru seria uma dessas histórias/estórias usadas para inspirar medo e obediência em crianças ou nos católicos. É dito que os católicos que desobedecerem a quaresma serão perseguidos e mortos pelo rugaru.

Na lenda francesa do loupgarou, aqueles que deixarem de observar a quaresma por sete anos seguidos, serão transformados em lobisomem.

Semelhanças com outras criaturas

As diferentes versões desse mito fazem com que possamos encontrar vários pontos em comum entre o rougarou com outras criaturas e seres mitológicos. Como já foi citado anteriormente o rougarou se assemelha ao mito do lobisomem e com o mito do pé grande.

Uma das versões do mito do Rugaru afirma que ele seria originalmente um ser humano, mas o ato de praticar canibalismo faria essa pessoa se transformar em um monstro. Essa ideia tem algumas relações com a lenda do Wendigo (clique AQUI para conhecer essa lenda), que também é bastante conhecida em alguns pontos dos EUA.

Outra versão da lenda afirma que Rougarou se alimenta de sangue. Não precisamos refletir muito para correlacionarmos isso a crenças sobre vampiros.

Há um tempo atrás eu publiquei aqui no blog Noite Sinistra uma série que falava de diferentes lendas ao redor do mundo sobre vampiros (Clique AQUI para recordar). Acho interessante como culturas diferentes criaram mitos semelhantes, a respeito de alguns seres e entidades.

O mito do Rugaru parece ser um desses casos em que uma estória é transmitida de boca em boca, o que significa que cada interlocutor pode ter acrescentado o seu toque a lenda, o que explicaria as diversas variantes e os diversos detalhes que fazem esse mito se assemelhar ao outros mitos e lendas.

O Rougarou na cultura popular

A lenda sobre o Rougarou já foi representada no seriado Supernatural. Na quarta temporada da séria os protagonistas Sam e Dean acabam incumbidos de caçar um homem que está prestes a se transformar em um Rougarou. Esse homem teria herdado a maldição de seu pai, e a partir do momento que ele provasse carne humana pela primeira vez, a sua transformação em monstro acabaria se concretizando.


Uma versão desta criatura foi observado no livro Fool Moon da série Dresden Files que descreve o Loup-garoucomo um dos três tipos de lobisomens, muito semelhante ao tipo descrito acima.

O jardim zoológico de Audubon, em Nova Orleans tem uma exposição sobre o Rougarou e apresenta um manequim em tamanho real de como seria o Rougarou.

Rougarou é também o título de um jornal online literária publicada fora da Universidade da Louisiana em Lafayette.

A criatura é destaque em um episódio de Justiça Cajun, um programa de televisão AE. O proprietário de uma campamento alertou as autoridades e gravou em um vídeo o que ele suspeitava ser uma Rougarou no mato atrás de seu acampamento.

O canal History Channel lançou em 2014 uma mini série intitulada “O monstro do Pântano”, onde a lenda do Rougarou é explorada. Confira a sinopse abaixo:

Uma série baseada em fatos recentes e lendas obscuras sobre os pântanos da Luisiana. Durante séculos, tem se ouvido histórias sobre a existência ali de uma criatura chamada Rougaru, descrita também como Pé Grande ou um tipo de lobisomem. Supostamente, esta criatura seria responsável por uma série de fatos estranhos que ocorrem no local, como luzes desconhecidas, desaparecimentos, matanças e mutilações de animais, além de epidemias. Nesta série, lendas arrepiantes, assim como eventos reais, vão ganhar vida através de dramatizações, relatos de testemunhas oculares, notícias e entrevistas surpreendentes com biólogos e especialistas, trazendo de forma emocionante e ao mesmo tempo assustadora a história macabra do folclore dos pântanos.



Quando amanhecer, você já será um de nós...

Noite Sinistra no YouTube

Gostaria de convidar os amigos e amigas a darem uma conferida no canal Noite Sinistra no YouTube, onde vocês podem encontrar várias matérias interessantes. Para acessar basta clicar no banner abaixo.

Acesse o canal Noite Sinistra no YouTube

Não deixem de se inscrever!!!

CONFIRA OUTRAS POSTAGENS DO BLOG NOITE SINISTRA




0 Comentários
Comentários
Nenhum comentário :

Página do Facebook

Publicidade 1

Postagem em destaque

O misterioso perfil do Facebook de Karin Catherine Waldegrave