04/01/2016

Moloch e o sacrifício de recém nascidos


O altar do deus cananita Moloch possuía a estátua de um bezerro de bronze com uma fornalha em seu ventre onde, em honra à divindade, as mães depositavam seus próprios filhos. Para amenizar o horror dessas mães, os sacerdotes cuidavam para que as trombetas fossem tocadas bem alto afim de que não se ouvisse o choro infernal das crianças sacrificadas.

Moloch (representando semita מלך mlk , uma raiz semítica que significa "rei") – também escrito como Moloque , Molekh , Molok , Molek , Molock , Moloc, Meleque, Milcom ou Molcom - conhecido como Malcã, conforme os textos bíblicos, é o nome do deus ao qual os amonitas, uma etnia de Canaã (povos presentes na península arábica e na região do Oriente Médio), sacrificavam seus recém-nascidos, jogando-os em uma fogueira. Também é o nome de um demônio na tradição cristã e cabalística. Moloque, é simbolo do fogo purificador representado como um touro materialmente manifesta o conflito e a escuridão do mundo do homem.


Segundo as escrituras, os povos amorreus, membros de uma tribo à leste do Jordão, descendentes de Amon, que derrotaram os gigantes de Zomzomins e ocuparam a região por volta de 1900 a.C., costumavam adorá-lo, sacrificando crianças em seu louvor, para obterem boas colheitas e vitórias nas guerras. Nós rituais de adoração havia atos sexuais e sacrifícios de crianças. Estas eram jogadas em uma cavidade da estátua de Moloch, onde havia fogo consumindo assim a criança viva. Ele era, ao mesmo tempo, um fogo purificador, destruidor e consumidor. A aparência de Moloch era de corpo humano com a cabeça de boi ou leão, no seu ventre havia uma cavidade em que o fogo era aceso para consumir sacrifícios. Muitos povos adoravam Moloch, porém com o fortalecimento do povo Hebreu e de outros reinos, estes povos foram desaparecendo, deixando o costume de adoração a Moloque.

Pelas ordens de Deus dadas ao povo hebreu através de Moisés, era proibido, expressamente, a adoração a Moloque, bem como também o sacrifício de crianças a ele, sendo este severamente punido (Lv 20,2-5).

Os gregos antigos identificaram este deus cananeu, adorado pelos cartagineses com sacrifícios de bebês, com Cronos. A adoração a Moloch era praticada pelos cananeus, fenícios culturas e afins em África do Norte e do Levante. Como um deus adorado pelos fenícios e cananeus, Moloch tinha associações com um tipo particular de propiciatório sacrifício de crianças pelos pais.

Em figuras no livro de Deuteronômio e no Livro do Levítico Moloch aparece como uma forma de idolatria (Levítico 18:21: "E tu não deixar nenhum dos teus passagem de sementes pelo fogo a Moloch"). Na Bíblia hebraica, Gehenna era um vale de Jerusalém, onde apóstata israelitas e os seguidores de vários baalins e deuses Caananite, incluindo Moloch, sacrificaram seus filhos pelo fogo (2 Cr 28:3, 33:6;.. Jer 07:31, 19:2-6).


Moloch era uma divindade adorada pelos idólatras israelitas. O hebraico Moloque não representa a pronúncia original do nome, mais sim do que o grego vocalização Moloch encontrada na LXX e nos Atos (vii, 43). O título primitivo deste deus foi muito provavelmente Meleque, "rei", as consoantes do que veio a ser combinados através de escárnio com as vogais da palavra bosheth , "vergonha". Como a palavra Moloch (Moloque) significa rei, é difícil para determinar em vários lugares do Antigo Testamento se ele deve ser considerado como o próprio nome de uma divindade ou como um simples apelativo. As passagens do texto original em que o nome significa, provavelmente, para a de um deus são Lev. , xviii, 21; xx, 2-5; III (AV I) Reis, xi, 7; IV (II) Reis, XXIII, 10; Isaías 30:33 ; 57:9 ; Jeremias 32:35 . A principal característica de Moloch culto entre os judeus parece ter sido o sacrifício de crianças, e a expressão usual para descrever esse sacrifício foi "passar pelo fogo", um rito realizado após as vítimas tinham sido condenados à morte. O centro especial de tais atrocidades foi apenas fora de Jerusalém, em um lugar chamado Tofete (provavelmente "lugar de abominação"), no vale do Geennom . Segundo a III (I) Reis, XI, 7, Salomão erigiu um " templo "para Moloch "no monte, defronte de Jerusalém", e por esta razão ele é às vezes considerado como o monarca que introduziu o culto ímpio em Israel. Após o rompimento, vestígios da adoração a Moloch apareceram em Judá e Israel. O costume de usar uma criança para passar pelo fogo parece ter sido comum no Norte Unido [IV (II) Reis , XVII, 17; Ezech . xxiii, 37], e que cresceu gradualmente nas regiões Sul, encorajados pelo exemplo real de Acaz (2 Reis 16:3) e Manasses [IV (II) Reis , XVI, 6] até que se tornou predominante na época do profeta Jeremias (Jerem. xxxii, 35), quando o rei Josias suprimiu o culto de Moloch e contaminada Tofete [IV (II) Reis , XXIII, 13 (10)]. Não é improvável que este culto tenha revivido sob Joakim e continuou até o cativeiro babilônico.

Na base do Hebreu leitura de III (I) Reis, xi, 7, Moloch tem sido muitas vezes identificado com Milcom, o nacional deus da amonitas , mas esta identificação não pode ser considerado como provável como mostrado pelas versões gregas. Várias tentativas foram feitas para provar que em sacrificar seus filhos a Moloch os israelitas simplesmente pensavam que estavam oferecendo-os em holocausto ao Senhor. Em outras palavras, o Meleque a quem a quem era oferecida a criança como sacrifício era um o Senhor com outro nome. Para defender esse ponto de vista apelo é feito, em particular, Jeremias 7:31 e 19:05 , e Ezequiel 20:25-31.

Mas esta posição é, no mínimo improvável pois os textos podiam muito bem ser interpretados de outra forma, e os profetas expressamente tratavam o culto de Moloch como estranho e uma renegação da adoração do Deus verdadeiro . As ofertas pelo fogo, a identidade provável de Moloch com Baal, e ao fato de que, em Assíria e Babilônia Malik, e em Palmyra Malach-bel, eram deuses-sol, sugeriram a muitos que Moloch era um fogo ou deus-sol.

Como alguns outros deuses e demônios encontrados na Bíblia, Moloch aparece como parte da demonologia medieval, como um príncipe do Inferno. Moloch encontra prazer especial em fazer chorar as mães, especializando-se em roubar os seus filhos.

Moloch ou Molegue, conhecido como príncipe da "terra das lágrimas" no inferno. Recolhe com alegria, lágrimas de mães. É um demônio monstruoso, gotejando o sangue de crianças e as lágrimas de suas mães. Tem cabeça de bezerro, coroa real, e braços esticados para receber suas vítimas humanas.

Segundo estudos, os sacrifícios eram feitos quando um pai pegava o seu filho primogênito, levava-o ao altar do seu "deus" abria seu filho, tirava o seu coração e comia-o na frente do "deus".


Quando amanhecer, você já será um de nós...


CONFIRA OUTRAS POSTAGENS DO BLOG NOITE SINISTRA



2 Comentários
Comentários
2 comentários:
  1. Religião o lixo das massas, todas absolutamente todas!!!

    "o carcereiro perguntou a Paulo o que teria que fazer para ser salvo, ao que Paulo lhe respondeu, crê em Jesus e tu serás salvo"!!! (escritos da bíblia)

    paulo não mandou ele cultuar a celta A, B, C.

    Sabem porque ninguém se converte a cristo hoje? porque a religião tomou conta do mundo.
    querem saber qual é a verdade, RELIGIÃO é a maior apostasia da terra, pois transforma a verdade de Deus em mentira e mentira criada por homens perversos que gostam das riquezas deste mundo.

    ResponderExcluir

Página do Facebook

Publicidade 1

Noite Sinistra no YouTube

Postagem em destaque

O misterioso perfil do Facebook de Karin Catherine Waldegrave