11/07/2016

Saeculum Obscurum: A época em que "prostitutas" governaram a Igreja


A história do papado no período compreendido entre a nomeação de Sergio III em 904 e a morte de João XII em 964, entrou para a história como Saeculum Obscurum (a idade negra) ainda que seja também conhecido como "Governo de meretrizes" ou "Pornocracia", tal como escreveu o cardeal e historiador do século XVI, Cessar Baronio, em seus Anais Eclesiásticos, cuja fonte primária foi de Liutprando de Cremona. O termo "Governo de meretrizes", embora seja altamente pejorativo, é utilizado por uma grande quantidade de historiadores, como o historiador Will Durant.

Esse período é cercado de polêmicas pois foi nessa época que, segundo os historiadores citados acima (lembrando que um deles era cardeal, logo não podemos afirmar que todos esses pesquisadores estavam interessados em desestabilizar a igreja com acusações exageradas), papas foram fortemente influenciados por duas mulheres altamente ambiciosas e inescrupulosas: Teodora e Marózia, mãe e filha.

Depois da morte de Leão V, apoiado pela família Spoleto e por seu primo Teofilacto, senador e magister militum de Roma, elegeram Sergio III em 904 como o novo papa. Como recompensa Teofilacto foi nomeado vestararius (o homem que controlava as finanças) e mais tarde foi indicado cônsul, e sua esposa Teodora, senatrix de Roma.

Teodora, também apoiou o novo Papa... mas como habituée em sua cama, onde lhe ajudava a tomar as decisões mais importantes. Com 15 anos, e seguindo os passos da mãe, Marózia também passou pela cama do Papa com o qual teve um filho, João. Depois da morte de Sergio III, Teodora nomearia os três seguintes: Anastácio III, Lando e João X em 914. Dois anos mais tarde Teodora faleceu e Marózia tomou as rédeas em sua mãos.

As discrepâncias com João X logo foram notadas e utilizando o poder de seu segundo marido, Guy de Toscana, conseguiu mandá-lo para a prisão onde morreu em estranhas circunstâncias.

Assim como a pérfida mãe, escolheu os três seguintes papas: Leão VI, Estevão VII e João XI, o filho que teve com Sergio III. João XI, por sua vez, outorgou o poder absoluto à mãe, nomeando-a senatrix Patricia Romanorum.


Depois do falecimento de seu segundo marido, Marózia tentou seguir ganhando poder casando-se com Hugo, rei da Itália, mas tinha um pequeno grande problema: pequeno porque precisava anular seu casamento ainda que seu filho fosse o Papa e grande porque seu outro filho - fruto de seu primeiro casamento com Alberico I dos Spoleto-, Alberico II, liderava a oposição àquele casamento.

Alberico II assumiu o título de príncipe e senador dos romanos e governou Roma. No dia dos esponsais de sua mãe com o rei Hugo mandou prendê-la em uma masmorra onde ficou até sua morte em 936. O filho assumiu então o papel da mãe e continuou escolhendo papas até que em 955 nomeou também seu próprio filho, e por tanto neto de Marózia e bisneto de Teodora, João XII que ocuparia o trono de Pedro até 964.
By: Elson Antonio Gomes

Fonte: MDIG

Quando amanhecer, você já será um de nós...


CONFIRA OUTRAS POSTAGENS DO BLOG NOITE SINISTRA



0 Comentários
Comentários
Nenhum comentário :

Página do Facebook

Publicidade 1

Postagem em destaque

O misterioso perfil do Facebook de Karin Catherine Waldegrave