03/02/2014

A terrível gripe Espanhola


Olá amigos e amigas...hoje falaremos de uma terrível pandemia que atingiu praticamente todo o planeta e matou entre 20 e 100 milhões de pessoas em um período de dois anos. Entre 1918 e 1919 a epidemia de Gripe Espanhola matou mais pessoas do que qualquer guerra que já tenhamos presenciado. No Rio de Janeiro, morreram 17 mil pessoas em dois meses. Os familiares, desesperados, jogavam seus mortos na rua com medo de contrair a letal doença.
A influenza espanhola era mais severa que a gripe comum, mas tinha os mesmos sintomas iniciais como garganta dolorida, dor de cabeça e febre. Mas comumente em muitos pacientes a doença progredia para algo muito pior do que espirros. Calafrios intensos e fatiga vinham acompanhados de fluido nos pulmões. Se a gripe passava do estágio de pequena inconveniência geralmente a pessoa já estava pré-destinada a morrer.

Hospital militar no Kansas, fim de 1918
Tudo o que os médicos podiam fazer na época era deixar seus pacientes o mais confortáveis possível. A cor azulada na pele dos doentes evoluía para marrom ou roxo e seus pés ficavam pretos. Os “sortudos” se afogavam com o fluído nos pulmões. Os outros desenvolviam pneumonia bacteriana e agonizavam de uma infecção secundária. Como os antibióticos ainda não haviam sido inventados essa doença também não podia ser tratada.


O início da mortal pandemia

Durante o mês de Março do ano de 1918 a Primeira Guerra Mundial transcorria deixando um rastro de morte e destruição, mas um inimigo mais letal que armas e gazes estava a espreita, um vírus mortal que ainda hoje desperta a curiosidade e o temor da comunidade científica.


Todos os países tiveram surtos, na Espanha 8 milhões de pessoas ficaram doentes, incluindo o rei Afonso XIII. A maioria dos países não admitia o surto que estava acontecendo (esse é um dos agravantes para uma estimativa mais exata no número de mortos), já que isso implicava em soldados fora de combate. A Espanha que até então estava neutra na guerra não escondeu o que se passava, e a gripe que era chamada de gripe dos 3 dias começou a ser chamada de gripe espanhola. Assim como ela apareceu, rapidamente ela sumiu.

O segundo ataque da gripe mortal

Em agosto a gripe voltou. Atacou em todos os lugares, Ásia, Europa, Américas. Mas dessa vez ela estava diferente. Estranhamente atacava os jovens, com um pico de infecção entre 20 e 30 anos, enquanto normalmente gripes atacam mais as crianças e os idosos.

No gráfico pode-se ver em tracejado uma gripe comum e em linha contínua a gripe Espanhola
Os acampamentos militares, cheios de jovens soldado dividindo dependências precárias nos campos de combate foram atacados em cheio.

Números da gripe Espanhola

Enquanto uma gripe normal mata menos de 0,1% dos doentes, essa matava até 2,5%. Pode parecer pouco, mas com pelo menos 25% da população americana doente, o estrago foi enorme, mais de meio milhão de mortos. Essa é a diferença principal. Enquanto o Ebola mata até 90% das pessoas, infecta poucos, já essa gripe infectou tantos que deve ter matado entre 20 e 100 milhões de pessoas. Para se ter uma ideia, a 1ª Guerra Mundial matou cerca de 9,2 milhões em combate, 15 milhões no total, a 2ª Guerra Mundial matou 16 milhões de pessoas.


Algumas tribos esquimós foram varridas do mapa pela gripe espanhola. Faltavam caixões para enterrar as pessoas, e em muitos lugares os velórios eram limitados a minutos, tamanha a procura.

Até hoje não se sabe como a doença se espalhou tão rápido, em questão de dois meses o mundo inteiro foi atingido, e em muitos casos cidades distantes tinham surto ao mesmo tempo, enquanto as cidades vizinhas podiam levar semanas para serem atingidas.

Nos EUA e no Japão, foram selecionados presos para realização de testes para que cientistas tentassem descobrir como a doença era contraída e transmitida. Até então os cientistas não se sabia que era um vírus que causava a doença. Eles colocavam presos em contato com a gripe e após os testes, os presos teriam cumprido a dívida com a sociedade, servindo claramente de cobaias humanas.

O fim do surto

Em Fevereiro de 1919 inicia-se o terceiro surto da gripe, que durou até Maio de 1919, quando a gripe começa a desaparecer, de maneira enigmática e misteriosa. A gripe surgiu do nada e sumiu da mesma forma intrigando os especialistas da época e gerando inúmeros estudos, e teorias, mesmo nos dias atuais. Uma das teorias mais aceitas é de que os três surtos da gripe tenham representado diferentes estágios da evolução da mesma, sendo que o fim da epidemia teria acontecido depois de a gripe sofrer sua ultima mutação, e esse estado não seria um estado tão mortal para o ser humano.


Fontes: Hypescience, Rainha Vermelha e Wikipédia

Quando amanhecer, você já será um de nós...

A chacina de Acari.
A Sociedade Secreta Thule.
Herta Oberheuser - Assassina Nazista.
Josef Mengele - "O anjo da Morte".
O massacre de Babi Yar.

9 Comentários
Comentários
9 comentários:
  1. Interessantissimo.. essa historia ainda me intriga muito..

    ResponderExcluir
  2. Essa epidemia ainda gera muitas discussões em meio a comunidade científica...sem contar que nos leva a pensar neah, afinal danos gigantescos foram causados por um organismo de tamanho tão pequeno...

    ResponderExcluir
  3. imaginem uma coisa como esta AGORA. que o mundo todo se conecta com aviões vindos de todos os cantos do globo com rapidez., nossos aeroportos portos de navios estações rodoviárias...um transito infernal de pessoas como nos grandes centros citando SÃO PAULO RIO DE JANEIRO BELO HORIZONTE MANAUS BAHIA...RIO GRANDE DO SUL...pronto. boa sorte para quem viver. o mundo vai ficar mais vazio.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente...uma epidemia dessas no atual mundo globalizado seria ainda mais catastrófica...eu realmente acredito que epidemias podem varrer a humanidade do mapa...

      Excluir
  4. Minha avó sobreviveu à gripe espanhola, ela tinha 2 anos e pregou a primeira fase da doença.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É minha amiga Sabrina...sua avó é um vitoriosa, afina tantos sucumbiram a essa doença, cujo processo que levava até a morte era extremamente rápido...parabéns a sua avó!!!

      Excluir
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    3. Olá Patricia...
      Sou a Gabrielly, e na escola estamos estudando sobre a gripe espanhola e teremos que apresentar um trabalho, fiquei muito interessada em saber mais como era naquela época.
      Eu gostaria de saber mais sobre como a sua avó sobreviveu, o que ocorreu com os parentes...
      meu e-mail caso possa me ajudar gabinha753@gmail.com ou telefone 47 99326562. Obrigada, aguardo uma resposta!

      Excluir

Página do Facebook

Publicidade 1

Noite Sinistra no YouTube

Postagem em destaque

O misterioso perfil do Facebook de Karin Catherine Waldegrave