14/08/2014

A morte de Deborah Stone


Eventualmente ficamos sabendo de alguma morte em algum brinquedo de algum parque de diversão mundo afora, tais fatalidades já ocorreram até mesmo nos diversos parques da Disneylândia. Hoje falaremos da morte de uma jovem que integrava o elenco artístico no mega parque de diversões de Walt Disney.

A maioria das mortes ocorridas nos parques da Disney se deram por causa de distrações dos expectadores, ou pelos mesmos não respeitarem as normas de segurança impostas pelos responsáveis pelas atrações. Porem em 1974 uma jovem de 18 anos se tornaria a primeira pessoa que trabalhava no parque a perder sua vida em um acidente em um dos brinquedos.

Deborah Stone (1956 - 8 de julho de 1974), mais conhecida como Debbie Stone, tinha na época 18 anos, e recém havia passado a integrar a equipe de funcionários da Disneylândia. Ela atuava no parque de  Anaheim, Califórnia.

Debbie havia se formado aquele ano na Santa Ana High School, e recebeu o prêmio de aluna do ano. Ela acabou conseguindo um trabalho de verão nas instalações da Disney em Anaheim. A jovem pretendia usar esse dinheiro para ajudar a custear seus estudos na Universidade Estadual de Iowa.

Debbie era uma das pessoas que atendia o público em uma nova atração do parque, o America Sings, inaugurado em 29 de junho de 1974.

America Sings

Um passeio chamado "Carousel of Progress" foi reformulado para se tornar uma nova atração, "America Sings". Essa atração musical contava com robôs animados em formato de animais como cantores, que interpretavam músicas importantes de diferentes parte da história Estadunidense. O espetáculo acontecia em 6 teatros diferentes, todos eles ligados por paredes divisórias que giravam mecanicamente de quatro em quatro minutos em torno das seis partes fixas. Ao contrário Carousel of Progress da Disneylândia, que girava no sentido horário, América Sings girava no sentido anti-horário.


Debbie era uma das pessoas que recepcionavam os visitantes e lhes dava as devidas instruções. Frequentemente esses recepcionistas eram vistos tendo que circular entre os cenários.


A tragédia

Na noite de 8 de julho de 1974, Debbie acabou sendo morta quando foi esmagada entre uma parede giratória e uma das paredes fixas do edifício. Debbie se aventurou perto demais da área entre a parede rotativa e a parede fixa do palco e acabou prensada entre eles durante o movimento de rotação. Um dos visitantes no teatro adjacente ouviu seus gritos e notificou os operadores que atuavam na atração. Outras pessoas também ouviram os gritos, mas pensaram se tratar de uma parte do show.


Depois disso o América Sings foi fechado por dois dias enquanto sensores de segurança foram instalados. Eventualmente, as paredes foram remodelados para que se pudesse fugir se um incidente semelhante ocorresse novamente.

Críticas ao parque

Na época muitas críticas foram feitas ao parque tanto pela segurança do brinquedo como ao treinamento que era dado aos funcionários, mas ninguém acabou responsabilizado pelo acidente, sendo que a versão mais aceita é a de que Debbie teria se distraído ou tentado saltar entre os vãos, o que ocasionou sua morte.


Mesmo 40 anos depois da morte de Debbie o assunto continua gerando discussões, afinal muitas pessoas afirmam que o parque só não foi responsabilizado pela morte da jovem por se tratar de um empreendimento Disney. Pressões externas fizeram com que as investigações fossem realizadas de maneira superficial.

Até a data em que a atração parou de funcionar, muitas eram os visitantes do parque que abordavam os funcionários da atração para perguntar a eles sobre o incidente que vitimou Debbie Stone.

Na época em que aconteceu o incidente, ele acabou ganhando grande divulgação na mídia, afinal a atração era considerada inofensiva e até então nunca havia acontecido alguma morte envolvendo um funcionário do parque, isso certamente contribuiu para que o caso ficasse no imaginário dos estadunidenses.


A assombração da disney

Desde a morte de Debbie muitos funcionários do parque afirmam que o prédio que abrigou o espetáculo America Sings até o ano de 1988, e onde Debbie Stone perdeu sua vida, é assombrado pela garota. Esses funcionários afirmam que seus gritos podem ser ouvidos a noite e que ela pode ser vista nos arredores da antiga atração. Será que o fantasma de Debbie realmente permanece preso ao local onde sua vida chegou ao fim, ou sera essa apenas mais uma lenda urbana dos parques da Disney?


Até onde eu sei, o vídeo acima não se refere ao dia da morte de Deborah. Eu inseri ele na postagem apenas para mostrar como era a atração America Sings.

Fonte: Wikipedia 

Quando amanhecer, você já será um de nós...

Não deixe de dar uma conferida nas redes sociais do blog Noite Sinistra...

 Siga o Noite Sinistra no Twitter   Noite Sinistra no Facebook   Comunidade Noite Sinistra no Google +   Noite Sinistra no Tumblr

CONFIRA OUTRAS POSTAGENS DO BLOG NOITE SINISTRA




VOLTAR PARA A PÁGINA INICIAL...

7 Comentários
Comentários
7 comentários:
  1. Elson Antonio Gomes14 de agosto de 2014 13:33

    Tradição!

    ResponderExcluir
  2. O video mostrado na postagem é real ? o grito realmente é dela no momento em que foi esmagada?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O video parece ser real, mas o grito é falso. Com as paredes massacrando ela lentamente, ela não daria um grito rápido e curto assim.

      Bites!
      TaryBelmont

      Excluir
    2. O vídeo não foi filmado no dia da morte dela...ele apenas mostra a atração America Sings...

      Excluir
  3. Aqui em fortaleza tivemos um acidente fatal en um parque de diversões esta semana.
    Foi muito triste o que aconteceu, um acidente horrível.

    ResponderExcluir
  4. O park Gold ^ ouvi falar sobre esse acidente. Esse Park estava na minha cidade, que bom que eu nem fui ...

    ResponderExcluir
  5. Parabéns pela matéria Manolo! Muito bom.

    ResponderExcluir

Página do Facebook

Publicidade 1

Noite Sinistra no YouTube

Postagem em destaque

O misterioso perfil do Facebook de Karin Catherine Waldegrave