05/08/2014

A lenda de Tereza Bicuda - GO


Hoje voltamos a falar de uma lenda tipicamente brasileira. A lenda retratada abaixo fala do fantasma de Tereza Bicuda, que aterrorizou a cidade goiana de Jaraguá. Venha comigo conhecer mais essa curiosa história do folclore nacional.

O fantasma de Tereza Bicuda

Tereza Bicuda era uma moça de lábios grossos que lhe valeram o apelido de bicuda. Morava em Jaraguá, no Larguinho de Santana. Pessoa de maus bofes, tratava a mãe de forma absolutamente cruel: botava a velha para mendigar nas ruas, batia nela, humilhava. Um dia, chegou ao extremo da maldade e, diz o povo, colocou um freio de cavalo na bocada genitora, montou, e nela andou montada à frente de todo o povo. Aquilo foi demais: a pobre mulher morreu mas, antes, excomungou a filha desnaturada.

No meio religioso e de extrema moralidade da antiga Vila de Jaraguá, Tereza Bicuda era uma aberração social. Descrente, nunca visitava a igreja.


Quando era forçada a passar diante de alguma, virava o rosto e praguejava baixinho. Trabalhava aos domingos. Pra que o povo visse que não respeitava as tradições eclesiásticas.

Era a ofensa à consciência das velhas beatas, que diariamente frequentavam as igrejas e capelas de Jaraguá.

Um dia, Tereza Bicuda morreu.

Nem uma lágrima surgiu de algum olho cristão. Não merecia lágrimas nem piedade quem não soubera viver e não chamara o padre no seu último momento.

Era costume colonial enterrar os defuntos no corpo das igrejas. A capelinha do Rosário, situada ao sopé de suave colina, sempre fora a depositária dos corpos pobres, que não podiam ter o luxo de serem enterrados dentro da matriz. Na capelinha do Rosário foi então enterrada Tereza Bicuda, sem cerimônia preliminar.

Por três noites consecutivas, ao soar da meia-noite, a população ouvia medrosa os gritos que soltava Tereza Bicuda pedindo que retirassem o seu corpo de dentro da capelinha. Ali não era o seu lugar na morte, como não fora em vida. À meia-noite em ponto, Tereza Bicuda saía do seu túmulo e percorria as ruas quietas da vila, gritando desesperadamente.

O terror gelava os que a ouviam. Daquela noite em diante, os notívagos viam sempre surgir lá no fim da rua um imenso vulto branco a correr, deixando cair das suas vestes sujas línguas de fogo, que enchiam o ar do cheiro desagradável de enxofre. Por onde passava, iam ficando os vestígios de seus pecados.

A grama queimada ou secava. Os animais traziam pêlos sapecados.

O povo quis pôr um termo ao martírio que vinham sofrendo. E os homens mais corajosos da vila exumaram Tereza Bicuda e levaram seu corpo, já em vermes, para a serra de Jaraguá.

Ali, num lugar pedregoso o jogaram. Um forte cheiro de enxofre enchia o ar.

No local numa mais surgiu uma planta, mas também Tereza Bicuda não mais aterrorizou com seus gritos a pacata população jaraguarense.


Atualização 06-08-14

Após a publicação dessa postagem, tomei conhecimento de variações ou acréscimo de dados em relação a essa lenda goiana. O amigo Éder, que é habitante da cidade de Jaraguá, nos deu novas informações a respeito desse assunto via comentário do blog, como vocês poderão ver mais abaixo.

"Na Serra de Jaraguá existe ainda o local onde dizem que ela foi enterrada, onde hoje há uma cruz de madeira. As pessoas dizem que lá possui um pé de caju assombrado e se você tentar pegar os frutos da árvore será atacado por um enxame de abelhas. Além disso, dizem também que nas noites de lua cheia se você tentar subir na Serra a própria Tereza Bicuda aparecerá pra você e lhe montará como ela fez a sua mãe."

Agradecimentos especiais ao amigo Éder por ter compartilhado esses dados interessantes a respeito da lenda da Tereza Bicuda.

Fontes: Jangada Brasil e Poeira Cósmica

Quando amanhecer, você já será um de nós...

Não deixe de dar uma conferida nas redes sociais do blog Noite Sinistra...

 Siga o Noite Sinistra no Twitter   Noite Sinistra no Facebook   Comunidade Noite Sinistra no Google +   Noite Sinistra no Tumblr

CONFIRA OUTRAS POSTAGENS DO BLOG NOITE SINISTRA




VOLTAR PARA A PÁGINA INICIAL...

10 Comentários
Comentários
10 comentários:
  1. Kra, eu sou de Jaraguá e conheço muito bem essa lenda. Vivi acreditando que a Tereza Bicuda foi uma pessoa de verdade. Na Serra de Jaraguá existe ainda o local onde dizem que ela foi enterrada, onde hoje há uma cruz de madeira. As pessoas dizem que lá possui um pé de caju assombrado e se você tentar pegar os frutos da árvore será atacado por um enxame de abelhas. Além disso, dizem também que nas noites de lua cheia se você tentar subir na Serra a própria Tereza Bicuda aparecerá pra você e lhe montará como ela fez a sua mãe. Sinistro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse post merece atualizações com as informações do amigo de cima

      Excluir
    2. Vou atualizar sim manolo...as informações do Éder são muito bacanas...

      Excluir
    3. Gosto muito das lendas, publicadas por este site, excelente continuem assim.

      Excluir
  2. Elson Antonio Gomes7 de agosto de 2014 20:32

    Muiito legal aprender mais um pouco da nossa rica e esquecida cultura. E mais legal ainda é a participação nos comentários como do nosso amigo "Éder" que enriqueceu mais ainda nosso conhecimento.
    Obrigado Adm!
    Obrigado Éder!

    ResponderExcluir
  3. quando eu era pequena li esse livro mas nem me lembrava da historia kkk muito bom

    ResponderExcluir
  4. Parabéns pela postagem. Bem legal poder ver que o Brasil tem landas regionais que valorizam a identidade nacional; divertido e assustador.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse nosso país é cheio de belas histórias e lendas...é legal que vc tenha gosta...seja sempre bem vindo manolo...

      Excluir

Página do Facebook

Publicidade 1

Noite Sinistra no YouTube

Postagem em destaque

O misterioso perfil do Facebook de Karin Catherine Waldegrave