26/05/2015

A Maldição do filme Poltergeist


Poltergeist é um dos filmes mais icônicos do terror da década de 80, tanto que ele é considerado por muitas pessoas como um dos maiores clássicos do terror, aparecendo em diversas listas, sempre entre os melhores filmes do gênero. Embora o longa tenha se tornado muito famoso e popular, estranhos eventos aconteceram durante as gravações, tanto do primeiros filmes, como nas suas duas sequencias. A misteriosa morte de membros do elenco é apontada como indícios para a existência de uma suposta maldição.

O longa original, "Poltergeist - O fenômeno", foi lançado em 1982, e teve mais duas sequencias: Poltergeist II (1986) e Poltergeist III (1988). A trilogia conta episódios da vida dos Freelings, uma família que tem a má sorte de morar em uma residência assombrada por espíritos.


Poltergeist é uma palavra em alemã que significa: fantasma barulhento. É um termo que se refere a uma entidade destrutiva (geralmente não malicioso), sendo o responsável pelos ruídos estranhos e objetos se movendo em residências mal assombradas.

As misteriosas mortes

Existem relatos de várias estranhas ocorrências durante as gravações dos três filmes da séria, mas sem dúvida nenhuma, as mortes de 4 membros importantes da trama, todas mortes acontecidas antes do término das gravações do terceiro filmes, é um elemento terrivelmente macabro, o que deu ao filme a fama de amaldiçoado.

Abaixo poderemos conferir dados a respeito dessas quatro mortes.

Dominique Dunne

Poucos meses depois do lançamento do primeiro filme uma das atrizes mais importantes da trama acabou assassinada cruelmente.


Dominique era a interprete da personagem Dana Freeling, a filha mais velha da família Freeling no primeiro filme. Ela namorava John Thomas Sweeney, um ajudante de cozinha extremamente ciumento que não permitia que ela ficasse perto de seus amigos. Com a fama de Dominique aumentando o ciúme do namorado também aumentou, o rapaz chegou a espancar a jovem atriz algumas vezes. Sem aguentar mais as agressões Dominique pediu o fim do namoro, John não aceitou, e no dia 4 de novembro de 1982, ele invadiu a casa da namorada e a estrangulou, a atriz ficou em coma por alguns dias e faleceu.


Ele foi preso e condenado a 6 anos de prisão, mas ficou somente 3,5 anos preso, para desespero dos fãs e familiares.

Julian Beck 

Julian Beck fez o papel do reverendo Henry Kene, morreu em 14 de setembro de 1985 aos 60 anos de idade, durante as filmagens do segundo filme da franquia. Beck foi vítima de um com câncer no estômago, contra o qual ele vinha lutando desde o ano de 1983.


Will Sampson

Will Sampson interpretou o índio Taylor. Ele morreu pouco depois do lançamento do segundo filme por complicações após uma cirurgia cardíaca no dia 3 de junho de 1987. Ele tinha 53 anos quando faleceu.


Heather O'Rourke

Heather O'Rourke a eterna Carol Anne, morreu logo após o fim das filmagens de "Poltergeist III", com apenas 12 anos de idade. Heather foi diagnosticada com uma infecção intestinal no começo do ano de 1987. Em 31 de janeiro de 1988 ela amanheceu muito doente, e vomitava com frequência, na manhã seguinte Heather teve um desmaio, seu padrasto chamou os paramédicos, ela sofreu uma parada cardíaca e assim que conseguiram reanimá-la a levaram-na para hospital infantil, aonde ela faleceu. Segundo seus pais o diagnóstico estava errado, o que a garota tinha era um bloqueio intestinal que ela possuía desde o seu nascimento. Seus pais obviamente processaram o hospital.




Brian Gibson

Brian Gibson diretor de "Poltergeist II" morreu em 2004 aos 54 anos vitima de Sarcoma de Ewing (Câncer nos ossos), essa doença é muito rara em adultos, geralmente só atingem meninos brancos de 10 a 20 anos.

Embora a morte de Brian tenha ocorrido muitos anos após o lançamento da trilogia, sua morte é atribuída a suposta maldição por conta da singularidade e estranheza do acontecido.

Outros acontecimentos estranhos

Durante as gravações dos três filmes da trilogia Poltergeist, alguns eventos estranhos aconteceram, o que reforça a teoria de que o filme estava sendo alvo de forças sobrenaturais de alguns fãs.

A fumaça estranha

A atriz Zelda Rubinstein deu vida em três ocasiões a Tangina Barrons na trilogia Poltergeist, na qual a atriz entrou na pele de uma vidente que enfrentava forças demoníacas.

Em uma das fotos de Zelda, tirada para Poltergeist III, apareceu uma estranha fumaça. Ninguém havia notado tal fumaça durante a seção de fotos. Zelda contou posteriormente em entrevistas que sua mãe morreu no mesmo momento em que aquelas fotos foram tiradas.


A casa amaldiçoada

Na trama de Poltergeist, a família Freeling se muda para uma nova casa, que parece ser amaldiçoada. Estranhamente, a casa na qual o filme foi gravado foi quase totalmente destruída por um terremoto em 1994.


Equipe em perigo

Além das mortes, a equipe técnica do filme passou por várias situações estranhas, como objetos caindo, coisas surgindo em lugares nos quais não estavam antes e barulhos que ninguém sabia de onde vinham. A atriz JoBeth Williams, que viveu a mãe da família do filme, relatou uma coisa bem estranha. Um dia ela chegou em casa e todos os quadros de sua decoração estavam tortos. Ela os arrumou e, no dia seguinte, foi trabalhar normalmente. Quando voltou, os quadros estavam novamente fora do lugar e isso se repetiu diversas vezes. A atriz contou que não tinha como outra pessoa fazer aquilo.



Sufocado de verdade

Em uma das cenas mais assustadoras do filme original, o filho do meio da família é estrangulado por um boneco de palhaço. Foi revelado depois que o filme foi lançado que, durante a cena, um acidente aconteceu e Oliver estava sufocando de verdade. A equipe quase não percebeu que aquilo era real, já que a cena era, justamente, de um sufocamento. Por pouco Oliver Robins não morreu ao gravar essa cena.



Esta foto mostra o palhaço do filme Poltergeist em exibição no Planet Hollywood em Los Angeles

Coincidência macabra?

Enquanto o namorado de Dominique Dunne a estrangulava ele colocou para tocar a trilha de "Poltergeist I" no volume máximo para encobrir o barulho.

Esqueletos de verdade teriam provocado a maldição

Um boato que circula na internet diz que durante a gravação do primeiro filme, foram usados esqueletos de verdade, já que na época seria mais barato comprar de um depósito médico do que mandar fazer esqueletos de plástico.


Algumas pessoas acreditam que os espíritos das pessoas cujos ossos foram usados como adereços no longa, acabaram assombrando a produção, e eles foram responsáveis pelas mortes e pelos estranhos incidentes.

A equipe de produção responsável pelos longas nunca tocaram no assunto.

Fontes: Assombrado e R7

Quando amanhecer, você já será um de nós...


CONFIRA OUTRAS POSTAGENS DO BLOG NOITE SINISTRA




VOLTAR PARA A PÁGINA INICIAL...


Compartilhe nossas postagens
4 Comentários
Comentários
4 comentários:
  1. Assisti esta nova versão e não gostei. A original continua imbatível.

    ResponderExcluir
  2. Esta nova versão está mais para comédia. Porém fica a dúvida: será que as maldições que ocorreram no original também irão ocorrer nesta nova versão?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nas redes sociais tem uma galera falando mal desse filme...pqp...eu gostava tanto do original, tava me coçando para assistir a nova versão, mas agora a vontade passou...

      Excluir
    2. Assista, pois vc tem que ter a sua própria opinião!

      Excluir

Página do Facebook

Publicidade 1

Noite Sinistra no YouTube

Postagem em destaque

O misterioso perfil do Facebook de Karin Catherine Waldegrave