21/03/2013

Holodomor: Genocídio ucraniano e os atos de canibalismo


O termo Holodomor, ou a grande fome ucraniana, refere-se o genocídio praticado pela União Soviética nos anos 1932 e 1933 na Ucrânia, após a coletivização forçada. Cerca de seis ou sete milhões de pessoas, das quais três milhões de crianças, foram eliminadas sistematicamente através da supressão dos gêneros alimentícios, produzidos pela Ucrânia, e o seu desvio para outras repúblicas soviéticas a preços subsidiados, num processo que ficou conhecido como "Dumping Soviético". A fome atingiu também as regiões ao sul da Rússia, médio e baixo Volga, sul do Ural, norte do Cazaquistão e oeste da Sibéria, porém o termo Holodomor refere-se apenas aos mortos de etnia ucraniana. Foram prejudicadas principalmente as áreas de cultura agrícola que tinham condições de produzir excedentes para a alimentação populacional. No auge do genocídio, 25.000 pessoas morriam de fome todos os dias na Ucrânia.

O genocídio foi idealizado e planejado pelo membro do Partido Comunista da União Soviética Lasar Kaganowitsch, nascido emKiew (Ucrânia) de pais judeus, e colocado em prática por Josef Stalin. A fome, já usada antes na Fome russa de 1921, era o meio usado pela URSS para eliminar qualquer resistência ou oposição da população ucraniana, na época composta por 80% de camponeses, ao regime comunista.

As controvérsias:
Sobre as causas do Holodomor há diversas concepções. Principalmente historiadores ucranianos enfatizam que se trata de um crime consciente, organizado e executado pelo regime soviético de Josef Stalin. O historiador judeu Miklós Kun, neto deBéla Kun, informa: " Foi um assassinato de milhões de seres humanos, executado de forma consciente e sistemática. (...) Enquanto em povoados ucranianos as pessoas desesperadas e alucinadas pela forme comiam folhas e brotos das árvores, gêneros alimentícios ucranianos eram revendidos em outras repúblicas soviéticas a preços subsidiados, no que se passou a chamar de "Dumping Soviético"..."

Em contrapartida, historiadores russos argumentam que a fome decorreu de colheitas fracassadas, situação ainda agravada pela coletivização da agricultura e a decorrente oposição dos agricultores ucranianos. Tal fato, porém não impediu a União Soviética de exportar cereais. O escritor, jornalista e sociólogo Gunnar Heinsohn, constata que na Ucrânia, no Cazaquistão e em algumas áreas do Cáucaso, houveram fortes resistências às desapropriações decorrentes das coletivizações agrícolas forçadas. A apreensão de víveres para agravar a fome, foi um meio utilizado para quebrar a oposição às desapropriações e para enfraquecer os movimentos separatistas destes povos. Evitou-se também o atendimento aos esfomeados e impediu-se as pessoas de se retirar das localidades atingidas pela fome.

Gunnar Heinsohn caracteriza esta realidade como uma mistura de genocídio com "politicídio".

A denúncia da verdade dos fatos muitas vezes é desdenhada por motivos políticos como “anticomunismo malévolo”.

Os defensores do conceito de crime de fome, consideram o Holodomor como fenômeno específico ucraniano e o denominam como "Ato de genocídio contra o povo ucraniano", provocado conscientemente pelo regime stalinista.

Canibalismo:
Existem documentos e muitos relatos, de pessoas que vivenciaram esse triste acontecimento, que falam que a venda de carne humana nesse período se tornou algo comum. No desespero da fome, bebes e crianças desapareciam sem rasto, mortos e comidos pelos progenitores ou vizinhos. Tresloucados, pela fome, matavam ou aproveitavam-se da prostração moribunda de vizinhos para de seguida os comer. Foi houve a criação de um comércio de carne humana, conhecido e tolerado pelas autoridades comunistas, como demonstram alguns documentos. Nesse período os sequestros também se tornaram algo muito comum, sendo que qualquer pessoa, fosse ela adulta ou criança, vagando solitária pelas ruas, seria um alvo em potencial. Houveram também relatos de muitos pais que abandonaram suas proles a própria sorte, uma vez que eles não possuíam condições de sustentar essas crianças, que acabavam se tornando vítimas fáceis nas mãos de aproveitadores.


Tensões entre o campo e a cidade:
Cada aldeia era obrigada a fornecer ao Estado uma determinada quantidade de cereais; a Lei da coletivização impunha que nenhum trigo fosse dado aos membros de uma unidade colectiva sem que as metas impostas por Moscovo fossem atingidas. Como esse valor ultrapassava geralmente a produção efetiva, a comunidade não conseguia assumir a sua quota-parte e era colocada numa lista negra. Em consequência de tal facto, a OGPU e o NKVD realizaram operações massivas contra os camponeses ucranianos a fim de lhes confiscarem teoricamente algum cereal escondido, na prática, todos os gêneros alimentícios. (O facto de até as próprias sementes para o cultivo do ano seguinte serem confiscadas diz bem da verdadeira intenção das autoridades comunistas).


Ao mesmo tempo, implementavam um sistema de passaportes interno que impedia os rurais de se movimentarem à procura de comida. A morte por fome era uma consequência inevitável. Muitas pessoas tentavam furar os bloqueios, indo para as cidades, mas todo "forasteiro" que aparecesse por lá, era denunciado pelos habitantes locais, pois havia o medo de represálias para aqueles que, na cidade, dessem abrigo, ou acobertassem os pequenos colonos que fugiram do campo.



8 Comentários
Comentários
8 comentários:
  1. caso queira mais imagens : http://o-mundoreal.blogspot.com.br/2012/11/holodomor-grande-fome-ucraniana.html

    ResponderExcluir
  2. E ainda ha animais que defendem o comunismo/socialismo... GENTE ESTUPIDA...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A questão não é defender o "socialismo" ou o "capitalismo", a ideologia do socialismo é linda e ´JUSTA. A questão é: quem vai ser o fascista que vai comandar os sistemas? Hitler e Mussolini eram capitalistas, são tão demoníacos quanto Stain ou qualquer outro. Não critique o sistema em si, o estude melhor. Crítique o ser humano que o "possuí".

      Excluir
    2. Falou perfeitamente amigo(a) anônimo(a). O socialismo prega que todas as propriedades são do estado, portanto perante o estado todas pessoas seriam iguais. Essa ideia de igualdade é perfeita, porém utópica. Por exemplo, na antiga União Soviética as padarias pertenciam ao Estado, que destinava uma pessoa a ser administrador da padaria. Lá eles se vangloriavam de ter o pão mais barato do mundo, mas o povo passava fome, pois eram produzidos poucos pães a preço baixo, o resto era produzido para vender no mercado negro, e o dinheiro ia para o bolso do corrupto administrador da padaria...Outro exemplo acontece em Cuba, as crianças que tem boas aptidões para o esporte são colocadas em turmas especiais, sendo que sua educação vai se concentrar nessa sua aptidão, o que por um lado é bom, mas vai que o menino ou menina gostaria de ser dentista, ao invés de corredor?

      A ideia fundamental do socialismo é muito bela, mas a corrupção humana estraga tudo...

      Excluir
    3. Agora entendem o porque da expressão "comunistas comem criancinhas".

      Anonimo, não fala merda. É patético você mandar alguém estudar quando você mesmo não fez a lição de casa.

      Hitler e Mussolini capitalistas aonde? O termo "nacional-SOCIALISMO" para você tem a ver com "capitalismo"? Tem um documentário de um diretor leto falando sobre Holodomor e principalmente sobre como Hitler tinha todas suas inspirações no comunismo. A parte dos postêres é basicamente um "se não entende eu desenho".

      http://www.youtube.com/watch?v=jUIBDESr-yY

      Ademais, o suporte soviético a Hitler, o treinamento dado por oficiais do Exército Vermelho a Wehrmacht e principalmente o pacto Ribbentrop-Molotov falam por si.

      Agora, falar que socialismo é "justo" faz tanto sentido quanto defender a escravidão. Afinal, socialismo é tão "justo" que precisa ser forçado para ser aceito. Aonde que um sistema onde todas as relações voluntárias são suprimidas pelo Estado, cuja vontade é imposta a força a todos, é "justo"? PQP...

      Excluir
    4. Só para ficar clarificar o óbvio que muita gente não consegue enxergar..."Capitalismo" por definição significa livre mercado, livre iniciativa, lucros privados/prejuízos TAMBÉM privados.

      Hitler e Mussolini eram fascistas. Fascismo é corporativismo; o Estado escolhe suas empresas favoritas dá a elas proteção contra a livre-concorrência, impondo regulações e outras barreiras que só as empresas amigas conseguem cumprir. Ademais todas as grandes empresas ficavam sujeitas à planificação estatal; produziam conforme ordens do Estado, trabalhavam para atender ao Estado, e não ao mercado. Isso é capitalismo pra você?

      Ao Noite, existe todo um trabalho do Ludwig von Mises explicando o porque do socialismo ser inviável na prática, "O cálculo econômico sob o socialismo" é o nome da obra. Mas dá pra resumir a ideia porcamente:

      "No Socialismo não há propriedade privada. Sem propriedade privada, não se pode comprar ou vender nada, pois nada é seu, ou se é seu, também é de outros e você não pode vender/comprar. Sem compra/venda não há mercado, nem formação de preços. Sem preços, não há como saber se uma mercadoria está em falta ou sobrando, pois não há um preço refletindo sua oferta/escassez. Sem o Sistema de Preços indicando as melhores quantidades a serem produzidas, toda produção é especulativa, cega e fadada ao desastre".

      É por isso que faltava, digamos, sapatos, trigos e se produzia aço para jogar fora. Os líderes soviéticos não tinham dado nenhum, as estatísticas todas falsas, forjadas, as decisões arbitrárias ou tomadas com base nesses dados falsos, e a produção um caos.

      Além de que, justamente por isso, 60% da economia era estatizada, os outros 40% eram deixados livres no Mercado Negro para que a economia rodasse e o Estado não falisse. Vendo desse ponto, o Brasil da Ditadura Militar de "Direita" foi mais socialista que a União Soviética, já que por aqui os militares estatizaram 70% da economia.

      Excluir
    5. O cara manda os outros estudarem ao mesmo tempo que a defecada mental é expelida pelos ouvidos e escorrega pelos braços, mãos e dedos, até criar forma de uma aberração dessa natureza: "Hitler e Mussolini eram capitalistas". O próprio Fascismo foi idealizado a partir das ideias socialistas. Mussolini fazia parte do Partido Socialista Italiano. Não passe vergonha pública, meu filho e vê se vc aprende a ler direito.

      Excluir
    6. Hitler e Mussolini eram capitalistas sim.

      Excluir

Página do Facebook

Publicidade 1

Noite Sinistra no YouTube

Postagem em destaque

O misterioso perfil do Facebook de Karin Catherine Waldegrave