17/06/2014

Experimento da NASA que teve sexo com golfinho e terminou com o suicídio do animal


Olá  galera atormentada. Hoje contamos com uma dica de postagem do nosso querido comparsa amigo e parceiro, o senhor Leon Leonidas, do ótimo blog Predomínio do Terror. O amigo Leon sugeriu um link, que acabou servindo como principal fonte de pesquisa para a criação dessa postagem pra lá de bizarra, como os amigos podem perceber pelo título.

E a paixão proibida entre uma mulher e um golfinho pode terminar no suicídio do pobre animal. Essa história completamente maluca aconteceu de verdade, e foi parte de um estudo bizarro e desastroso feito pela NASA nos anos 1960. Não é a primeira história esquisita sobre a NASA, mas com certeza é a mais estranha delas.


Margaret Howe Lovatt, uma pesquisadora de animais, estudava golfinhos nos anos 1960 como parte de um projeto financiado pela NASA nas Ilhas Virgens. A ideia era que ela ensinasse um jovem golfinho chamado Peter a falar inglês – a NASA queria ensinar animais a falar, simples assim. Lovatt se aproximou bastante de Peter e, por dez meses, eles dividiram a mesma casa-aquário. “Peter gostava de estar comigo. Ele se esfregava nos meus joelhos, nos meus pés ou nas minhas mãos, e eu permitia, porque não era desconfortável para mim”, explicou.


O problema é que o golfinho tinha as suas necessidades sexuais. Inicialmente, ela liberava Peter para ir brincar com Pamela e Sissy, duas fêmeas que também faziam parte do experimento de ensinar golfinhos a falar. Mas Peter queria sempre mais – e estava cada vez mais difícil e trabalhoso colocá-lo em um elevador para soltá-lo no aquário onde estavam as duas garotas.


Foi aí que Lovatt percebeu que seria mais fácil ela fazer o trabalho "sujo". Ela decidiu colocar a mão na massa. “Se tornou parte do que eu estava fazendo. Como uma coceira – é melhor se livrar logo dela, coce e siga em frente. E era assim que funcionava. Não era algo privado. Pessoas poderiam observar.” Ela explica que, por mais que o ato fosse sexual para Peter, para ela não era – era algo mais sensual.

Anos depois, a história da mulher que fez sexo com um golfinho foi parar na revista Hustler. “O pior experimento do mundo, eu li em algum lugar, foi o que envolveu Peter e eu. Não me importo. Mas não era o importante, nem o resultado dele. Então eu simplesmente ignoro”, explica Lovatt. A NASA não conseguiu ensinar animais a falar inglês – além do escândalo envolvendo a relação entre Lovatt e Peter, rumores de que os animais também passavam por testes com LSD encerraram prematuramente os estudos.


Mas, se Lovatt consegue sorrir hoje em dia, após anos em silêncio, o mesmo não pode ser dito sobre o pobre Peter. Ele realmente gostava de Lovatt – ele estava apaixonado por ela. Ao fim do experimento, Peter foi levado para um outro laboratório em Miami, onde ficou em um pequeno tanque quase sem receber luz solar. Algumas semanas depois, Lovatt recebeu uma ligação.

“Recebi um telefonema de John Lilly [um dos cientistas responsáveis pelo estudo]. John ligou para me contar. Ele disse que Peter cometeu suicídio.”


Mas como poderia um golfinho cometer suicídio? Segundo o pesquisador Ric O'Barry "Os golfinhos não são capazes de respirar automaticamente como nós somos", explica ele. "Cada respiração é um esforço consciente. Se a vida se torna insuportável, os golfinhos apenas podem tomar um fôlego e eles vão para o fundo. Eles não voltam a superfície para a próxima respiração".


O pobre golfinho teve um final trágico. A história de Lovatt e Peter será contada no documentário “A mulher que falou com golfinhos”, produzido pela BBC4, que será transmitido no dia 17 de junho no Reino Unido. Abaixo você pode conferir um trailer – com Lovatt contando um pouco sobre seu relacionamento com o golfinho. No The Guardian, você pode conferir a história completa – em inglês.

Taylor...o texto ta falando em zoofilia...


Essa postagem é um oferecimento do amigo Leon Leonidas do blog Predomínio do Terror.


Fonte: Gizmodo

Quando amanhecer, você já será um de nós...

Não deixe de dar uma conferida nas redes sociais do blog Noite Sinistra...

 Siga o Noite Sinistra no Twitter   Noite Sinistra no Facebook   Comunidade Noite Sinistra no Google +   Noite Sinistra no Tumblr

CONFIRA OUTRAS POSTAGENS DO BLOG NOITE SINISTRA




VOLTAR PARA A PÁGINA INICIAL...

21 Comentários
Comentários
21 comentários:
  1. Nem sei o que é pior: essa mulher abusar de um golfinho (criatura mais fofa na natureza), ou a NASA querer ensinar esses animais a falar em inglês... pow nem eu consigo aprender essa m...

    Mas essa notícia é muito bizarra, eu que amo animais (não no sentido sexual) fiquei com maior dó desse golfinho que se suicidou. É o que acontece quando não tem um psicólogo por perto em caso de abuso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu tb não consegui entender qual a intenção da NASA em ensinar um animal a falar...será que eles queriam ensinar o golfinho a falar para mandar ele para o espaço?...ou esse era um teste de comunicação entre diferentes espécies visando a comunicação com ET?

      Maluquice total...

      Excluir
  2. WTF???

    E eu pensei que já tinha visto/lido de tudo

    Pobre Peter....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é...os cientistas e suas experiências malucas e os animais que se ferram...

      Excluir
  3. Elson Antonio Gomes17 de junho de 2014 16:16

    Interessantíssimo esta história Adm!

    Ela fez abrir minhas ideias e já criar uma teoria para o pq a "NOAA" obrigou a "Discovery" através de seu canal "Animal Planet" a desmentir o documentário que eles fizeram sobre as sereias e me censurar no meu canal do Youtube por ter postado este documentário. Apesar que para quem assistiu este documentário do "Animal Planet", ele foi feito como se as sereias fossem parte da evolução seguindo as teorias de Darwin, mas após ler esta postagem, será que os psicóticos estadunidenses não conseguiram criar um híbrido entre um homem e peixe (apesar de golfinho ser mamífero) e esta experiencia ter saído do controle e termos uma nova espécie.

    Creio que se cavar mais fundo, acharemos mais coisas a respeito disso.

    O problema é: cavar aonde?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não sei não Elson, acho que esse não era bem o foco da pesquisa....mas vai duvidar neah?

      Excluir
  4. Matéria interessante Nando.É curioso ver até onde chega a ambição de certos cientistas,que ultrapassam limites extremos,apenas para provar algo que é remotamente impossível,e o pior de tudo é que continuam a usar animais que não fazem a menor ideia do que estão fazendo,é uma crueldade sem tamanho,pois os animais se apegam aos seus criadores,treinadores e etc.São por experimentos assim que vejo que a grande maioria da humanidade não tem escrúpulos.

    Ps.
    Não tem nada a ver com o assunto,mas espero que vc tenha recebido o email que te enviei rsrs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. a minha maior dúvida é com relação a necessidade de um experimento que vise fazer um golfinho falar...isso é muito louco...

      Não recebi seu e-mail não Marciela...só aquele a respeito da descrição lá...

      Excluir
    2. É esse sobre a descrição mesmo Nando,tem as imagens e um texto pequeno,espero que esteve tenha recebido,pq descobri que além de não estar recebendo alguns emails,alguns não estão sendo enviados tbm...

      Excluir
    3. Recebi sim...eu só ainda não postei porque ficou faltando alguns...

      Excluir
  5. Eu li umas 10 vezes o titulo pra ver se não tinha lido errado kkk
    nem sei o que dizer sobre isso...

    Quanto ao documentario das sereis citado ai em cima é bem interessante , não sei se é o mesmo mas eu vi esse aqui que é bem interessante , confiram : https://www.youtube.com/watch?v=_risXeiXZlU

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa é uma das postagens mais bizarras aqui do blog...rsrsrsr

      Recomendo a todos assistir esse documentário que o Elson falou e que o Silvio ta compartilhando aqui...

      Excluir
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    3. Elson Antonio Gomes19 de junho de 2014 05:18

      Silvio, este é o segundo.

      Um programa que procurou o pesquisador para lhe mostrar outra prova. O legal deste é a feição do rosto do pesquisador quando ele vê o vídeo. Mas o primeiro que eu cito tem para baixar neste endereço: http://www.bestdocs.com.br/2012/12/animal-planet-especial-sereias.html
      ou alguém pode tentar acessar o do meu canal no "Youtube" que esta bloqueado, mas não entendo como tem gente que consegue assistir e outras não:https://www.youtube.com/watch?v=AD5h-K4TKGQ

      Abraços a todos!!!

      Excluir
    4. Opa vou baixar para assistir , é o canal ta bloqueado , revindicaram direitos autorais , e tres videos excluidos por isso ou por outra coisa o canal do youtoba ja era , tbm perdi o meu

      Excluir
  6. Respostas
    1. uma coisa ficou em aberto...falou-se que o experimento foi encerado por causa de alegações a respeito de uso de LSD nos animais e pela pressão pública a respeito do assunto...mas será que o experimento não acabou sendo cortado porque outros pesquisadores acabaram percebendo o envolvimento entre a doutora e o golfinho...tipo talvez tudo isso acabou se tornando pessoal demais para ela tb...e isso motivou o encerramento da pesquisa...

      Excluir
    2. Com certeza,muito pessoal, até demais! Acho que esse lance do LSD foi só uma desculpa, mas do jeito que essa história é bizarra, não podemos descartar nenhuma possibilidade rsrs

      Excluir
  7. ISSO ERA PRA ME DEIXAR ASSUSTADO OU EXCITADO????

    ResponderExcluir
  8. Elson Antonio Gomes19 de junho de 2014 20:45

    É, começaram dizendo que este documentário era proibido em alguns países; indaguei dizendo que não era proibido no Brasil; aí reivindicaram 02 direitos autorais; quando consegui sair de um, colocaram mais 17; aí cansa né?!

    Mas verifiquei que este endereço para baixar está ativo. Assista e se puder divulgue, pois se os estadunidenses estão fazendo esta força para extinguir com o documentário, alguma coisa tem por de trás.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Elson Antonio Gomes19 de junho de 2014 20:53

      Adm, por gentileza, este comentário acima é resposta para o "Silvio OMR". Eu acabei digitando errado, desculpa!

      Excluir

Página do Facebook

Publicidade 1

Noite Sinistra no YouTube

Postagem em destaque

O misterioso perfil do Facebook de Karin Catherine Waldegrave