09/10/2014

Assombrações em Edwards School


Na cidade de Barnegat, estado de Nova Jersey, podemos encontrar a escola Elizabeth V. Edwards. A instituição de ensino primário acabou sendo fechada no ano de 2004, e desde então relatos de assombração passaram a se tornar comuns entre os membros da comunidade. Convido todos os amigos e amigas a conhecerem mais esse impressionante local, assim como um pouco da sua história e sobre os relatos de assombração.

A pequena escola pública de ensino foi fundada no ano de 1930, serviu de local de ensino para crianças dos anos iniciais até a quinta série, mas atualmente é alvo de histórias de assombrações, que são contadas por pessoas da comunidade, ou por funcionários responsáveis pela manutenção do prédio da antiga escola, que passou a ser conhecido como o mais famoso lugar assombrado na cidade. Bill Cox, coordenador de setor de transporte e de segurança das escolas municipais de Barnegat confirma as histórias de assombração. Segundo ele a escola provavelmente é assombrada pela pessoa que dá nome a instituição Elizabeth V. Edwards - "Não sabemos com certeza se é Lizzy (Edwards) que está assombrando a escola, mas se for ela, ela é um fantasma bom."

Segundo relatos de pessoas que trabalharam no local, o fantasma da escola Elizabeth V. Edwards, não é um fantasma agressivo. Suas ações costumam ser ligar e desligar luzes e bater em armários. Algumas pessoas afirmaram que dentro da escola podia-se ouvir constantemente músicas que remetiam aos anos de 1940.

Esses relatos de assombração na escola Edwards, acabaram chamando a atenção do programa de Ghost Hunters da rede Syfy. O programa é famoso por investigar suspeitas de atividade paranormal em todos os EUA.


Art Walshe, um trabalhador de manutenção no distrito escolar, acha que a assombração pode ser autêntica. Ele disse que viu um fantasma - a imagem de uma mulher translúcida com um vestido estampado floral com os cabelos presos no alto da cabeça. Em outra ocasião, ele disse que viu a mesma mulher e um par de calças cáqui ao lado dela, mas ele não conseguia distinguir as figuras vestindo as calças.

"Eu acredito que eu vi Ms. Edwards", disse Walshe.


Quem foi Elizabeth V. Edwards

Elizabeth V. Edwards era uma professora da cidade de Barnegat. Ela foi uma educadora de grande destaque e conhecida por sua imensa dedicação na cidade. Ela teria lecionado até o ano de sua morte, em 1965. Por sua dedicação a pequena escola onde ela trabalhou acabou rebatizada com seu nome.


Os habitantes de Barnegat afirmam com convicção que se há algum espírito agindo na escola Edwards, esse espírito seria Elizabeth, ou Lizzy como ela é carinhosamente conhecida.

Os relatos

Hoje o prédio da antiga escola está cada vez mais deteriorado, a tinta das paredes começa a descascar. Os antigos armários dos estudantes estão abertos e vazios. Pilhas de cadeiras podem ser vistas em algumas salas e os corredores do colégio estão mergulhados em um silêncio perturbador.


Bill Cox, cujo escritório fica ao lado da escola abandonada, tinha ouvido rumores de que o edifício Edwards foi assombrado quando assumiu seu cargo em 2006. Na época Cox, que é um detetive do departamento de homicídios aposentado de Nova York, não deu muita importância para as histórias.

"Eu acho que eu estava um pouco cético", disse Cox.

Hoje, ele é bem menos cético.

A escola Edwards parou de receber alunos em 2004, pois a manutenção do prédio da instituição havia se tornado muito cara. Segundo Cox, hoje em dia o município zela pelo prédio para que ele não seja tomado por vândalos.


Certa noite Cox teve que vir ao local, pois um alarme havia sido disparado. Eram 02:00 horas das madrugada quando ele chegou ao seu escritório. Quando ele chegou ao local percebeu que as luzes de uma das salas no segundo andar do prédio da antiga escola estavam ligadas. Como estava chovendo Cox decidiu que seria melhor entrar no prédio na manhã seguinte para desligar as luzes.

Quando voltou horas depois, Cox disse que subiu até o segundo andar com um colega para apagar as luzes e descobriu que o quarto que foi iluminado na noite anterior não tinha lâmpadas instaladas. As lâmpadas fluorescentes haviam sido retiradas e empilhadas no chão há algumas semanas antes desse ocorrido.


Outros funcionários tiveram outros eventos anormais no edifício.

Walshe passou dois anos trabalhando na manutenção do prédio da escola Edwards. A maioria desse tempo ele foi a única pessoa responsável por fazer reparos no lugar. Uma noite, em 2006, ele presenciou algo que o fez correr para fora do edifício em pânico.

Walshe disse que ele estava trabalhando em um turno que começava as 15 horas e se estendia até as 23 horas. Por volta das 22 horas daquele dia, ele estava de pé em uma escada, próximo do auditório escuro da escola.


"Eu comecei a ouvir um som de estalos", lembrou Walshe. "Eu olho para baixo, e eu comecei a ver a porta abaixo se mover me empurrando. Isso realmente me assustou. Eu não conseguia nem descer a escada. Eu literalmente deslizei para baixo."


Walshe correu em pânico para fora da escola, mas sua experiência ainda não havia terminado. Quando ele retornou ao prédio para recolher a sua escada, ele a encontrou em outro corredor.

Nesse momento ele teve certeza de que a escola era assombrada, pois ele havia passado horas dentro do prédio da escola aquele dia sozinho, e do nada a porta começou a se mover sozinha, com força suficiente para empurra-lo.

Depois desse episódio Walshe pediu transferência de turno. Ele queria trabalhar durante o dia, e assim evitar ter que ir a noite para a escola Edwards. Mas mesmo durante o dia ele acabou presenciando fenômenos não naturais dentro da escola.

Uma tarde, Walshe disse que estava trabalhando em um corredor, quando ouviu um telefone tocar no edifício vazio. Ele seguiu o som até o escritório do ex-diretor e viu um telefone giratório velho deitado no chão. O telefone não estava plugado na parede.

Para Walshe o telefone foi uma forma que os espíritos encontraram para avisar ele de que eles estavam lá.

Investigações paranormais em Edwards School

Cox reuniu o grupo South Jersey Paranormal Research, no ano de 2013 para investigar a atividade anormal no interior da escola abandonada. Susan Bove, fundadora do grupo de pesquisa, se recusou a ser entrevistado sobre as conclusões da investigação, mas Cox disse que ouviu vozes em gravações feitas, segundo ele as vozes não pertenciam a ninguém do grupo de investigadores;


A Escola Edwards também chamou a atenção de cineastas de Ghost Hunters, que filmou um episódio lá em janeiro de 2014. O episódio, chamado "A Textbook Case," está agendado para o ar dia 15 de outubro no canal Syfy.

"Eu sou um católico devoto", afirma Cox, "então isso é um pouco difícil. Eu não deveria acreditar em fantasmas."


Fonte: USA Today

Quando amanhecer, você já será um de nós...

Não deixe de dar uma conferida nas redes sociais do blog Noite Sinistra...

 Siga o Noite Sinistra no Twitter   Noite Sinistra no Facebook   Comunidade Noite Sinistra no Google +   Noite Sinistra no Tumblr

CONFIRA OUTRAS POSTAGENS DO BLOG NOITE SINISTRA



Links Relacionados:

VOLTAR PARA A PÁGINA INICIAL...

1 Comentários
Comentários
Um comentário:
  1. Já comentei isso: Eita país para ter assombração a baciada! Poderia rolar um intercambio com o Brasil.

    ResponderExcluir

Página do Facebook

Publicidade 1

Postagem em destaque

O misterioso perfil do Facebook de Karin Catherine Waldegrave