11/08/2015

Eventos ufológicos em Peruíbe


Em muitos lugares ao redor do mundo existem regiões e cidades onde as pessoas afirmam que existem altos índices de avistamentos de Objetos Voadores Não Identificados (OVNIs), e de atividades alegadamente extraterrestres. Esses lugares costumam atrair curiosos, entusiastas e pesquisadores dos eventos UFO. Hoje na série sobre “Histórias e Lendas brasileiras” falaremos sobre os estranhos eventos que tem acontecido ao longo dos anos na cidade paulista de Peruíbe.

Os muitos relatos de moradores e visitantes são encarados com seriedade pela administração municipal de Peruíbe. A cidade possui um céu límpido graças à falta de indústrias, uma vez que sua área encontra-se ao abrigo de uma das mais importantes reservas naturais do mundo: a Estação Ecológica Jureia-Itatins.

O interesse pelo assunto, que já atinge âmbito nacional, motivou a prefeitura local a instituir um passeio turístico inusitado: o roteiro ufológico. O itinerário, único de caráter oficial em todo o país, conta com oito pontos propícios para se avistar os supostos objetos não identificados. “Criamos este percurso devido ao grande número de relatos sobre avistamentos. Os pontos escolhidos são os que mais registram ocorrências”, explica o ex-secretário municipal de Turismo e presidente da Associação Comercial da cidade, João Fioribelli Jr. Ele mesmo afirma que já teve a oportunidade de ver a tal luz forte no céu por três vezes.


As luzes não seguem um único padrão. Podem variar entre fortes e fracas, assim como ter cores, geralmente vermelho e amarelo. Avistamentos de bolas de fogo também são comuns e, de forma mais concreta, há quem afirme que já viu naves de diversas formas geométricas.

Avistamentos de OVNIs

Como já foi visto acima, diversos casos de avistamentos estranhos já aconteceram na cidade de Peruíbe, sendo testemunhados por diversas pessoas. Abaixo poderemos conferir alguns desses casos.

Disco Voador pousa em Bairro de Peruíbe

No dia 18 de agosto de 2008, moradores do bairro São José relataram que uma “nave” com cerca de 15 metros de diâmetro teria pousado em um matagal. O fenômeno foi acompanhado por um apagão nas casas da região.


Avistamentos de José Antunes Souza

Em 2009 o especialista em informática José Antunes Souza (Esse é um nome fictício, adotado por motivos de anonimato, afinal de contas muitas pessoas são ridicularizadas quando alegam ter tido experiências com supostos extraterrestres), que após mudar-se para a cidade, tem sido uma das principais testemunhas de fatos que parecem ter se intensificado naquela temporada de verão. Souza foi testemunha, junto de sua esposa e filhos, de luzes não identificadas à baixa altitude, inclusive sobre sua residência.


O primeiro avistamento ocorreu em 13 de dezembro, por volta das 21h30, quando seu filho chegou em casa relatando ter visto estranhas imagens no céu. Pai e filho contataram então Suséliton Saga, ufólogo local e consultor da Revista UFO. Souza foi informado de que tais eventos estavam se dando com regularidade em toda a área litorânea de Peruíbe, e resolveu ficar mais atento para ter novas experiências – que não tardaram a ocorrer. Ele e sua família, desde então, já tiveram quase três dúzias de avistamentos.

Ainda em 13 de dezembro, Saga voltou a ligar para Souza e ambos foram a um local tentar nova observação. Foi quando ocorreu o avistamento de uma intensa luz que surgiu sobre o oceano para sumir em seguida. Minutos depois, uma nova luminosidade apareceu, desta vez bem acima de uma pequena ilha que fica entre Peruíbe e a vizinha Itanhaém. O artefato que emitia o brilho ficou cada vez mais forte, até espantar pelo tamanho. Em seguida, Souza e familiares puderam ver outros dois objetos emitindo idêntica luz, e um em cima do outro passaram piscando sobre o local. O que estava em cima chegou a parar por alguns instantes sobre a praia, e o debaixo simplesmente se apagou. Logo depois ambos reapareceram e se juntaram a uma terceira luz, formando um triângulo no céu.

Em 18 de dezembro a família voltou a testemunhar fenômenos inusitados. Desta vez, uma nave se aproximou lentamente, parou em cima de sua residência a menos de 500 metros de altura, fez uma curva de 180 graus e foi embora. Ainda em 2009 novas luzes foram testemunhadas, nos dia 20, 25 e 29 de dezembro, sempre se locomovendo no sentido da Reserva Ecológica da Juréia para Itanhaém. Já em 2010, o primeiro avistamento de Souza ocorreu em 07 de janeiro. Nesta noite, no período entre 19h00 e 22h45, mais de uma dezena de luzes não identificadas foram observadas. No dia 17, um novo objeto foi visto realizando manobras sobre Peruíbe, até deslocar-se em linha reta também no sentido da Juréia para Itanhaém. O último relato recebido se refere a um caso ocorrido em 02 de fevereiro, quando uma forte luz surgiu no céu, ficando estática por uns 10 minutos para depois se deslocar lentamente no sentido sul-norte, apagando-se durante o percurso. Souza continua vigilante.

Criatura avistada Deslisando na praia do Guaraú

Frequentadora da Praia do Guaraú a estudante Gabrielli Marques, na época com 19 anos, diz ter visto algo bem incomum no dia 20 de Maio de 2012: deslizando pela areia, um homem vestido de branco cruzou a orla em direção às pedras. Em poucos segundos, o tal ser misterioso sumiu em um matagal. “Parecia uma pessoa de tamanho normal, mas se locomovia mais rápido, sem fazer movimento com as pernas”, conta ela.

Gabrielli Marques

Avistamento coletivo relatado em 2013

Na madrugada de domingo (17/02/2013) para segunda-feira (18), pouco mais de dez pessoas afirmaram ter visto uma forte luz azul no céu de Peruíbe. Por volta das 23h40 quando voltava da Praça Ambrósio Baldim com a família, a turista Gisele Aparecida Santos Costa avistou um objeto estranho em meio às estrelas.


Segundo ela, era uma luz azulada forte que parecia bem próxima de uma residência na região da Av. Padre Anchieta, altura do número 740.

“Chamou muito atenção aquele ponto de luz no céu. Tinha hora que escurecia, girava e era possível observar três focos de luz na cor azul”, contou.

Segundo relatos da família de turistas e de munícipes que estavam no local, a luz fazia rápidas movimentações, subindo na vertical, depois ‘rasgando’ uma parte do céu na horizontal.

“No começo parecia bem perto (a luz), depois foi ficando distante. Ela se movimentava em linha reta e piscava constantemente. Parecia que o objeto girava e a luz refletia forte”, observou.

Não é a primeira vez que turistas e moradores afirmam ter visto pontos de luz pelo céu da Cidade. As amigas Thaisa Azevedo e Gabriela Moreira logo disseram que o objeto parecia um ‘disco voador’.


Avistamentos de Silas Costa

Silas Costa é pescador. De sua casa simples em Peruíbe, encravada à beira do mangue, tem uma vista privilegiada: a serra do Mar. Silas possui um píer privativo, onde está ancorado o seu barco. Às 4h30 sai para pescar, e é nesse horário que costuma ter suas visões: “Do morro em direção ao mar, num trajeto que não costuma passar aviões e abaixo das nuvens, é comum ver uma luz forte”, relata. Para ele, essa luz tem uma explicação muito clara: “é um objeto voador não identificado”. A revelação de que ovinis sobrevoam a cidade não choca moradores e turistas desse município localizado entre o mar e a montanha, no extremo sul do litoral paulista, até porque a luz descrita por Silas, também costuma ser vista por diversas outras pessoas na região.


Silas diz que chegou a correr de uma delas, com receio de ser abduzido. “Uma vez, uma nave muito parecida com um ônibus me acompanhou no trajeto de volta para casa. Ela estava muito próxima, a cerca de 20 metros de distância. Foi a única ocasião em que senti medo com esses fenômenos”, afirma o pescador.

Cães morrem após OVNI aparecer no céu de Peruíbe

Segundo moradores de Peruíbe, cinco cães morreram, e outros tantos apareceram com estranhos ferimentos, após uma luz intensa aparecer no céu da cidade em setembro de 2013. Um morador conseguiu fotografar o objeto no céu noturno.



Mais abaixo os amigos e amigas poderão conferir uma matéria feita pelo programa Balanço Geral da rede Record falando do assunto. Reportagem de Lorena Coutinho. Vale a observação que a reportagem, exibida no programa Balanço Geral, é um tanto exagerada.


Turismo ufológico

Histórias de avistamentos de esferas luminosas e estranhos casos supostamente extraterrestres, tem levado cada vez mais pessoas à cidade, atrás de experiências com seres extraterrestres ou, simplesmente, por curiosidade. Ufólogos montam acampamento no município quando um novo relato é registrado. “Vamos para pesquisar a fundo casos que aconteceram por lá. Assim, entrevistamos testemunhas e colhemos materiais para análise. Tentamos fazer uma investigação completa”, explicou o ufólogo Wallacy Albino, morador de Guarujá.

Autor de dois livros sobre o assunto e fundador do Grupo de Estudos Ufológicos da Baixada Santista, Wallacy suspeita que a aparição constante desses ovnis em Peruíbe acontece por causa da Estação Ecológica Jureia-Itatins. “É uma região preservada que esconde muitos mistérios e é rica em minérios, que faz com que a casuística seja maior”.

Ufólogo da capital paulista e autor de livros sobre o assunto, Paulo Aníbal vai além: “Peruíbe conta com algumas coisas bem estratégicas que atraem esses ovnis, como a riqueza mineralógica, a geologia, os produtos genéticos e a natureza abundante”. Aníbal, que há 25 anos estuda o fenômeno, elogia a forma como a administração pública municipal trata o assunto: “A única prefeitura em todo o Brasil que tornou esse roteiro oficial é a de Peruíbe, e isso é muito bom porque nos dá a oportunidade de documentar os eventos de maneira mais consistente”.

No início de 2001, realizou-se o 1º Congresso Ufológico de Peruíbe, que reuniu 800 pessoas para discutir o fenômeno. Ao longo dos anos o congresso já contou com conferencistas de todo o país, além de quatro palestrantes internacionais.

A Secretaria de Turismo não tem dados concretos sobre o número de pessoas interessadas no assunto que vão à cidade exclusivamente por causa do roteiro alienígena. Contudo, João afirma que a procura tem crescido. “Temos como base o aumento de participantes no último congresso. Como apenas quatro cidades no mundo realizam encontros a respeito do assunto, Peruíbe destaca-se por estar entre elas e ser a única no Brasil a tratar a ufologia com seriedade”, explicou o ex-secretário.

Há quem esteja disposto a desembolsar de R$ 20,00 até R$ 180,00 pelo passeio em pontos de avistamentos. A única agência de turismo na cidade que realiza o roteiro é a empresa Na Trilha da Jureia. “A excursão pode levar de quatro horas até o dia inteiro, dependendo do que for fechado com o participante”, explica Eduardo Monteiro Ribas, proprietário da agência.

Segundo ele, a busca pelo roteiro acontece com mais frequência no período do congresso, depois diminui. “A procura é incipiente, mas curiosa, já que chega a atrair pessoas que nem acreditam em vida extraterrestre”.

Contudo, é um fenômeno que não se pode ignorar, já que ajuda a aquecer a economia local. Diz João: “Uma pessoa de fora que chega à cidade atraída por esse roteiro, gasta, em média, R$ 150,00 por dia, fora a hospedagem. Isso traz retorno para o município”.

Conhecida como Capital Nacional do Disco Voador, a cidade, contudo, não prima pela divulgação e exploração do roteiro. Os pontos de avistamentos propostos não contam com placas informativas. “Isso é um erro, pois os que vêm de fora não conseguem chegar sozinhos aos lugares apresentados nos materiais de divulgação da prefeitura. Muitas vezes, passam pelo ponto e não sabem que ali é o lugar que procuram. Se, por acaso descobrem, não têm como conhecer a história daquele lugar sem a ajuda de um morador local”, reclama Keila Andrea Costa, ufóloga e fundadora do Grupo de Estudos e Pesquisas Ufológicas de Peruíbe.

Roteiro extraterrestre

Além das luzes coloridas e dos fortes brilhos no céu, há relatos de pessoas que chegaram a ver seres iluminados que deslizam sem tocar o chão. Isso vai de acordo com antigas fábulas da cidade. Keila explica que Peruíbe tem muitas lendas sobre o assunto: “Dizem que no início da história da cidade uma nave caiu aqui, com um casal extraterrestre e a ‘mulher’ morreu na queda. O Exército capturou a nave e o corpo. Contam que, até hoje, o sobrevivente ronda por aí, procurando por sua companheira. Descrevem-no como um ser esbranquiçado, alto, de uns dois metros, que se move rapidamente”.

Segundo a ufóloga, a lenda vai além. Ela conta que há quem acredite que ele possa ‘morar’ no interior da Pedra da Serpente, um dos pontos de visitação sugeridos pelo Roteiro Ufológico. Ela está localizada na encosta da serra, pela entrada para o Guaraú. É uma imensa parede rochosa vertical, que possuía em relevo a ilustração de uma serpente enrolada – hoje ainda dá para ver as marcas do desenho na rocha. O local é apontado como pródigo em avistamentos de ovnis e de seres luminosos. Há relatos de que, à noite, é possível observar um desses seres, além de bolas de luz esbranquiçadas saindo da rocha em direção ao mar.

Pedra da Serpente, um dos pontos de visitação sugeridos pelo roteiro, está localizada na encosta da serra, pela entrada para o Guaraú
No mar, temos o segundo ponto: a Ilha da Queimada Grande. O local, moradia das temidas e venenosas cobras jararacas-ilhoa, conta com inúmeros avistamentos de ovnis e seres luminosos que, à noite, saem e entram no mar. “Alguns ufólogos acreditam que a base submarina desses seres extraterrenos fica embaixo da ilha”, explica o pescador Silas. Mas Wallacy contesta: “Isso é bobagem. Não tem como ter uma base ali, porque nosso mar não é tão profundo para isso”.

A região do Guaraú, tanto a praia quanto a serra, também está inclusa na rota dos ETs. A praia do Perequê é outra que acumula inúmeros relatos ufológicos. Foi numa praia que João Fioribelli Jr teve seus avistamentos. Em uma das ocasiões, o secretário estava caminhando pela areia com sua família, na região das Ruínas do Abarebebê, quando avistou uma imensa luz esbranquiçada. O fenômeno durou cerca de 15 minutos, chegando a pairar no céu bem acima da família.

A praia de Barra do Una está no itinerário por conta do relato de um casal local que, de madrugada, viu uma enorme bola de luz branca, pairando sobre a areia da praia. Segundo narração publicada no site da prefeitura, dois seres luminosos, que flutuavam bem próximos ao chão, saíram dessa bola, e um deles foi em direção ao casal, que correu da criatura. Então os seres voltaram para a nave que levantou voo sem emitir qualquer som.

O bairro de São José conta com uma ocorrência inusitada. Em 2008, um objeto desconhecido teria pousado num taboal, bem próximo à rodovia Padre Manuel da Nóbrega. Nesse local, uma marca oval foi constatada na manhã seguinte, onde a vegetação foi amassada, seguindo o mesmo padrão. Na ocasião, Wallacy e diversos outros ufólogos foram ao local para estudar as marcas.

A praia de Peruíbe e o Costão também são tidos como ótimos pontos de avistamentos de ufos. Numa vigília realizada em 2009, um ovni foi observado, realizando um movimento rápido. Ele saiu de Itanhaém e pairou a aproximadamente 500 metros à frente das poucas pessoas presentes. Segundo contam, o objeto voador não identificado afundou no mar.

Em três oportunidades, Ricardo Varela Correa, engenheiro do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), visitou Peruíbe e achou inusitada a proposta da prefeitura local. “É um roteiro interessante, pois abre um leque cultural à parte sobre um assunto que não é muito explorado turisticamente. Este é um itinerário que chama a atenção e, no turismo, tudo é válido”, diz.

Se no turismo ele aprova, na ciência a situação é diferente. Segundo o engenheiro, o Inpe não tem nenhum estudo realizado que constate tais fenômenos. “Não temos o que dizer sobre tais aparecimentos, pois cada declaração de avistamento faz parte da verdade subjetiva da pessoa”, afirma.



Quando amanhecer, você já será um de nós...


CONFIRA OUTRAS POSTAGENS DO BLOG NOITE SINISTRA




0 Comentários
Comentários
Nenhum comentário :

Página do Facebook

Publicidade 1

Postagem em destaque

O misterioso perfil do Facebook de Karin Catherine Waldegrave