05/04/2013

Nicolas Claux: O vampiro de Paris

Nascido em 22 de março de 1972, Nicolas Claux ficou conhecido como o Vampiro de Paris, e praticou crimes que envolveram o canibalismo e o vampirismo. Ele confessou vários crimes, dando detalhes de tal riqueza, que os investigadores ficaram boquiabertos. Nicolas confessou ser satanista praticante e adepto ao BDSM. Ele trabalhava no necrotério do Hospital St. Joseph, o que pôde ter dado inicio à sua sede sanguinária. Ele alegou gostar de comer tiras dos músculos dos mortos, deitados sobre a mesa do necrotério. Uma confissão detalhada de vários crimes foi feita, entretanto, a policia só conseguiu evidências que o ligasse ao homicídio de Thierry Bissonnier, um homossexual de 38 anos, morto a tiros, além de crimes de violação de túmulos e roubo qualificado. Nicolas Claux foi preso em 15 de novembro de 1994 em frente ao Moulin Rouge.

Uma busca na casa de Nico revelou suas manias bizarras. Haviam jarros furtados de cemitérios, bolsas de sangue roubadas de bancos de coleta de sangue, restos mortais não identificados, urnas mortuárias cheias de cinzas humanas e uma coleção de fitas e revistas de pornografia sadomasoquista. Nicolas tinha outro hobbie, esse não tão bizarro: Pintar. Suas pinturas retratavam serial killers famosos, assassinos do cinema, cemitérios e criaturas sobrenaturais.

O canibal recebeu pena reduzida, pois não era totalmente responsável por seus atos. Em maio de 1997, Nicolas foi condenado à 12 anos de reclusão, com possibilidade de condicional no ano 2000. Na cadeia, ele respondeu um relatório onde dizia ter "atração sexual por mulheres assassinas" e dizer "Não sou nenhum psicopata" aos cadáveres que desenterrava. Ele foi solto da prisão e hoje vive em Dublin, na Irlanda.

Confira abaixo algumas pinturas de Nicolas Claux:







Fonte: Famigerados:

Quando amanhecer, você já será um de nós...
0 Comentários
Comentários
Nenhum comentário :

Página do Facebook

Publicidade 1

Noite Sinistra no YouTube

Postagem em destaque

O misterioso perfil do Facebook de Karin Catherine Waldegrave