25/07/2014

A biblioteca de Nag Hammadi


Em uma manhã do ano de 1945, três irmãos camponeses residentes na cidade de Nag Hammadi, no Egito, saíram de casa sedentos por vingança. O seu pai havia sido assassinado dias atrás e o autor desse crime deveria sofrer as consequências na mesma moeda.

Após executarem o assassino a enxadadas, evadiram-se do local e partiram em busca de regiões ricas em terra vermelha, um fertilizante natural encontrado próximo a um paredão de rochas nas margens do rio Nilo.



Quem poderia imaginar que as mesmas enxadas utilizadas para ceifar a vida do criminoso, iriam encontrar um antigo jarro enterrado profundamente. Quebraram-no rapidamente em busca de ouro, mas o seu conteúdo era composto apenas de livros velhos.


Decepcionados, os irmãos carregaram os livros de volta para casa, sem nenhum cuidado no manuseio. Ao cair da noite, a mãe utilizou algumas folhas de papiro junto com gravetos para manter o fogo do lar vivo.


Algumas semanas se passaram desde a descoberta. Mohamed Ali al-Samman, um dos irmãos, com medo de ser identificado pela polícia, decidiu deixar a coleção de livros nas mãos do sacerdote Basílio.

Não demorou muito tempo para que os livros fossem enviados para o Museu Copta do Cairo, onde um trabalho de análise e tradução teve inicio.

Conteúdo

A coleção de livros foi nomeada de Biblioteca de Nag Hammadi em homenagem a cidade onde a descoberta aconteceu. Essa região sempre foi conhecida por ter uma forte presença cristã desde os primeiros anos do cristianismo.


As obras encontradas são de extrema importância para conhecermos o cristianismo primitivo, pois nos mostra a pluralidade de manifestações religiosas cristãs presentes nos séculos II, III e IV.

A coleção contém textos de diversas categorias: evangelhos apócrifos, poemas, descrições filosóficas, mitologia, magia e instruções para práticas místicas.

A biblioteca é composta por 13 códices escritos em copta (linguagem egípcia da era romana) e encadernados com couro de animais. No total, 52 documentos distintos foram identificados, entre eles o Evangelho de Tomé e o Evangelho de Maria Madalena.

Uma cópia do Corpus Hermeticum, livro muito antigo atribuído ao mestre egípcio Hermes Trimegistus, também faz parte desse magnífico acervo. Além dele, uma tradução parcial da obra A República de Platão.

A surpresa da comunidade acadêmica com essa descoberta foi grandiosa. Apesar de haver registros históricos sobre a existência de muitos dos documentos encontrados, não existia cópias completas dos mesmos.


Não há certeza acerca do ano em que as obras foram concebidas, mas sabemos que elas foram escritas, originalmente, na linguagem grega e traduzidas para o copta ente os anos 350-400.

Autores

A Biblioteca de Nag Hammadi pertencia a um movimento cristão conhecido, atualmente, como Gnósticos. A palavra grega ‘gnose’ significa conhecimento e os gnósticos eram aqueles que procuravam Deus através da busca pelo conhecimento.

Segundo Marcelo del Debbio: "Gnosticismo designa o movimento histórico e religioso cristão que floresceu durante os séculos II e III, cujas bases filosóficas eram as da antiga Gnose, com influências do neoplatonismo e dospitagóricos. Este movimento revindicava a posse de conhecimentos secretos (a “gnose apócrifa“, em grego) que, segundo eles, os tornava diferentes dos cristãos alheios a este conhecimento."

Não existe nenhum registro sobre a qual comunidade específica teria pertencido tão preciosa coleção. Uma pesquisa arqueológica feita na região da descoberta não forneceu nenhuma pista interessante. Além disso, não podemos encontrar nada nos textos que indique sua fonte.

Perseguição

Quando Constantino declarou o Cristianismo como religião oficial, os bispos católicos começaram uma perseguição ferrenha aos grupos considerados heréticos, sendo os gnósticos um dos mais perseguidos.

A biblioteca foi enterrada em meados do século IV, quando a repressão imposta pelos bispos católicos era uma das mais ferrenhas da história. Quem enterrou os códices dentro do jarro nas margens do rio Nilo sabia que o fim estava próximo e desejava salvar tais documentos para posteridade.

Os gnósticos foram exterminados completamente antes do final do século V. Enquanto eles meditavam e procuravam Deus dentro de si, o clero da Igreja Romana tinha os pés fincados no mundo material e procurava destruir tudo àquilo que ia contra os interesses políticos da instituição.


Apesar de ambos serem monoteístas e apoiarem a noção de que o ser humano foi criado à imagem e semelhança de Deus, os gnósticos e a igreja tinham opiniões bastante conflitantes sobre o nascimento, a vida e a morte de Jesus.

Fontes: Caos no Sistema e Wikipédia

Quando amanhecer, você já será um de nós...

Não deixe de dar uma conferida nas redes sociais do blog Noite Sinistra...

 Siga o Noite Sinistra no Twitter   Noite Sinistra no Facebook   Comunidade Noite Sinistra no Google +   Noite Sinistra no Tumblr

CONFIRA OUTRAS POSTAGENS DO BLOG NOITE SINISTRA




VOLTAR PARA A PÁGINA INICIAL...

9 Comentários
Comentários
9 comentários:
  1. Elson Antonio Gomes25 de julho de 2014 15:14

    Adm, ajuda aí. Estes livros não tem nada a ver com os "Manuscritos do Mar Morto"?
    São outros?
    Nooossa, preciso me atualizar mais!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os manuscrito do mar morto foram encontrado em Qumran na palestina. Mas esse manuscritos forma encontrados em épocas parecidas...O manuscritos do mar morto se referem a toda Bíblia Hebraica, exceto do Livro de Ester e do Livro de Neemias...

      Excluir
    2. Elson Antonio Gomes25 de julho de 2014 18:42

      Beleza!

      Excluir
  2. Detesto a igreja católica... só o tanto de segredos e de histórias que a mesma maqueou ou esconde para não ver seu fim... é só pesquisar para se ter uma ideia... e este é o meu ponto de vista, não estou criticando ninguém... só deixo claro para não acontecer igual ao outro post.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Elson Antonio Gomes25 de julho de 2014 16:21

      Mas de acordo com o Livro de Revelações, ela verá seu fim!
      "Anônimo", sabia que na época que não foi, mas dizem que foi o golpe militar e que os guerrilheiros também queriam dar o golpe que não conseguiram na época, mas estão conseguindo agora, também tinha um grupo de católicos querendo também dar um golpe e transformar o Brasil num segundo Vaticano.
      Imagina se eles conseguissem.

      Excluir
    2. Ao anônimo abobalhado como você sabe que ela, a Igreja, esconde segredos? Se são segredos como você sabe disso? E se são segredos como você sabe que eles tem potencial de destruir uma instituição com mais de 2 mil anos de História. Você não passa de um acéfalo. Um pobre coitado que nem consegue pensar direito.

      Excluir
  3. ELA QUEIMOU PARA MANTER O FOGO DA CASA ACESSO....o dó

    ResponderExcluir
  4. E só para informar gnosticismo não é e nunca foi uma doutrina cristã ou movimento cristão. Gnosticismo e um sistema dualista pagão muito anterior ao surgimento do cristianismo e que tentou se infiltrar no cristianismo sendo rechaçado pelo verdadeiro cristianismo. É um sistema pagão e tipicamente quem o defende são esses maçons fedorentos.

    ResponderExcluir
  5. Desculpe, mas essa matéria chegou ao cúmulo do risível ao dizer que os gnósticos procuravam Deus dentro de si. Mentira, o gnosticismo era e é ,pois ainda vive nos mais variados espectros políticos e filosóficos irracionais, um sistema que dizia que a palavra de Deus tinha sentido oculto que só uma elite poderia conhecer o que é uma tremenda besteira. Olha o que um imbecil gnóstico, Albert Pike, usando o gnosticismo diz sobre Adão:
    "falando sobre o relato do Gênesis sobre a criação e o Jardim do Éden, vemos Albert Pike afirmar que Adão e Eva tiveram um tempo muito difícil, até comerem do fruto proibido. Veja esta terrível torcedura das Escrituras:
    "... o Príncipe das Trevas... criou Adão... Para evitar que a luz escapasse imediatamente, os Demônios proibiram Adão de comer o fruto do 'conhecimento do bem e do mal' pelo qual ele teria conhecido o Império da Luz e o das Trevas. Ele obedeceu; um Anjo de Luz o induziu a transgredir, e deu-lhe os meios de obter a vitória, mas os Demônios criaram Eva, que o seduziu a um ato de sensualidade, que o fragilizou e o prendeu novamente nas amarras da matéria." [Albert Pike, Morals and Dogma, Ensinos do Vigésimo Sexto Grau, pág. 567]"

    Esse é o gnosticismo, INVERTER a palavra de Deus e criar um absurdo ridículo.

    Quem ouve os debbios deveria rever a veracidade do que esse maçon asqueroso escreve.

    ResponderExcluir

Página do Facebook

Publicidade 1

Noite Sinistra no YouTube

Postagem em destaque

O misterioso perfil do Facebook de Karin Catherine Waldegrave