07/09/2014

Doença misteriosa mantém aldeões em sono profundo


Moradores de uma aldeia quase abandonada chamada Krasnogorsk, bem como áreas ao redor da aldeia de Kalachi, no Cazaquistão, são propensos à misteriosa síndrome da ‘bela adormecida’.

Essa condição bizarra faz com que as pessoas repentinamente caiam no sono por até seis dias seguidos. É como um filme de horror ruim. A enfermidade assolou estas regiões e ninguém sabe a razão por detrás disso. Na maioria dos casos, o sono é acompanhado por perda de memória temporária.

Uma das primeira vítimas da síndrome foi Maria Felk, uma mulher que trabalha como ordenhadeira em Kalachi.

Eu estava ordenhando as vacas, como é de costume, cedo pela manhã, e caí no sono“, disse ela. “Eu não lembro de nada. Somente quando acordei. Eu estava no hospital. As enfermeiras sorriram para mim e disseram, ‘bem-vinda princesa do sono, você finalmente acordou’. O que mais eu lembro? Nada. Eu dormi por dois dias e duas noites. As mulheres na minha ala disseram que eu tentei acordar várias vezes, dizendo que precisava urgentemente ordenhar as vacas.”

Maria Felk
De forma interessante, a estranha enfermidade não está limitada somente aos moradores da região. Ela também afeta visitantes, como Alexey Gom, que estava visitando sua sogra em Kalachi.

Eu vim com a esposa, para visitar minha sogra“, disse ele. “Pela manhã eu quis finalizar meu trabalho. Liguei meu notebook, abri as páginas que precisava finalizar a leitura e foi só isso. Senti como se alguém tivesse pressionado um botão para me desligar. Acordei no hospital, com a minha esposa e sogra ao meu lado. O médico não encontrou nada de errado comigo após uma série de testes. Dormi por mais de 30 horas. Mas isto nunca aconteceu comigo antes, nunca na minha vida, nem para ninguém da minha família“, disse Alexey.

Alexey Gom
Há o rumor de que um homem foi dado como morto e enterrado vivo. Algumas pessoas tiveram episódios repetidos da anomalia, como Lyubov Belkova, uma vendedora de roupas no mercado local. Ela foi vítima do sono, não menos do que 7 vezes. Sua filha foi atingida duas vezes e sua neta de 15 anos de idade, uma vez. Seus colegas de trabalho no mercado também já foram atingidos pela enfermidade em dias diferentes.

É desconcertante o fato de algumas famílias serem afetadas repetidas vezes, enquanto outras parecem ser completamente imunes à enfermidade. O único fator em comum é que ela parece atingir principalmente os grupos étnicos alemães e russos. Não se sabe quando a enfermidade irá atingir, assim os aldeões sempre têm as malas prontas caso precisem ser levados ao hospital.

Quando a primeira epidemia ocorreu em 2013, os médicos pensaram que se tratava de um caso de vodca ruim. Mas nenhuma das seis pessoas que adormeceram então tinham consumido álcool. Alguns habitantes locais acreditam que o problema surge quando há um aumento na temperatura atmosférica. Outra teoria sugere que a água de uma mina de urânio próxima ao local esteja vazando nos rios da região, e sendo consumida pelos moradores.


Vários cientistas visitaram essa região remota, procurando por uma explicação pela epidemia do sono. Eles conduziram aproximadamente 7.000 experimentos no solo, água e nas amostras de sangue, cabelo e unha das vítimas. Todos os teste se provaram inconclusivos.


Fonte: OVNI Hoje

Quando amanhecer, você já será um de nós...

Não deixe de dar uma conferida nas redes sociais do blog Noite Sinistra...

 Siga o Noite Sinistra no Twitter   Noite Sinistra no Facebook   Comunidade Noite Sinistra no Google +   Noite Sinistra no Tumblr

CONFIRA OUTRAS POSTAGENS DO BLOG NOITE SINISTRA



VOLTAR PARA A PÁGINA INICIAL...

8 Comentários
Comentários
8 comentários:
  1. Isso pode ser perigoso. Imagina uma pessoa cair repentinamente no sono enquanto esta atravessando a rua ou dirigindo um carro, nessa região todo cuidado é pouco

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Elson Antonio Gomes7 de setembro de 2014 17:14

      Pode crer 'Fabrício'!

      Realmente além deste perigo de a pessoa estar conduzindo um veiculo, andando na rua, ou até trabalhando com algo que precisa de toda atenção. Ainda tem o risco de ser enterrada viva como nos diz o texto de que já há rumores de ter acontecido isso. Espero que só tenham sido rumores, pois não vejo um desespero maior de que acordar dentro de um caixão a sete palmos abaixo no solo.

      Por isso que meu desejo de quando morrer é de que meu corpo seja doado a uma faculdade de medicina para estudos de anatomia. A única coisa chata vai ser as alunas rindo do meu pinto pequeno.

      Mas este episódio é muito interessante, pois depois de vários testes feitos, ainda não conseguiram descobrir nada. Nem um resquício para poder dar um rumo as investigações. E o mais interessante é que só acontece com duas etnias.

      O jeito é dar uma pesquisada a mais e ver como fica os próximos capítulos.

      Excluir
    2. Amigo Elson, eu aconselho você a doar seus orgãos e ser cremado, pois ja tive amigos que fizeram faculdade de biologia e anatomia e me contaram que os cadaveres não passam de um circo escabroso, um tipo de diversão mórbida, os defuntos na verdade não sevem de fatos para estudos mais aprofundados.

      PS. : Eu também sempre tive esse medo de ser enterrado vivo, mas nesse caso, pelo que parece, as pessoas apenas dormem, não perdem os sinais vitais, como se fosse um desmaio súbito.

      Excluir
    3. Elson Antonio Gomes7 de setembro de 2014 19:35

      Eu sei 'Fabrício', depois de morto para estas pessoas, o corpo não passa de um simples objeto. É que eu fiz um pouco de humor negro sem graça. Mas mesmo assim, eu tenho um pensamento diferente de nossa cultura. Alguém que ler isto que estou escrevendo pode até ficar chateado e peço desculpas por isso, mas para mim depois da morte o corpo não significa nada.

      Não que tenha que abandona-lo por aí. Tem que ter todos os tramites legais e respeito com os familiares.

      Sou doador de órgãos. Só não sei se servirá alguma coisa. Por isso se me cremar, creio que a camada de ozônio acaba de vez.

      E o caso de ser enterrado vivo, creio que todos têm medo, mas se meus amigos colocarem várias garrafas de bons vinhos no meu caixão, fico de boa.

      Mas fiquei super curioso com esta postagem e vou ver se dou uma pesquisada a mais.

      Abraços fraternos 'Fabrício' e uma ótima semana a vc e a todos os leitores!

      Excluir
    4. Sem problema Elson, com questão a seu destino depois da morte, cada um decide o que quiser, afinal, não estaremos vendo mesmo, mas mesmo assim na minha opinião, eu não gostaria que meu corpo fosse tratado como um indigente.

      Assim como você adoro um bom vinho kkkkkkk não esses baratos de garrafão. Mas sempre que posso, levo pra casa uma boa safra italiana.

      Excluir
    5. Elson Antonio Gomes7 de setembro de 2014 20:44

      Vinho italiano ahhhhhhhhhhhhhhhhh....... (imagina a baba escorrendo pela boca) ahhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh............

      Tristeza!
      Minha médica proibiu. Na verdade ela liberou dois dedinhos e eu falei que tinha que ser uma garrafa por sábado. Então estou na seca há 07 anos.
      Mas não desisti!

      Excluir
    6. Meus pesames cara kkkkkkkkk ! eu também não tomo muito pra não cair no vicio, o máximo que eu tomo é uma tacinha depois do jantar, mas as sextas a noite eu costumas exagerar um pouco kkkkk

      Espero não te levar pro mal caminho kkkkkk esquece vinho, não toma, recomendação médica, é pro seu bem Elson hahahahaha !!!!!!!

      Excluir
  2. Nossa! Receio que meu irmão sofra de uma doença semelhante, mas, no caso dele, creio que seja terminal...

    Ninguém ainda inventou a cura pra PREGUIÇA.

    ResponderExcluir

Página do Facebook

Publicidade 1

Noite Sinistra no YouTube

Postagem em destaque

O misterioso perfil do Facebook de Karin Catherine Waldegrave