05/04/2015

Teorias e conexões entre as temporadas de American Horror Story


American Horror Story é uma série de televisão norte-americana de horror-drama criada e produzida por Ryan Murphy e Brad Falchuk. Esse seriado é comumente descrito como: uma série antológica, cada temporada é concebida como uma história independente, seguindo um conjunto de personagens e ambientações distintas, e um enredo com o seu próprio "começo, meio e fim." Mas recentes declarações de um dos produtores levaram todos a questionar essa definição.

O co-criador de American Horror Story, Ryan Murphy, deu uma entrevista ao Entertainment Weekly ao final de 2014, cujas declarações estão deixando os fãs enlouquecidos: segundo Murphy, todas as temporadas da série estão conectadas entre si.

A coisa mais interessante de se fazer um programa como este é que cada temporada tem sua própria história, com seu próprio começo, meio e fim, sua própria jornada. Mas desde o início nós temos [planejado] um entrelaçamento de mitologias, uma conexão entre as coisas. Este é o primeiro ano em que começamos a dizer que a segunda temporada está conectada com a quarta, e que a quarta está conectada com a primeira. Pessoas começaram a escrever artigos sobre isso, e algumas dessas hipóteses estão completamente certas. Essa é a graça da série. Espero que no final do programa, seja daqui a 10 ou 15 anos, as pessoas sejam capazes de olhar para trás e dizerem, ‘Ah, as coisas realmente estavam conectadas’. Definitivamente, todas as temporadas estão conectadas.

Não é como se algo desse tipo nunca tivesse passado pela cabeça de ninguém. Na verdade, muitas teorias sobre conexões entre as temporadas já foram criadas antes dessa entrevista vir à tona. A maior característica – ou o maior mistério – de American Horror Story é o fato de serem (quase) sempre os mesmos atores, mas em histórias diferentes. Quando Murphy se refere à conexão entre a 4ª temporada (Freak Show) e a 2ª temporada (Asylum), está falando de duas personagens que reviverão seus papeis: a freira Mary Eunice (Lily Rabe) e Pepper (Naomi Grossman).


Se antes da entrevista de Ryan Murphy os fãs já postulavam suas teorias a respeito de conexões e correlações na trama, agora que o produtor revelou que existem certas conexões parece que a galera surtou de vez (no bom sentido é claro).

Abaixo os amigos e amigas poderão conhecer três dessas teorias a respeito do seriado.

A teoria das reencarnações

Esta teoria afirma que os diferentes personagens vividos por cada ator em American Horror Story é uma reencarnação do personagem anterior. Isso explicaria o fato de existirem tantas pessoas idênticas durante as temporadas, dividindo o mesmo universo. Um exemplo utilizado aqui é o casal Violet (Taissa Farmiga) e Tate (Evan Peters) que se une na primeira temporada, na segunda a atriz não participou e na terceira, quando retornou, o casal volta a se unir, desta vez na pele de Zoe e Kyle. Seriam eles almas gêmeas?


A teoria dos descendentes

Acompanhando a linha do tempo, analisando a introdução de personagens da 2ª na 4ª temporada e prestando atenção em detalhes, é possível pensar que a conexão entre os personagens de American Horror Story seja sanguínea. Essa teoria não dá todas as respostas, mas faz sentido em alguns pontos, por exemplo: Os Montgomery – Madison Montgomery (Emma Roberts) em Coven (3ª temporada) aparentava estar na fase do ensino médio (a temporada era ambientada em 2013), portanto podemos arriscar que ela nasceu em 1995. Madison tem o mesmo sobrenome do casal Charles e Nora Montgomery, de Murder House (1ª temporada) — que construíram e moraram na casa nos anos 20, mantendo seu filho mutilado, Thaddeus (ou Infantata), no porão. Poderia Madison e o casal estarem relacionados? Descendentes?


Os Goodman – Em Murder House (1ª temporada), o advogado de Constance Langdon (Jessica Lange), Harry Goodman (Derek Richardson) avisou a ela do assassinato de seu namorado, em 2011. 49 anos antes, em Asylum (2ª temporada), um caçador de nazistas e sobrevivente do Holocausto chamado Sam Goodman (Mark Margolis) foi contratado para investigar o Dr. Arthur Arden (James Cromwell). Poderia Sam e Harry serem relacionados? Avô e neto? Ambos estão no ramo de investigação criminal.

A teoria do inferno

E se American Horror Story é, basicamente, o inferno, e o elenco, na verdade, está pagando por seus pecados? Esta teoria diz que os atores já morreram, mas sabe-se lá o que fizeram durante a vida (só se sabe que foram coisas bem graves) que os levou direto pros confins do inferno, e agora eles tem que viver essas vidas dolorosas e traumatizantes de forma cíclica pela eternidade. Como se tudo o que eles já representaram nas telas de televisão fosse apenas uma representação do pecado original que cometeram em vida.


As teorias são ótimas e com essa declaração do Ryan Murphy, que ainda é recente, prevejo muitas outras brotando nas mentes férteis espalhadas pela internet. É interessante saber que daqui pra frente cada temporada vai mostrar, com mais clareza, como está ligada com as anteriores, o que vai nos levar a gostar ainda mais dos mistérios de American Horror Story.

Só espero que essa declaração de Murphy não seja apenas um artifício para deixar os fãs ainda mais ligados - como fizeram tantas vezes os produtores de Lost, para no final da série deixarem tantas amarras soltas e confirmarem um dos maiores medos dos fãs -. Sabedor da existência dessas teorias, Murphy poderia ter dado essa entrevista justamente para dar um gás novo nesse assunto, e fazer a série continuar sendo falada em sites, blogs e redes sociais.

Fonte: Proibido Ler

Quando amanhecer, você já será um de nós...

Não deixe de dar uma conferida nas redes sociais do blog Noite Sinistra...

 Siga o Noite Sinistra no Twitter   Noite Sinistra no Facebook   Comunidade Noite Sinistra no Google +   Noite Sinistra no Tumblr

CONFIRA OUTRAS POSTAGENS DO BLOG NOITE SINISTRA



Links Relacionados:

VOLTAR PARA A PÁGINA INICIAL...

4 Comentários
Comentários
4 comentários:
  1. sinceramente,assisti 1 capítulo dessa série e odiei.Achei uma coisa muito pesada,que transmite uma coisa muito ruim pra nossas vidas..E olha que o meu gênero preferido de filmes/séries é Terror/Suspense

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Voce assiste terror e suspense e quer ver coisas boas e que transmita algo bom ???? WTF !

      Excluir
  2. Se é uma teoria de conexão, eu aposto na última. Acho impossível uma reencarnação, justamente por causa da Pepper. Os outros personagens do asilo só viriam a fazer parte muuuuuuuuuuuitos anos depois, o que não é o caso, já q Pepper não envelhece nada até lá. A segunda teoria tbm não creio, As Gêmeas não tiveram nenhum filho (ainda não sei, só vi até o ep 11), mas Lana Winters não tem nenhum parentesco com essas duas, e tbm teria q esperar uns 40 anos pra ela conhecer a Pepper. Acho, seria legal, se a próxima temporada mostrasse um história mais real, sem fantasma, ets, bruxas, mas pessoas reais agindo de acordo com seu caráter e mostrando o quanto elas eram horríveis, mentirosas, vaidosas e monstruosas. E que todas estivessem numa eterna sessão de transgressão encarando seus monstro interiores e pagando por todos os pecados.

    Ps: Nando cê já postou algo sobre a teoria da Pixar?

    ResponderExcluir
  3. SERIA MELHOR SE OS EASTER EGGS DESSA SÉRIE FOSSEM TÃO EVIDENTES QUANTO OS DE BREAKING BAD AS RELAÇÕES SE ELAS EXISTEM SÃO SUTIS DEMAIS DO MESMO JEITO QUE AS DE BREAKING BAD

    ResponderExcluir

Página do Facebook

Publicidade 1

Postagem em destaque

O misterioso perfil do Facebook de Karin Catherine Waldegrave