12/08/2015

Mackinac Island: A ilha mais assombrada dos EUA


Existem muitos lugares no mundo com fama de assombrados. No entanto, a maioria desses casos estão ligados a locais abandonados ou de atmosfera obscura e tenebrosa. Não é esse o caso de Mackinac Island, nos EUA, uma ilha repleta de histórias de assombrações e que todo ano enche de turistas em busca das belas paisagens naturais do local.

Mackinac Island fica na costa do Lago Huron, a leste do estreito de Mackinac, no estado norte americano do Michigan e possui cerca de 9.84 Km² de extensão. A população local é de 492 habitantes, mas o número de pessoas na ilha sobe exponencialmente na época do verão. As belezas naturais são o maior atrativo do local, e o Mackinac Island State Park é um dos pontos favoritos dos turistas. Esse parque ocupa aproximadamente 80% da ilha, sendo o segundo mais antigo dos EUA, perdendo apenas para o Yellowstone. 

A ilha mantém a aparência Victoriana dos prédios, sendo proibido o uso de automóveis por suas ruas, o que dá ao local um ar todo especial. E é justamente no passado que iniciam-se as histórias de assombrações.


Cemitério indígena

A ilha foi habitada por grupos indígenas entre 900 A.C, até cerca de 700 anos antes da época da colonização dos EUA. O nome da ilha tem origem na língua dos nativos do local, Mish-la-mack-in-naw que significa "grande da tartaruga", pois a ilha rochosa se assemelhava a auma tartaruga segundo os indígenas. Mackinac Island era um lugar sagrado para os índios da tribo Anishinaabe, sendo que o local era cheio de cemitérios indígenas. Os Anishinaabe acreditavam que a ilha seria a casa do “Grande Espírito”.


Quando os colonos europeus chegaram a ilha, por volta do ano de 1600, Mackinac Island estava deserta, restando apenas os cemitérios indígenas. As pessoas que hoje habitam Mackinac Island acreditam que boa parte da cidade foi construída sobre os antigos túmulos indígenas, pois não há relatos de realocações no local. Esse é um dos muitos combustíveis para as histórias a respeito das assombrações no local.

A ilha foi colonizada principalmente por colonos franceses, que utilizaram a ilha como ponto estratégico de comércio no lago Huron. Era um ponto muito importante para o comércio de peles.

Passado violento de Mackinac Island

Se no presente Mackinac Island é um local que remete a tranquilidade, o passado da ilha não foi nada tranquilo. Os britânicos tomaram posse das terras de Mackinac Island durante a guerra franco-indiana, e construíram no local uma fortaleza, chamada de Forte Mackinac. O forte foi erguido e inicialmente administrado pelo comandante inglês Patrick Sinclair.

Essa fortaleza passaria as mãos dos americanos no tratado de Paris em 1793, quando os EUA obtiveram a sua independência. Mas o local seria ainda palco de batalhas sangrentas entre britânicos e estadunidenses.

Em 1812 os ingleses tomaram posse da ilha, e muitos norte-americanos foram mortos no local na tentativa de recuperar a posse da estratégica ilha. Os norte americanos só conseguiriam retomar o controle do forte em 1815, depois da assinatura do tratado de Ghent. A ilha ainda seria palco de batalhas na guerra civil dos EUA, que aconteceu entre os anos de 1861 e 1865. O forte serviu de prisão para os confederados. A prisão esteve em funcionamento até o ano de 1895.

Reza a lenda que na época que os britânicos estiveram em posse da fortaleza eles teriam executado 72 nativos no local. As mortes teriam sido cometidas com grande brutalidade.

O imenso número de mortes ocorridos nas diversas batalhas travadas nos arredores da ilha, e a grande quantidade de indígenas sepultados no local, são o principal tempero para as lendas e histórias de assombrações da ilha.

Assombrações no Forte Mackinac

Hoje em dia acredita-se que o antigo forte seja assombrado pelas almas dos indígenas cruelmente assassinados no local e pelos combatentes que perderam as suas vidas na tentativa de conquistar o local.

Fort Mackinac
Os salões do imponente forte são palco de muitas histórias de fantasmas. Muitas pessoas afirmam que no local é possível ouvir risadas de adultos e crianças, mesmo quando o local está totalmente deserto.

Muitas pessoas alegam ter visto móveis se movendo sozinho no interior do local, que hoje recebe grande quantidade de visitas de turistas. Luzes piscando também são relatadas algumas vezes.

Até mesmo o som de bebês chorando já foi relatado por seguranças noturnos do local.

No cemitério vizinho ao forte, uma fantasmagórica mulher pode ser vista eventualmente chorando no túmulo de uma criança.

Orbes, estranhas manchas na parede e calafrios inexplicáveis mesmo durante o verão são relatados em visitas ao calabouço do antigo forte. Os habitantes locais contam que o local é assombrado pelo espírito de algum prisioneiro que teria morrido no interior de uma das celas do local.

No pátio do forte uma aparição seria responsável por perseguir as pessoas no que pareceria ser uma brincadeira. Essa entidade seria o fantasma de James Brown, um homem que foi executado a tiros no local.

Sons de disparos de armas também podem ser ouvidos nos arredores do forte.

Na entrada norte do forte, algumas pessoas afirmam que pode-se ouvir uma música tocar em manhãs de nevoeiro intenso.

Outras pessoas já afirmaram ter visto um gaiteiro circulando pela praia. A misteriosa figura desapareceria da vista das testemunhas ao menor piscar de olhos. Outra figura misteriosa que aparece na praia é a de um jovem fardado com roupas militares de antigamente. Ele parece estar prestando serviço de guarda.

O antigo Hospital

Hospitais abandonados e antigos são os palcos favoritos para as histórias de assombrações em muitos cantos do mundo. Em Mackinac Island não seria diferente.

O hospital local também tem fama de assombrado. Muitas foram as pessoas que encontraram seu triste fim, seja por conta dos ferimentos de batalha, ou mesmo pelas doenças, no hospital de Mackinac. Como a cidade era um importante entreposto comercial, muitas pessoas acabavam chegando a cidade com doenças, como tuberculose, febre tifoide, etc. Essas pessoas acabavam sendo tratadas no hospital, e muitos dos que não sobreviveram acabaram enterrados no Cemitério de Mackinac, localizado próximo do Forte Mackinac.

O antigo hospital é apontado como sendo um lugar com uma energia extremamente negativa. Muitas pessoas afirmam ter visto entidades fantasmas pelos corredores do hospital, e que muitas vezes vultos estranhos acabam capturados em fotografias.

Mission Point Resort

Outro ponto da cidade repleto de histórias a respeito de fenômenos sobrenaturais é o local onde fica o Mission Point Resort.

O resort, localizado em uma encosta no lado leste da ilha, tem uma história bastante curiosa. A área inicialmente foi construída em 1827, como uma escola missionária para crianças filhos de colonos com mulheres indígenas. Em 1950 o local tornou-se a cede para um grupo evangelista, que visava promover a paz mundial, chamado O Rearmamento Moral. Em 1966 o grupo mudou suas operações para a Suíça, e então o local tornou-se o colégio local. Em 1970 o colégio foi comprado por Rex Humbard, que idealizou transformar o local em um extravagante retiro religioso, mas o plano de Humbard acabou durando apenas até 1972. Em 1977, uma empresa de investimento transformou o local em um resort de férias. Em 1987 o local foi novamente vendido e desde então é chamado de Mission Point Resort.

O Mission Point Resort
A história mais assustadora do local conta que no final dos anos 60 e início dos anos 70, na época em que o Resort era utilizado como colégio, um jovem de nome Harvey propôs casamento a sua namorada no local. Ela teria recusado o pedido na frente dos amigos do rapaz. Algumas pessoas afirmam que ela na verdade estava traindo Harvey. Abatido e desolado ele teria cometido suicídio. Algumas pessoas afiram que ele saltou para o abismo, outros dizem que ele se enforcou e há ainda aqueles que afirmam que ele deu um tiro na própria cabeça. Outra versão para a morte dele diz que ele havia sido morto pelo suposto amante da namorada.

Desde então corre o boato que o fantasma do jovem circula pelo local. As pessoas que afirmam ter visto o fantasma de Harvey afirmam que ele parecia bastante brincalhão e sorridente. Ele costuma brincar com as luzes de alguns quartos quando os hospedes estão dormindo, assim como esconder e bagunçar os objetos pessoais dos hospedes (segundo alguns hospedes ele mesmo arrumaria os objetos depois de pregar a peça das pessoas). Ele mudaria alguns móveis de lugar. Um quarto do hotel tem uma cama parafusada no chão, pois segundo as histórias, Harvey costumaria fazer essa cama em particular saltar, fazendo um grande barulho.

Embora Harvey seja o fantasma mais famoso do Mission Point Resort, aparentemente ele não seria o único. Uma menina, conhecida como Lucy, também é comumente vista pelo local. Diz a lenda que Lucy adoeceu na ilha enquanto seus pais estavam em uma viajem de negócios em Detroit, e acabou falecendo antes que eles pudessem retornar. As pessoas costumam avistar Lucy brincando no teatro, auditório e na varanda do hotel. Muitos visitantes afirmam ter ouvido a voz da menina desencarnada chamando por seu pai e por sua mãe.


Soldados em patrulha também já foram avistados nos arredores do resort.

O assombrado Mission Point Resort foi investigado pela equipe do programa de TV Ghost Hunters do SyFy Channel, em um episódio intitulado "congelado de medo." A equipe foi capaz de descobrir alguns fenômenos estranhos lá, e uma investigação de 2010 feita pela Equipe de Investigação Paranormal da área de Michigan também registrou ocorrências estranhas no Resort, incluindo objetos que se movem por conta própria, as luzes ligadas e desligadas na presença de pessoas na sala, e ruídos anômalos, que consideravam ser todos evidência sólida de algo paranormal acontecendo.

Esqueletos do Grand Hotel

Como já foi dito anteriormente, acredita-se que muitas das construções da cidade tenham sido feitas sobre antigos cemitérios de nativos americanos, e esse fato é usado para dar embasamento nas histórias de assombração.

Mas um fato realmente comprovou essa hipótese: A construção do Grand Hotel. Durante a construção do Grand Hotel, um grande número de esqueletos foram encontrados enquanto a fundação do mesmo era escavada. Operários na obra afirmam que coisas estranhas aconteciam diariamente no local, e atribuem tais eventos a atividades sobrenaturais.

Outro hotel bastante famoso na ilha por conta de suas assombrações é o Hotel Murray. Ele é supostamente assombrado pelo espírito de uma mulher que foi violentada e estrangulada em um dos quartos do tal hotel. O assassino nunca foi encontrado.

Ironicamente a região onde se localiza o hotel é uma das mais procuradas pelos casais que pretendem se casar na ilha.


Os hotéis e pousadas assombrados de Mackinac Island

Em Mackinac existem inúmeras posadas e casas de pensão para os turistas que visitam a ilha, e muitos desses lugares já foram apontados como assombrados por hospedes.

O fantasma de Small Point Cottage

Inicialmente esse alojamento foi construído como uma residência no ano de 1882. Em 1971 um professor chamado John Findlay acabou mudando-se para essa casa quando veio para a ilha de Mackinac para lecionar na escola de Mackinac Island. Findlay afirmou que foi atormentado por muito tempo pela suposta atividade de um poltergeist. Ele movia móveis e fazia estranhos e assustadores sons. Depois que o local se tornou um alojamento para mochileiros outros relatos a respeito desse tipo de atividades passaram a ser feitos.

The Inn at Stonecliff

Bogan Lane

Bogan Lane é outro alojamento que tem fama de assombrado. Esse local seria visitado frequentemente pelo fantasma de uma menina de cabelos compridos, que supostamente toca piano.

Bailey House

Aqui os hospedes costumam presenciar a queda de objetos e frequentemente ouvem sons de passos no sótão. Há ainda a figura de uma mulher fantasmagórica que espreita as janelas dos quartos.

Pine Cottage

Pine Cottage é uma casa com 42 quartos e que tem fama de mal assombrada. A casa foi usada por seu proprietário Bob Hughey desde 1962, como residência e restaurante. Hughey e sua família alegam ter presenciado a aparição de uma mulher visível apenas da cintura para cima. Com o passar dos anos o avistamento dessa entidade tornou-se cada vez mais comum. No local existe ainda o fantasma de uma menina que percorre a casa aos gritos. As vezes vultos com siluetas masculinas podem ser observadas ao lado das camas. Em 1995 Hughey mudou-se do local, alegando não conseguir mais conviver com tais aparições. Um dos antigos donos de Pine Cottage foi assassinado na residência em 1942, e o assassino nunca chegou a ser preso.

O Pine Cottage

As crianças mortas na Casa da Missão

A casa da Missão foi um lugar construído pelos primeiros colonos para ser o centro de uma missão cristã que tinha o objetivo de catequizar os índios da região. Na época uma epidemia de tuberculose se alastrou pela região, e muitas crianças indígenas acabaram sendo tratadas nessa casa. Elas eram cuidadas no porão da residência, onde o clima era mais fresco e agradável. Acredita-se que muitas crianças morreram no local. Anos mais tarde o local foi convertido em uma casa para os funcionários do Estado. Hoje em dia moradores da ilha afirmam que se pode avistar atividades alegadamente sobrenaturais tanto no porão, como nos jardins da residência.


As Bruxas de The Pool Drowning

Um dos lugares mais assustadores da ilha é conhecido pelo nome de The Pool Drowning. Reza a lenda que no inicio dos anos de 1800, sete mulheres se prostituíam na cidade. Elas tinham como clientes os soldados e os comerciantes que chegavam a ilha para fazer negócios. Essas mulheres foram acusadas de bruxaria. A população local capturou as mulheres, amarraram pedras aos seus pés e as lançaram na lagoa entre Mission Poin e o centro da ilha. As sete mulheres morreram afogadas no local, e segundo a lenda local, seus espíritos vingativos vagam pelo entorno da lagoa até os dias de hoje.

Muitos visitantes afirmam ver no interior da lagoa manchas negras se movimentando. Segundo eles essas manchas seriam grandes demais para serem de peixes. Figuras estranhas flutuando na superfície da lagoa também já foram avistadas. Esse é um dos lugares mais assustadores de Mackinac Island.


Outros casos

Em muitos bosques de Mackinac Island supostamente pode-se ouvir índios gritando e correndo. Eles seriam os espíritos daqueles que foram enterrados na ilha.

Em Marquette Park teriam sido recuperados cerca de 1000 esqueletos de indígenas, enquanto soldados preparavam o local para um grande jardim. Isso dá uma boa noção do quanto de esqueletos podem ter existido no subsolo da ilha.

Considerações finais

A ilha de Mackinac Island atualmente tem como principal atividade financeira o turismo. E como todos puderam ver no texto acima, são muitas os hotéis, pousadas e albergues que alegam ser frequentados por fantasmas. E todos os eventos e interações entre fantasmas e vivos são pacíficos. Não sei quanto a vocês, mas a mim ficou a impressão de que as histórias de fantasmas exploradas como um elemento turístico. Não estou dizendo que as alegações sejam mentirosas, mas eu acredito que algumas delas podem ser um pouco exageradas.

E vocês o que acham a respeito?


Fontes: Wikipédia e Mysterious Universe 

Quando amanhecer, você já será um de nós...


CONFIRA OUTRAS POSTAGENS DO BLOG NOITE SINISTRA



Links Relacionados:
0 Comentários
Comentários
Nenhum comentário :

Página do Facebook

Publicidade 1

Noite Sinistra no YouTube

Postagem em destaque

O misterioso perfil do Facebook de Karin Catherine Waldegrave