02/08/2015

O misterioso desaparecimento do escoteiro Marco Aurélio


A postagem a seguir relata o caso de um dos mais misteriosos desaparecimentos ocorridos no Brasil, e que deixou marcas de espanto e medo em diversas pessoas, sendo que até os dias de hoje nenhuma indicação do que tenha realmente ocorrido com o escoteiro Marco Aurélio tenha sido descoberta.

Normalmente as sextas feiras são publicadas no blog Noite Sinistra textos que falam da crueldade humana, mas hoje achei interessante trazer a vocês uma matéria um tanto diferente. O desaparecimento de Marco Aurélio entrou para a lista de mistérios brasileiros por conta da falta de pistas para se determinar o que aconteceu com o jovem escoteiro. Assassinato, sequestro por meio de uma seita e até abdução, são algumas das suposições feitas para tentar explicar o que aconteceu com o escoteiro.

O desaparecimento

No dia 8 de junho de 1985, um grupo de 5 pessoas, sendo 4 garotos do grupamento de Escoteiros Olivetanos, cujo número de designação era "240", mais o seu instrutor e líder, subiram rumo ao Pico dos Marins, próximo à cidade de Piquete, no estado de São Paulo, mas somente 4 dos participantes dessa trilha retornaram. Um deles, o escoteiro Marco Aurélio, desapareceu sem deixar qualquer tipo de pista ou rastro. Iniciava-se nesse momento um dos maiores mistérios indecifráveis conhecidos no Brasil, o "Desaparecimento do Escoteiro Marco Aurélio Simon."


O pai de Marco Aurélio Simon, Ivo Simon, conta que seu filho tinha 15 anos quando desapareceu. Marco Aurélio estava em uma excursão no Pico dos Marins, junto a seu grupo de escotismo, quando um dos escoteiros se machucou. Marco Aurélio como monitor da equipe, se ofereceu para ir à frente do grupo abrindo caminho e em busca de socorro. O escoteiro partiu para sua missão, e desapareceu por completo, sem deixar qualquer vestígio.


Até os dias de hoje, com quase 30 anos do seu desaparecimento, a família ainda sofre com a incerteza sobre o destino de Marco Aurélio, embora mantenha viva a esperança de reencontrá-lo.

O local do sumiço

O Pico dos Marins [Coordenadas GPS: Latitude / Longitude: 22°30'1.51"S, 45° 7'17.63"W] fica situado no município de Piquete, no estado de São Paulo, localizado na Serra da Mantiqueira, possui 2420,7 metros de altitude acima do nível do mar, e é considerado o 2º maior pico do estado de São Paulo. Para chegar ao cume, deve-se subir encostas rochosas íngremes, porém é possível sua ascensão sem a utilização de equipamentos especiais.

O jornalista Ivo e sua esposa não acreditam na morte do filho desaparecido. "Em nenhum momento eu considerei meu filho morto", diz Neuma.

O grupo de aventureiros

A viagem seria um teste para graduação dos escoteiros como "Sênior", caso conseguissem completar satisfatoriamente a missão.

O grupo era formado pelas seguintes pessoas:
  • Marco Aurélio Bezerra Bosaja Simon - Escoteiro;
  • Ricardo Salvione - Escoteiro;
  • Osvaldo Lobeiro - Escoteiro;
  • Ramatis Rohm - Escoteiro;
  • Juan Bernabeu Céspedes - Instrutor e Líder do Grupo.

Quando o grupo subia em uma das trilhas íngremes que existem na região, em direção ao Pico dos Marins, um dos garotos, Osvaldo Lobeiro, sofreu uma luxação no joelho, impedindo o grupo de prosseguir o trajeto.


Com o objetivo de ajudar, o escoteiro Marco Aurélio Simon se ofereceu para ir à frente do grupo, abrindo caminho para passagem do amigo acidentado, e também para ver se encontraria alguma ajuda o mais rápido possível.

Vista do topo do Pico Marins
Com o consentimento do líder do grupo, Juan Bernabeu Céspedes, Marco Aurélio partiu na trilha em direção ao acampamento onde haviam se instalado, mas a partir desse momento, o garoto nunca mais foi visto.

Desde a época do sumiço, suspeitas recaem também sobre o guia da excursão, o escoteiro Juan Bernabeu Céspedes. Foi ele o último a ter contato com o jovem. Como consta no inquérito, Céspedes optou por enviar Marco Aurélio, sozinho, para buscar ajuda após um dos outros três escoteiros do grupo ter torcido o tornozelo.


Na tarde daquele 8 de junho de 1985, o líder chegou a acompanhar o filho de Ivo até certo ponto da descida, deixando os demais aventureiros para trás. “É muito estranho. Como um adulto decide mandar um adolescente andar no mato sozinho? Por que acompanhar meu filho até certo ponto? Como uma pessoa separa um grupo assim? No mínimo, é negligência”, afirma o pai.

A polícia chegou a investigar se havia uma possível motivação sexual no desaparecimento do jovem. Depoimentos de delegados, apensados ao inquérito, apontavam que o guia poderia ter abusado do garoto - e, depois, o matado.

As buscas

A tragédia que abalou a família de Ivo também comoveu o país, que acompanhou pela imprensa e pela televisão a busca desesperada por Marco Aurélio.

Durante 28 dias mais de 300 pessoas participaram das buscas, entre voluntários, policiais civis, militares e bombeiros, que vasculharam o pico a pé e com helicópteros.


Nenhum corpo, nenhum pedaço de roupa ou rastro na terra foram achados. Foi como se Marco Aurélio tivesse "evaporado". A polícia vasculhou o local de forma muito minuciosa, fazendo até mesmo várias varreduras no mesmo local, em busca de pistas que possam ter sido ignoradas nas primeiras buscas, mas nada que indicasse o que aconteceu com Marco Aurélio foi encontrado.

Hipóteses para o desaparecimento

Hipóteses para o desaparecimento não faltam. Para alguns, alienígenas levaram o jovem. Para outros, uma seita chamada Borboleta Azul sequestrou o menino. Especulou-se até que um animal, como uma onça, poderia ter devorado o escoteiro. Mas no caso de assassinato e morte por ataque de animal, como explicar que nenhum rastro suspeito jamais foi encontrado?

O desespero da família era tamanho, que qualquer notícia que pudesse trazer alguma pista para descobrir o paradeiro do garoto era averiguada pela família. Um delegado de polícia, amigo de pessoas próximas a família Simon, chegou a sugerir ao pai de Marco Aurélio que ele entrasse em contato com um general da Aeronáutica. Esse seria conhecedor de fenômenos ligados a extraterrestres.


A hipótese de abdução alienígena passou a ser cogitada, tanto que Ivo Simon chegou a contatar uma pessoa que dizia ser capaz de falar com alienígenas via telepatia (algumas fontes afirmam que essa pessoa era o próprio general citado mais acima), para que esse perguntasse aos seres de outros planetas a respeito de informações sobre o garoto, mas nenhuma resposta foi dada.

“Fomos a umbandistas, parapsicólogos, espíritas. A maioria diz que ele está vivo”, conta Ivo.


Quando procuraram o famoso médium Chico Xavier, o qual morreu no ano de 2002, tiveram a seguinte resposta: “Só me comunico com pessoas que desencarnaram, e não com os vivos”.

Por conta disso tudo, a família Simon acredita que o rapaz ainda está vivo, e acompanha como seria a fisionomia do filho pelas transformações no rosto de Marco Antonio, irmão gêmeo univitelino de Marco Aurélio.

Marco Antonio, gêmeo de Marco Aurélio
“A gente não tem mais onde buscar, mas se alguém me disser algo, der alguma pista, nós vamos atrás, não entregamos os pontos. O que me tortura é esse mistério, é não saber o que aconteceu com meu filho”, desabafa Ivo Simon.

Os Mistérios das Luzes e o Som do Apito

Na segunda noite de buscas, os garotos que estavam com Marco Aurélio, em conjunto com o líder do grupo (Juan Bernabeu) e mais algumas outras pessoas estavam se preparando para suas acomodações e dormir, ouviram primeiro um grito na mata próxima, sendo que após o grito surgiu o som de um apito.

Todos se espantaram, pois Marco Aurélio como escoteiro usava um apito, que é um instrumento de auxílio para ajudar a localização de uma pessoa perdida ou em dificuldades na mata.

No momento do som do apito, todos saíram do casa onde todos estavam alojados, que era do Sr. Afonso que era um guia local, e se dirigem em direção à mata, onde havia surgido o som, e de repente se deparam com flash's de luzes azuis, as quais se acenderam e se apagaram por três vezes.

Após esse incidente, o líder do grupo, Juan Bernabeu, também pega seu apito e vai em direção à mata e começa à soprá-lo, solicitando um retorno, mas nada acontece, somente silêncio.

Em consulta, os estudiosos de assuntos ufológicos disseram que nesse momento foi o instante em que Marco Aurélio pode ter sido abduzido por extraterrestres, devido aos detalhes do fenômeno.

O fato citado acima foi verídico, e consta no processo policial sobre o desaparecimento de Marco Aurélio.

Livros

No ano de 2006 o jornalista Rodrigo Nunes, com um ótimo trabalho investigativo, lançou o livro "Operação Marins - O Sumiço do Escoteiro Marco Aurélio", onde conta os detalhes do desaparecimento e busca pelo escoteiro Marco Aurélio Simon.


Após a publicação do livro "Operação Marins", novas informações começaram a surgir. Pessoas que participaram diretamente do caso, após a leitura da obra perderam a timidez de falar sobre o que, inicialmente, ocultaram.

Novas versões e possibilidades foram reveladas. Em meio a tantas contradições sobre o paradeiro do escoteiro desaparecido, pequenos raios de luz entram pelas frestas da então escura e misteriosa história que envolve o garoto paulistano. No ano de 2008, devido à este acontecimento, o jornalista Rodrigo Nunes lançou o livro "Operação Marins 2 - Novas Descobertas", complementando os fatos sobre o caso do escoteiro desaparecido.


Reportagem do Fantástico a respeito do desaparecimento

O caso do desaparecimento de Marco Aurélio foi um dos mais emblemáticos da década de 80. O programa Fantástico chegou a fazer uma matéria na época a respeito do caso. Confiram essa reportagem abaixo.

Clique AQUI para assistir o vídeo direto do YouTube.

Fontes: Além da Imaginação e Uol

Quando amanhecer, você já será um de nós...


Não deixe de dar uma conferida nas redes sociais do blog Noite Sinistra...

 Siga o Noite Sinistra no Twitter   Noite Sinistra no Facebook   Comunidade Noite Sinistra no Google +   Noite Sinistra no Tumblr

CONFIRA OUTRAS POSTAGENS DO BLOG NOITE SINISTRA




VOLTAR PARA A PÁGINA INICIAL...

6 Comentários
Comentários
6 comentários:
  1. UFO´s são uma realidade incontestável, é muito provável que tenha algo relacionado ao sumiço do garoto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A hipótese dele ter sido assassinado pelo guia também seria bem viável, mas o cara teria que ter sido ninja para esconder o corpo...

      Excluir
    2. Acho que não... o líder do grupo serviu de bode expiatório desse caso, já que a polícia tinha que dar alguma resposta a família e como nenhuma prova concreta foi encontrada, o líder dos escoteiros entrou de bucha na estória. Além do que ele tinha que ser mágico para estar em dois lugares ao mesmo tempo, já que ele ficou pra trás para ajudar o companheiro ferido e delegou à Marco Aurélio a responsabilidade de seguir na frente abrindo caminho para o grupo passar, ele então tinha que se "dividir em dois" para estar lá tras com o grupo e também mais a frente para pegar o garoto !

      Excluir
  2. E sequestro? Será que não sequestraram o Marco Aurélio e o levaram para fora do país? É um caso muito sinistro, ele tinha levado consigo jornais para se aquecer e também tinha o apito, mas nunca encontraram nada. Ou foi sequestro ou ele (por sua visão ser de apenas 50%) deve ter caído num precipício.

    ResponderExcluir
  3. Esse caso serviu de prato cheio para sensacionalistas. O desespero da família foi tão grande que cogitou a possibilidade de abdução alienígena, o que é algo que permeia o imaginário popular. Esse garoto provavelmente se perdeu ali no mato, caiu num precipício ou caiu numa armadilha e foi levado por alguém (ser humano, é claro) que teve o cuidado de não deixar vestígios e rastros no lugar. O guia do grupo eu não tenho certeza absoluta de ter envolvimento apesar da afirmação da polícia, mas podemos supor que ele acompanhou Marco Aurélio até um local de difícil acesso... Ficou sozinho com ele. Deixou os outros meninos para trás, pedindo que cuidassem um do outro. Enfim, o que eu sei é que quando não há explicação para um evento dessa natureza, as pessoas tendem a pôr teorias mirabolantes no meio. Pessoas desaparecem, e geralmente não tem nada a ver com seres de outro mundo. Desaparecimento às vezes é complicado de investigar (imagina naquela época), às vezes não tem corpo encontrado, o que não configura crime, fica aquela coisa de incerteza se o desaparecido está vivo ou não, se fugiu para algum lugar, e pode ficar anos sem solução. Tem muito caso assim por aí, o que não falta são teorias.

    ResponderExcluir
  4. Sou de Piquete e a cidade toda acompanhou as buscas, o lugar foi vasculhado por centenas de pessoas por quase um mês inteiro, é muito exposto, são rochas nuas, algumas vezes cobertas de mato baixo, em qualquer lugar que ele pudesse eventualmente ter caído haveria de ser encontrado um corpo. Abaixo do trecho rochoso começam já aparecer fazendas e casas, não é um lugar de matas ou florestas, é bem povoado. Dificilmente se esconderia alguma coisa ali.

    ResponderExcluir

Página do Facebook

Publicidade 1

Noite Sinistra no YouTube

Postagem em destaque

O misterioso perfil do Facebook de Karin Catherine Waldegrave