12/04/2013

Peter Bryan: O canibal inglês



Dando continuidade as postagens que falam de assassinos que também praticaram atos de canibalismo em suas vítimas,  convido vocês a conhecer Peter Bryan, ou o canibal inglês. Esse sujeito canibalizou uma de suas vítimas, e como ele mesmo afirmou para a polícia, era sua intenção devorar mais pessoas. O que mexe com a gente nessa história não são apenas as mortes, mas o fato de esse homem ter sido preso, considerado insano, e depois de um tempo libertado, depois de os médicos acharem que ele estava curado. E foi depois de "curado" que ele adquiriu o gosto por carne humana...A qual tratamento será que ele foi submetido?

Peter Bryan nasceu na cidade de Londres, em 1969, filho de um casal de imigrantes dos Barbados. Peter foi internado no Rampton Hospital, uma instituição psiquiátrica em 1994, depois de ter matado uma assistente de loja de 20 anos, chamada Nisha Shetn. A mulher foi espancada com um martelo até a morte no ano de 1993. Em outubro de 2003, psiquiatras notaram uma melhora contínua no estado mental de Peter e traçaram planos para o transferirem para um local onde ficaria mais livre. Em 2004, assistentes sociais foram responsabilizados pela transferência de Peter para uma acomodação independente. Bryan era descrito como um bom homem, solitário e sem amigos.

Peter, no entanto, logo se meteu em problemas. Ainda em 2004 ele foi mandado para o Hospital Geral de Newham, leste de Londres, após denuncias de que ele teria abusado sexualmente de uma menina de 16 anos. No final daquele mês, ele saiu da instituição mental e logo em seguida assassinou e canibalizou Brian Cherry, seu amigo. Cherry recebeu pelo menos 24 golpes de martelo na cabeça. Na noite do crime, Nicola Newman, amiga de Brian, foi visitá-lo por volta das 19:15 horas e sentiu um forte cheiro de desinfetante vindo da cozinha. Peter Bryan a atendeu sem camisa, segurando uma faca e sujo de sangue. Peter lhe disse, sem demonstrar qualquer sentimento de culpa, que Brian estava morto, mas Nicola só acreditou depois que viu o corpo do amigo aos pedaços.

A polícia prendeu Peter Bryan. Na cozinha, foram encontrados pedaços de carne humana em uma frigideira, ao lado, um pote de manteiga destampado. A carne era um pedaço do cérebro de Brian. A policia encontrou também um prato com outros pedaços de cérebro e cabelos emaranhados, junto com um garfo e uma faca. Peter Bryan confessou aos policiais que havia matado Brian Cherry: "Eu comi seu cérebro na manteiga, foi muito bom." Mais tarde, ele acrescentou: "Eu teria matado mais pessoas se vocês não tivessem aparecido. Eu queria as almas delas.

Encarcerado na prisão de Pentonville, Bryan disse a um agente penitenciário que tinha vontade de comer seu nariz. Medidas de segurança precisaram ser tomadas quando se entrava na cela de Peter e os agentes penitenciários começaram a usar escudos protetores para se defender de qualquer ataque do insano. Apesar de seu histórico violento, médicos concordaram que Peter deveria ser transferido para um hospital de segurança média. Esse foi o segundo engano da equipe, pois permitiu que Bryan voltasse a matar. No Broadmoor Hospital, Peter Bryan assassinou outro paciente, Loudwell Richard, 60 anos de idade. O idoso foi estrangulado por Peter e morreu horas mais tarde. Peter Bryan alegou que se não tivesse sido interrompido, teria comido partes de Loudwell. Em 15 de março de 2005, Peter Bryan foi considerado culpado de duas acusações de homicídios, mas teve sua responsabilidade diminuída em razões de insanidade. Bryan foi diagnosticado como um esquizofrênico paranoico nunca mais será liberado da instituição psiquiátrica onde se encontra.


Quando amanhecer, você já será um de nós...
4 Comentários
Comentários
4 comentários:
  1. Cara! Não entendo!
    O cara é psicopata, vai preso, "melhora" é é solto, ai é preso, "melhora" e é solto. Equipe médica incompetente isso sim!.

    Parabéns pelo blog!

    ResponderExcluir
  2. assassinos desse tipo deviam ter pena de morte , minha opinião

    ResponderExcluir
  3. Pois é né amigos...não é apenas no Brasil que alguns desses absurdos da justiça acontecem neah...

    Sempre que algum erro desse tipo acontece, é algum inocente que paga pelo erro!!!!

    ResponderExcluir
  4. Esse cara devia apanhar, de gato morto,meu filho

    ResponderExcluir

Página do Facebook

Publicidade 1

Noite Sinistra no YouTube

Postagem em destaque

O misterioso perfil do Facebook de Karin Catherine Waldegrave