24/02/2014

Museu da Tortura em Malta


Olá amigos e amigas...iniciamos essa semana com mais uma postagem enviada pelo nosso grande amigo, colaborador e parceiro, o senhor Silvio, dono dos excelentes blogs O Mundo Real e Coisas do Mundão. O grande Silvio nos enviou uma galeria de imagens e a descrição desse bizarro museu, onde a intenção é chocar. Venham conhecer um pouco mais desse controverso museu.

Nos calabouços de Mdina, a antiga capital de Malta, encontramos o Palazzo Vilhena que é um museu da tortura, cujas cenas retratadas são muito realistas, não sendo aconselhado que crianças façam parte da visitação. Nas cenas podem ser vistas pessoas sendo queimadas na fogueira pelo clero, prostitutas e bruxas sendo duramente chicoteadas ou cabeças decepadas empaladas em lanças.



História de Mdina

Os historiadores acreditam que a região em volta de Mdina foi primeiramente habitada pelos Fenícios, cerca de 7000 a.C.. Este povo começou a construir as muralhas para fortificar a cidade então chamada Maleth, tão importante pela sua posição estratégica no topo dum monte rochoso, nas terras mais altas de Malta e tão longe do mar quanto possível nesta ilha.


Séculos mais tarde, durante o domínio Romano de Malta, estes continuaram a desenvolver Mdina (Melita, para os Romanos) e as suas muralhas para proteger o palácio do Governador Romano construído na altura. Mas foi apenas durante a ocupação dos Normandos, após 1091 d.C. que Mdina viria a adquirir a forma mantida até aos dias de hoje. Durante os tempos medievais, foram construídas as grossas fortificações envolventes e o largo fosso. A maioria da arquitetura de Mdina também é dos tempos em que era conhecida como Melita.

Durante a ocupação Árabe, após 870, as muralhas foram fortalecidas e recuadas um pouco (até onde estão hoje), separando Mdina da sua cidade vizinha Rabat. Embora os Árabes tenham sido derrotados e expulsos em 1250, o nome Mdina sobreviveu desde então, dado a partir da palavra Árabe para cidade, Medina.

Mdina entrou em declínio no início do século XVI, quando Valletta se tornou a nova capital de Malta, seguindo um projeto incrível da Ordem dos Cavaleiros de S. João. Contudo, a nobresa de Malta, descendente de senhores feudais Normandos, Sicilianos e Espanhóis, continuou a viver em Mdina. Ainda hoje, a cidade é por vezes chamada Citta’ Vecchia (cidade velha) e Cita’ Notabile (cidade nobre).

Em 1693, um grande terramoto destruiu parte de Mdina, mas os Cavaleiros de São João reconstruíram a catedral e construíram alguns edifícios em estilo Barroco, como o Palazzo Falzon e o Magisterial Palace.

Abaixo podemos conferir mais algumas imagens do Palazzo Vilhena









Essa postagem é um oferecimento dos blogs. 




Fonte do Texto secundário: Wikipédia

Quando amanhecer, você já será um de nós...


Não deixe de dar uma conferida nas redes sociais do blog Noite Sinistra...

 Siga o Noite Sinistra no Twitter   Noite Sinistra no Facebook   Comunidade Noite Sinistra no Google +   Noite Sinistra no Tumblr
0 Comentários
Comentários
Nenhum comentário :

Página do Facebook

Publicidade 1

Noite Sinistra no YouTube

Postagem em destaque

O misterioso perfil do Facebook de Karin Catherine Waldegrave