21/10/2014

Epidemia do Ebola teria sido Fabricada


Ultimamente muito tem se falado a respeito do Ebola, e diversas teorias da conspiração começaram a surgir assim que a pandemia causada pelo vírus se espalhou. Abaixo eu compartilho com os amigos e amigas uma dessas teorias. Convido a todos a conhecerem essa curiosa teoria da conspiração, que fala do Ebola Militar e das motivações que podem estar por trás da disseminação da epidemia do Ebola.

O Ebola Militar

A terrível história do Ebola como arma militar desenvolvida nos anos 80 para matar e esterilizar africanos. Esta seria a mesma origem do surto atual?

Durante o apartheid na década de 1980, o Dr. Wouter Basson na África do Sul Lançou um projeto chamado de armas biológicas secretas Projeto Costa, lembra o portal de pesquisa independente Old-Thinker News, e seu autor, Daniel Taylor.

O objetivo do projeto foi o desenvolvimento de agentes biológicos e químicos que poderiam matar ou esterilizar os negros e assassinar Inimigos políticos. Entre os agentes desenvolvidos estavam os vírus Marburg e Ebola.

De acordo com um artigo publicado em 2001 pela revista “The New Yorker” a embaixada dos EUA em Pretória estava “terrivelmente preocupada” com Possibilidade de que Basson revelasse profundas conexões entre o Projeto Coast e os Estados Unidos.

Em 2013 Basson foi condenado por “conduta não profissional” pelo Conselho da África do Sul Health. Especialista em armas biológicas, Jeanne Guillemin, pesquisador sênior do Programa de Estudos de Segurança no “Instituto de Tecnologia de Massachusetts” escreveu em seu Livro de armas biológicas: “O projeto foi realizado nos anos de 1982-1987 quando se desenvolveu uma gama de agentes biológicos, como antraz, cólera, o vírus Ebola, Marburg e de toxina botulínica [...] “.


O programa de armas biológicas de Basson terminou oficialmente em 1994, mas nunca se produziu uma verificação independente que os patógenos criados foram destruídos. De acordo com o ‘The Wall Street Journal‘, a integridade do processo repousa somente na honestidade do Dr. Basson.

Basson alegou ter tido contato com agências ocidentais que forneceram “suporte ideológico” no Projeto Costa. Basson disse em uma entrevista para o documentário “War of antraz”, que se reuniu várias vezes com o Dr. David Kelly, o famoso inspetor de armas da ONU no Iraque. Kelly, que era um perito em armas biológicas no Reino Unido, foi encontrado morto perto de sua casa em Oxfordshire, em 2003, embora, segundo a versão oficial, ele tenha cometido suicídio, o que peritos médicos duvidam.

Em um artigo de 2007 no Mail Online, se informou que uma semana antes de sua morte, o Dr. Kelly estava sendo entrevistado pelo MI5, o serviço de contra espionagem britânico sobre suas ligações com o Dr. Basson.

Timothy Stamps, ministro da Saúde do Zimbabwe, suspeita que seu país estava sob ataque biológico durante o tempo em que o Dr. Basson operava. “A prova de que não eram fenômenos naturais eram muito claras. Deveríamos responder à questão de saber se foi ou não causado por uma inoculação direta ou deliberada”, disse Stamps em 1998.

Stamps denominou especificamente os vírus do Ebola e Marburg como suspeitos, assumindo que o seu país estava sendo usado como um campo de testes para o ‘Ebola militar’. ”O Ebola foi encontrado ao longo da linha do rio Zambezi, e eu suspeito que isso pode ter sido uma experiência para ver se um novo vírus pode ser usado para infectar diretamente as pessoas”, disse ele.

No início de setembro, o jornal ‘The Ghanaian Times‘ demonstrou, coincidentemente, com o recente surto de Ebola, a existência de ligações entre Basson e desenvolvimento de armas biológicas. O artigo observa que “existem dois tipos de cientistas no mundo: aqueles que estão tão preocupados com a dor e a morte para os seres humanos causados ​​pela doença e até sacrificaram suas próprias vidas para tentar curar doenças mortais, e aqueles que utilizam sua capacidade científica para matar seres humanos sob ordens do…governo… “.

Como revelado pelo ‘The Age’, o microbiologista australiano e prêmio Nobel Sir Macfarlane Burnet pediu secretamente o governo australiano em 1947 para desenvolver armas biológicas para uso contra “países superpovoados no sudeste da Ásia.” Em uma reunião em 1947, o Comitê Estadual para o desenvolvimento de novas armas recomendou que “as possibilidades de um ataque contra a oferta de alimentos no sudeste da Ásia e Indonésia, com o uso de agentes biológicos devem ser considerados por um pequeno grupo de pesquisa.”

“Esta informação lança uma perspectiva interessante sobre o recente surto de Ebola sem precedentes. É um fenômeno natural orgânico? Poderia ter acidentalmente escapado esta estirpe do vírus Ebola de um laboratório de armas biológicas? Ou talvez foi lançado deliberadamente?”, Conclui Daniel Taylor.

Ebola é transmitido pela Cruz Vermelha

Outra teoria curiosa aponta que o Ebola está sendo transmitido pelas vacinas da Cruz Vermelha. Segundo essa teoria, a epidemia do ebola foi criada para facilitar a entrada de tropas militares Nigéria, Libéria e Serra Leoa, sendo que essas tropas supostamente ajudariam no controle da epidemia. Mas por que as tropas estariam interessadas em se firmar nesses territórios?

Serra Leoa é um grande explorador de diamantes em escala mundial. Os trabalhadores das minas de diamante teriam entrado em greve. Alguns importantes países estariam muito interessados nessa situação, exigindo a volta dos trabalhos, o que motivou o envio de tropas. Os militares estariam se assegurando de manter a ordem e apressar o retorno dos grevistas ao trabalho.

Outra razão para a ocupação militar na Nigéria seria o interesse ocidental no petróleo Nigeriano. Os defensores dessa teoria afirmam que mentiras já foram usadas antes pelos EUA para justificar a invasão de um país produtor de petróleo. O caso do Iraque é citado como exemplo, pois na época os norte americanos afirmavam que o Iraque era um grande produtor de armas químicas, mas as grande fábricas que o governo dos EUA afirmava que existiam nunca foram encontradas, não nas proporções que Tio Sam afirmava. Com a Nigéria estaria acontecendo o mesmo, só que como todos sabem o país africano não poderia ser acusado do mesmo crime que o Iraque estaria supostamente cometendo, então fabricou-se uma epidemia no país para justificar a lenta e progressiva ocupação militar. Os países próximos também foram atingidos pela epidemia, afinal de contas isso seria usado como o álibi dos responsáveis, caso alguma acusação ou teoria conspiratória aparecesse.

O contágio e morte de alguns médicos e voluntários que estão na África seria um efeito colateral das medidas de ocupação. Segundo a visão militar, "todas guerras possuem baixas", mas o certo é que as baixas do lado africano estão sendo terrivelmente maiores.


Fontes: Sede Insana e Verdade Mundial


Quando amanhecer, você já será um de nós...

Não deixe de dar uma conferida nas redes sociais do blog Noite Sinistra...

 Siga o Noite Sinistra no Twitter   Noite Sinistra no Facebook   Comunidade Noite Sinistra no Google +   Noite Sinistra no Tumblr

CONFIRA OUTRAS POSTAGENS DO BLOG NOITE SINISTRA



Links Relacionados:

VOLTAR PARA A PÁGINA INICIAL...

1 Comentários
Comentários
Um comentário:

Página do Facebook

Publicidade 1

Postagem em destaque

O misterioso perfil do Facebook de Karin Catherine Waldegrave