03/02/2014

Experiência de quase morte da cantora Pam Reynolds


Olá galera atormentada...Ontem foi ao ar aqui no blog Noite Sinistra uma postagem que falava de experiências de quase morte (clique aqui para recordar). Durante minhas pesquisas para compor o texto de ontem, acabei lendo sobre aquele que é apontado por muitos como o caso de EQM mais famoso dos últimos tempos, o caso da Cantora Pam Reynolds.

Pam Reynolds Lowery (1956 - 22 de maio de 2010), de Atlanta, Georgia, foi uma cantora e compositora americana. Em 1991, com a idade de 35 anos, ela afirma ter tido uma experiência de quase-morte (EQM) durante uma operação no cérebro realizada por Robert F. Spetzler no Instituto Neurológico Barrow, em Phoenix, Arizona. Sua experiência é um dos casos mais notáveis ​​e amplamente documentado em estudos de quase morte, por causa das circunstâncias incomuns em que isso aconteceu. Reynolds estava sob vigilância médica durante toda a operação. Durante parte da operação ela acabou não tendo atividade das ondas cerebrais e sem sangue fluindo em seu cérebro, o que a tornou clinicamente morta. Ela fez várias observações sobre o procedimento durante essa experiência, que mais tarde foram confirmadas pelo pessoal médico como surpreendentemente precisas.

Esta afirmação famosa de experiência de quase morte é considerada por muitos como prova da realidade da sobrevivência da consciência após a morte, e de uma vida após a morte. No entanto, os críticos têm vários pontos contra esta interpretação.

Diagnóstico e operação

Reynolds relatou a seu médico que ela estava com sintomas de tonturas, perda da fala e dificuldade em movimentar partes de seu corpo. O médico a encaminhou para um neurologista e uma tomografia revelou , mais tarde, que Reynolds tinha um grande aneurisma no cérebro, perto do tronco cerebral. Por causa da situação difícil do aneurisma, foi previsto que havia poucas chances de sobrevivência.

Como último recurso, o Dr. Robert F. Spetzler - um neurocirurgião altamente qualificado do Instituto Neurológico Barrow, em Phoenix, Arizona - decidiu que um procedimento cirúrgico único e raramente executado, conhecido como parada cardíaca hipotérmica. Durante este procedimento a temperatura do corpo de Pam foi baixada para 60 ° F (16 ° C), a respiração e os batimentos cardíacos parados, e o sangue drenado da cabeça. Seus olhos estavam fechados com fita adesiva e tampões pequenos com alto-falantes foram colocados em seus ouvidos. Esses alto-falantes emitiam cliques audíveis que foram utilizados para verificar a função do tronco cerebral para garantir que ela tinha um EEG pleno antes da operação prosseguir.

A operação foi um sucesso e Reynolds recuperou-se completamente.

Experiência de quase morte da cantora parte 1

Durante a operação, antes dela ser posta em paragem cardíaca, Reynolds disse ter ouvido um som como um natural 'D'. O som parecia puxá-la para fora de seu corpo. Ela relatou ficar flutuando na sala de cirurgia e assistindo os médicos realizando a operação. Sentia-se mais consciente do que o normal e sua visão era mais focada e mais clara do que a visão normal. Ela fez várias observações neste estado, por exemplo:

  • Ela notou o médico usando uma furadeira para abrir seu crânio. Surpreendeu-lhe que parecia uma escova de dentes elétrica, não como uma serra como ela esperava. Mais tarde é confirmado que a broca utilizada pelo médico foi semelhante em aparência a uma escova de dentes elétrica.
  • Ela ouviu uma voz feminina dizer: "Nós temos um problema. Suas artérias são muito pequenas." E mais tarde confirmou que os médicos primeiro tentaram ligar a máquina de circulação extracorpórea pela perna direita. Mas as artérias eram tão pequeno que eles mudaram para a perna esquerda.

Estes exemplos parecem mostrar que ela foi capaz de ver e ouvir durante a operação.

Experiência de quase morte da cantora parte 2

Em algum momento durante a operação, ela notou uma presença. Em seguida, ela foi puxada para uma luz. Quando ela se aproximou a luz se tornou muito brilhante. Ela começou a observar muitas pessoas em meio à luz, incluindo sua avó, um tio, outros parentes falecidos e pessoas desconhecidas para ela.

Quanto mais tempo ela estava lá, mais desfrutava. Mas em algum ponto do tempo ela se lembrou que tinha que voltar. Seu tio a trouxe de volta ao seu corpo. Quando ela olhou para seu corpo, ela não queria ir para dentro, seu tio tentou persuadi-la, mas ela continuava recusando. Então ela viu seu corpo fazendo um salto (causada pelo desfibrilação para iniciar seu coração). O tio deu-lhe um empurrão e ela estava de volta em seu corpo. Reynolds percebeu que a sensação de voltar para o seu corpo era como a de pular na água gelada.

Linha do tempo

A linha do tempo a seguir é baseado no livro Luz & Morte de Michael Sabom. Ele mostra que a operação total durou cerca de 7 horas e a paralisação demorou menos de uma hora. Os eventos na sala de cirurgia que Reynolds foi capaz de lembrar (o cirurgião usando uma furadeira em seu crânio e uma voz feminina dizendo que suas veias eram muito pequenas) aconteceram antes da paralisação. Toda a parte 1 do aconteceu antes da paralisação. A parte 2 aconteceu durante e/ou após a paralisação.

07:15 - Reynolds é trazida para a sala de cirurgia, ainda acordada.

Reynolds recebe tiopental (também chamado pentotal embora o livro realmente diga penthathol) através de aplicação intravenosa para anestesia geral.

Corpo de Reynolds é levantado para a mesa de operação. Seus olhos são vendados. Pequenos alto-falantes são inseridos em seus ouvidos.

Um termistor é colocado profundamente em seu esôfago para medir a temperatura corporal. Eletrodos de EEG são colocados em sua cabeça para gravar a atividade do cortex cerebral.

08:40 - O corpo inteiro de Reynolds, com exceção de sua cabeça e virilha, é coberto com cortinas estéreis.

Spetzler começa a cirurgia, abrindo o couro cabeludo e, em seguida, esculpindo uma seção do crânio com um serra óssea Midas Rex.


A EQM de Reynolds começa. Ela ouve um som de D's. Parece que o som a puxa para fora de seu corpo. Ela olha para baixo e vê várias coisas na sala de cirurgia. Ela se sente muito consciente e sua visão é mais focado e mais clara do que o normal. Ela percebe que sua cabeça é raspada de outra maneira do que ela esperava. Ela vê o cortador ósseo. Parecia que uma escova de dentes elétrica, tem um dente ou um sulco na parte superior onde a serra se conecta ao punho e tem lâminas intercambiáveis ​​que são colocadas no que parece ser um caso de chave soquete. Ela ouve a serra esquisita, mas não vê onde ela está sendo usado. Ela cantarola em um tom relativamente alto e, de repente, vai 'Brrrrrrrr'. Spetzler remove a aba de osso do crânio. O microscópio é oscilado em posição sobre a cabeça de Reynolds. Ao mesmo tempo, uma cirurgiã-cardíaca localiza a artéria femoral e da veia na virilha direita Reynolds. Estas acabam por serem pequenas demais para lidar com o grande fluxo de sangue a partir da máquina cardio-pulmonar. Assim, a artéria e veia femoral foram preparados para serem utilizadas.

Reynolds ouve uma voz feminina dizendo que suas veias e artérias são muito pequenas.

Spetzler inspecciona o aneurisma com o microscópio de operação.

Ele decide que uma parada cardio-hipotérmica (congelamento) é necessária para concluir a operação.

10:50 - A máquina cardio-pulmonar é conectada ao corpo de Reynolds. Seu sangue é resfriado.

11:00 - A temperatura de Reynolds é de cerca de 75 ° F (24 ° C). O monitor cardíaco (ECG) indica mau funcionamento cardíaco.

11:05 - Reynolds recebe uma dose maciça de cloreto de potássio. A parada cardíaca é completa. Suas ondas cerebrais se tornam planas. O tronco cerebral responde mais e mais fracamente para os cliques dos alto-falantes de ouvido.

11:20 - A temperatura de Reynolds é de cerca de 60 ° F (16 ° C). O tronco cerebral já não responde aos cliques dos alto-falantes de ouvido. O cérebro está desligado.

11:25 - A máquina cardio-pulmonar é desconectada do corpo de Reynolds. O sangue é drenado do corpo de Reynolds.

Reynolds se sente como sendo puxada, mas não contra a vontade dela. Está indo por sua própria vontade, porque ela quer ir. Ela se sente como indo através de um túnel de vórtice. Ela vai em uma luz brilhante. Ela começa a discernir diversas figuras, incluindo uma avó e um tio. Eles impedem-na de ir mais longe, porque ela não seria capaz de voltar para seu corpo.

O aneurisma está esvaziado e Spetzler o remove. A máquina cardio-pulmonar é ligada novamente aquecendo e bombando sangue no corpo de Reynolds.

O tronco cerebral começa a responder novamente aos cliques dos alto-falantes de ouvido.

Além disso, as ondas de atividade elétrica de seus centros cerebrais superiores começam a aparecer na tela do EEG.

Os parentes falecidos parecem estar alimentando Reynolds, e não com alimentos, mas com algo brilhante. Ela se sente como sendo alimentada e fortalecida.

12:00 - Um problema surge e o monitor cardíaco começa a registar a fibrilação ventricular. Os esforços para corrigir isso com aquecimento adicional não têm sucesso. Duas pás do desfibrilador são colocadas sobre o peito de Reynolds e seu coração é chocado duas vezes. Isso resolve o problema.

O Tio de Reynolds a leva de volta até o final do túnel. Ela vê seu corpo, mas não quer ir para dentro. Ela parece morta e ela está com medo dele. Então seu tio a empurra. O túnel parece empurra-la e seu corpo parece puxa-la. Quando ela volta para seu corpo se sente como mergulhando em uma piscina de água gelada.

12:32 - A temperatura do corpo de Reynolds é de cerca de 90 ° F (32 ° C) e a máquina cardio-pulmonar é desligada.

Seu corpo é desconectado dos aparelhos.

Análise dos críticos

A EQM de Pam Reynolds, às vezes, é vista como evidência da hipótese da vida após a morte. Um crítico, anestesista e ateu GM Woerlee, sugeriu que o caso de Pam Reynolds foi o resultado de efeitos colaterais do procedimento médico e medicamentos administrados. Ele afirma:

“Tudo isso significa que a experiência de Pam Reynolds não era um produto de uma alma imaterial, ou mente imaterial, que pode existir para a eternidade separada de seu corpo. Em vez disso, sua experiência foi um produto de drogas anestésicas, interpretações anormais de sensações corporais, juntamente com uma percepção pessoal de morte iminente, tudo fazendo seu corpo a funcionar de tal forma que ela passou por uma série de experiências verdadeiramente maravilhosas.”

Woerlee tem enfrentado críticas incondicionais de sua exegese do caso Reynolds Pam, como relatado pelo Dr. Michael Sabom. Em defesa de sua exegese crítica, Woerlee escreve:

“Muito tem sido escrito sobre a história aparentemente surpreendente da experiência de quase-morte (EQM) de Pam Reynolds desde que o Dr. Michael Sabom publicou pela primeira vez essa história no capítulo 3 de seu livro Luz & Morte em 1998. O enredo desta história na Luz & Morte é a fonte primária e mais precisa de informações sobre esta experiência. Dr. Sabom realizou um bom trabalho de escrever uma história de espanto popular, enquanto, ao mesmo tempo, oferecer um conto razoavelmente bem equilibrado e preciso da operação e EQM sofrido por Pam Reynolds. Infelizmente, esta precisão foi totalmente ignorada por muitos escritores populares e crentes fervorosos no dualismo. Essas pessoas parecem não ter lido o relato original em tudo, preferindo basear as suas histórias e as respostas ao argumento fundamentado com o que só pode ser chamado de "histórias de admirar" tendo pouca semelhança com o relato realmente muito bom de Luz & Morte, embora escrito de um modo popular.”

Reynolds morreu anos depois dessa estranha experiência de quase morte, vítima de insuficiência cardíaca, no sábado de 22 de maio 2010 no Emory University Hospital, em Atlanta, Geórgia.


Fonte: O Submundo

Quando amanhecer, você já será um de nós...

Não deixe de dar uma conferida nas redes sociais do blog Noite Sinistra...

 Siga o Noite Sinistra no Twitter   Noite Sinistra no Facebook   Comunidade Noite Sinistra no Google +   Noite Sinistra no Tumblr

Links Relacionados:
Experiencia de quase Morte.
A Máfia italiana e o ácido sulfúrico.
Torre de Hércules: O Farol do "Fim do Mundo".
Crianças treinadas para o fim do mundo.
As garrafas das Bruxas: A proteção contra o mal no século XVII.
Os Anasazis: O povo perdido da América do Norte.
Antiga metrópole é encontrada na África.
Sambaquis, as milenares pirâmides do Brasil.
A história por trás das execuções medievais.
Seriam as ruínas de Natividade da Serra - SP, restos de uma pirâmide?
Suposta cidade dos gigantes pode ter sido descoberta no Equador.
As pirâmides ocultas da China.
A Pegada de Meister.
Presença egípcia no Grand Canyon.
As 35 pequenas pirâmides do Sudão.
As misteriosas inscrições da pedra de Ingá
Suposto altar Inca descoberto em Rondônia.
A pedra de Dighton
A pedra da CEE, intriga arqueólogos gaúchos.
A cidade perdida de Paititi
Fuente Magna, a pedra de Rosetta da América do Sul.
Os Anunnakis.
Os Sumérios, e os Deuses vindos do céu.
O farol deserto: Mistério nas ilhas Flannan em 1900.
2 Comentários
Comentários
2 comentários:
  1. Eu gosto muito deste assunto sempre pesquiso fatos de EQM, e acredito sim numa vida após a morte... Parabéns parceiro belo post.

    ResponderExcluir

Página do Facebook

Publicidade 1

Noite Sinistra no YouTube

Postagem em destaque

O misterioso perfil do Facebook de Karin Catherine Waldegrave