26/11/2013

Neurocientista analisa o próprio cérebro e descobre que é psicopata


O premiado neurocientista James Fallon estava sentado em seu escritório, em outubro de 2005, vasculhando exames de pessoas com graves distúrbios psicológicos quando se deparou com a imagem de um cérebro de psicopata - o seu. Fallon, um professor de psiquiatria e comportamento humano da Universidade da Califórnia em Irvine, nos EUA, viveu os 58 anos de sua vida pensando ser um homem bem ajustado, com uma carreira admirável e uma família amorosa. Ele foi criado por ótimos pais e casou-se com seu primeiro amor, Diane, quem conheceu aos 12 anos e teve três filhos.

Mas foi em uma tarde, no outono de 2005, quando Fallon descobriu uma verdade chocante sobre si mesmo que iria levá-lo a questionar sua própria identidade. Naquele dia, o neurocientista estava explorando milhares de imagens de cérebros como parte de um projeto de pesquisa sobre assassinos em série.

'Eu estava olhando para muitas fotos, imagens dos cérebros de assassinos misturados com esquizofrênicos, depressivos e até outros normais", disse à revista Smithsonian. Coincidentemente, na mesma época, Fallon também estava envolvido em um estudo sobre Alzheimer e realizou exames no próprio cérebros e de outros membros de sua família.

Revisando as imagens do projeto sobre Alzheimer, ele notou a imagem de um cérebro que revelava baixa atividade em partes responsáveis pela empatia, moral e auto-contrle, características básicas para o comportamento criminal. Curioso sobre a identidade do paciente, o especialista olhou o código da imagem e descobriu que se tratava do próprio exame.

Ao invés de esconder a notícia desconcertante, o professor decidiu tornar o seu diagnóstico público. Após dar entrevistas sobre o seu caso, Fallons escreveu um livro chamado "O Psicopata no Interior" , onde procura explicar como um pai feliz no casamento também pode ser um psicopata com as mesmas características genéticas de assassinatos em massa.


"Eu nunca matei ninguém ou estuprei alguém", disse. "Então, a primeira coisa que pensei foi que talvez a minha hipótese estava errada, e que essas áreas do cérebro não são reflexo de psicopatia ou comportamento assassino". Fallon, em seguida, foi submetido a uma bateria de testes genéticos, que mostraram que ele tinha uma predisposição para agressão, violência e a baixa empatia. O que o distingue de um Ted Bundy, no entanto, é que ele não age sobre suas tendências agressivas.

Em retrospecto, a revelação de que Fallon tinha muito em comum com maníacos homicidas não veio como uma completa surpresa: o professor de 58 anos descobriu ter ao menos 6 assassinos na família do pai. Um homem foi enforcado em 1673 por matar a mãe. Outro parente de Fallon é Lizzie Borden, que foi levado a julgamento, mas absolvido, dos assassinatos de seu pai e a madrasta em 1892.

Fallon acredita que, graças à sua educação e apoio de sua família , ele tem sido capaz de canalizar e apertar para baixo suas tendências psicopatas. "Eu sou irritantemente competitivo. Eu não deixo meus netos ganharem jogos. Eu sou uma espécie de um escroto, e eu faço brincadeiras estúpidas para irritar as pessoas", admitiu. "Mas a minha agressão é sublimada. Eu prefiro bater em alguém em uma discussão do que vencê-lo na briga física."

Segundo a teoria de Fallon, sua capacidade de não agir com sua psicopatia está enraizada no amor incondicional que seus pais lhe deram. "Eu tive uma infância encantada, nunca foi abusado. Ninguém fez nada de ruim o suficiente para me transformar em um assassino ", disse ele. "Isso mostra que os genes não são uma sentença de prisão."

Fonte: IG

Quando amanhecer, você já será um de nós...

Não deixe de dar uma conferida nas redes sociais do blog Noite Sinistra...

 Siga o Noite Sinistra no Twitter   Noite Sinistra no Facebook   Comunidade Noite Sinistra no Google +   Noite Sinistra no Tumblr

Links Relacionados:
Jovem de 25 anos diz que vai se casar com Charles Manson.
Integrante da banda Yellow Dogs mata três colegas e se suicida
Ensaio fotográfico de noivado ao estilo Sexta Feira 13.
Decoração de Halloween choca vizinhança nos EUA.
Mulher comenta notícia sobre seu próprio desaparecimento.
Apaixonado por Bonecas.
Ataque de vespas gigantes aterroriza chineses.
Mulher em coma se casa na China, antes dos seus aparelhos serem desligados.
Cueva de las Manos.
Restos mortais de santos e mártires cobertos de jóias.
Método de Execução: Morte por mil cortes.
A bela adormecida de Londrina.
Elmer McCurdy: A múmia que as pessoas pensavam ser um boneco.
Torre na Lua.
Estranha criatura encontrada no mar do Golfo Pérsico.
O anel de Silvianus e a lenda que inspirou a saga Senhor dos Anéis e o Hobbit.
A lenda da carruagem de Ana Jansen.
O significado do Olho de Hórus.
As profecias de Mitar Tarabich.
Pesquisadores afirmam que o manuscrito de Voynich possui uma mensagem genuína.
Descobertos túneis que vão da Escócia até a Turquia.

2 Comentários
Comentários
2 comentários:
  1. Algum tempo atrás eu acharia bizarro, mas hoje em dia não acho mais... Bom seria se todo psicopata fosse controlado, mas a maioria não é! A trajetória de toda uma vida conta muito par o adulto que se tornará, afinal os psicopatas já mostram sua doença desde criança... basta ver ao redor e ver a marginalidade cada vez mais agresiva de crianças e adolescentes...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse caso demonstra a grande responsabilidade da sociedade em relação a esse assunto, afinal esse Neurocientista apesar de possuir características psicopáticas não sofreu danos quando criança, como a gente vê em muitos texto sobre serial killers e tals, isso as vezes pode ser determinante para uma pessoa assumir um comportamento violento ou não...

      Grato pela participação Bruna...

      Excluir

Página do Facebook

Publicidade 1

Noite Sinistra no YouTube

Postagem em destaque

O misterioso perfil do Facebook de Karin Catherine Waldegrave