24/03/2014

O mistério de The Dark Side of the Rainbow


Olá amigos e amigas...O texto abaixo fala de um assunto que muitos de vocês certamente já ouviram falar, trata-se da suposta sincronia entre o CD The Dark Side of the Moon, do Pink Floyd, com o filme O Mágico de Oz de 1939, ao que ficou conhecido como The Dark Side of the Rainbow, ou O Lado Negro do Arco Iris. Até bem pouco tempo atrás era bem fácil encontrar vídeos mostrando a sincronia no You Tube, mas de uns anos para cá a rede de vídeo passou a caçar esses vídeo, acusando o mesmo de ferir direitos autorais da gravadora responsável pelo CD. Eu consegui cinco vídeos sequenciais e legendados, que mostram todo o suposto sincronismo e, através das legendas, explicam pontualmente onde haveriam elementos que provam a sincronia. Convido todos a darem uma conferida nesse importante material.

The Dark Side of the Moon

The Dark Side of the Moon é o oitavo álbum de estúdio da banda britânica de rock progressivo Pink Floyd, lançado em 24 de março de 1973, portanto a exatos 41 anos. O álbum foi um enorme sucesso na época e até hoje é considerado um dos álbuns mais importantes do Rock. Os temas explorados na obra são variados e pessoais, incluindo cobiça, doença mental e envelhecimento, inspirados principalmente pela saída de Syd Barrett, integrante que deixou o grupo em 1968 depois que sua saúde mental se deteriorou.

Capa do álbum

A lendária sincronia com o Mágico de Oz

O Mágico de Oz foi lançado em 1939, e certamente é um dos filmes mais emblemáticos do cinema mundial, sendo considerado por muito como um Cult. O filme mistura cenas em preto e branco (enquanto Dorothy está em Kansas) com cenas coloridas (quando a protagonista da história já se encontra em na terra de Oz).

A lenda que relaciona essas duas impressionantes obras consiste no fato de que há diversos momentos em que o disco corresponde ao filme, seja por parte das letras das músicas ou pela sincronia áudio-visual.

Enquanto a exibição do filme vai rolando junto ao disco, acontece um verdadeiro festival de efeitos minuciosamente sincronizados, dando a impressão de que o álbum da banda inglesa foi totalmente gravado de acordo com o filme.


Algumas pessoas afirmam que a lenda foi revelada por pessoas que trabalhavam para o Pink Floyd, atuando em serviços de bastidores. Outros afirmam que que foram membros da equipe técnica do estúdio de produção do álbum The Dark Side of the Moon. Porém não podemos afirmar com certeza qual a vertende real dessa história.

Os membros do Pink Floyd insistem que o fenômeno é pura coincidência. Em uma entrevista para o 25º aniversário do disco, o guitarrista e vocalista David Gilmour negou que o disco foi escrito intencionalmente para ser sincronizado com Oz, dizendo que “Algum cara com muito tempo livre teve essa idéia de combinar O Mágico de Oz com Dark Side of the Moon“.

Real ou imaginado, o efeito é geralmente criado deixando pausado um CD do álbum logo no início, iniciando o DVD ou a fita com o filme em uma TV no mute, e soltando o "pause" do CD quando o leão da MGM rugir pela terceira vez. (Note que em algumas versões do filme o leão é colorido. O leão em preto-e-branco é o correto para a sincronia). Uma minoria de devotos afirmam que o CD deve ser reproduzido logo no primeiro rugido produz uma sincronia mais perfeita.

Algumas pessoas afirmam que se o CD for colocado em loop, o que faria com que a mídia fosse reproduzida duas vezes e meia, até que o filme chegasse ao final, podem ser observadas outras sincronias, mas as mais importantes sincronias se encontram na primeira vez que os cd é reproduzido.


Abaixo os amigos e amigas podem conferir a descrição dos elementos que comprovariam a sincronia, mas volto a recomendar que vocês assistam aos vídeos no final desta postagem, pois como eles contam com legendas que marcam exatamente os ponto de sincronia, se torna mais fácil a compreensão desse elementos:

  • Quando Dorothy cai de cima do cercado em que está se equilibrando, inicia-se a música "On the run" indicando o momento de suspense. Na sequência a avó de Dorothy aparece conversando, e neste momento é possível ouvir uma voz feminina de fundo na mesma música.
  • Quando Dorothy está na fazenda, em uma das partes em que ela canta no filme e ela olha para o alto, no áudio surge barulho de avião, barulho esse que ela parece acompanhar no céu.
  • Quando uma vizinha malvada, Almira Gulch, está chegando de bicicleta para raptar o cachorro de Dorothy, começam a tocar os sinos da música "Time", análogo aos toques de campainhas de bicicletas.
  • Em seguida a mulher estaciona a bicicleta no cercado da casa de Dorothy e, enquanto está parada do no portão, o avô de Dorothy bate com o portão por trás da vizinha. Quando o álbum e o filme estão exatamente sincronizados, nesta batida do portão é tocada a primeira nota da música "Time".
  • Quando é cantada a frase "Home, home again" (Casa, casa novamente) do reprise de "Breathe", o cachorro de Dorothy entra pela janela do seu quarto, após fugir da mulher má.
  • A música "The great gig in the sky" é tocada no momento de suspense do filme, onde um tornado aproxima-se à casa. É possível perceber os três tempos da música em sincronia com as cenas de suspense, as cenas de sonho/desmaio e com as cenas de calmaria.
  • O som da caixa registradora no princípio de “Money” (dinheiro) aparece exatamente quando Dorothy pisa pela primeira vez a estrada dos tijolos amarelos; que é também o momento em que o filme passa de preto e branco para cores. Outra referência é a aparição da fada dourada;
  • No momento em que a bruxa do Oeste aparece, é tocada a palavra "black" (preto);
  • A cena em que Dorothy encontra o espantalho (personagem que alegava não ter cérebro) é acompanhada pela música "Brain Damage" (dano cerebral), e quando a letra da música começa a tocar: "the lunatic is in my head…" (o lunático está na minha cabeça), o espantalho inicia a dançar freneticamente como um lunático;
  • O bater de coração no fim do álbum ocorre quando Dorothy tenta ouvir o coração do homem de lata;
Os trechos abaixo mostram outras sincronias, se o álbum da banda inglesa for tocado em loop, para que seja continuamente reproduzido até que o filme termine.
  • No momento em que a bruxa do oeste lança uma bola de fogo contra Dorothy e seus companheiros, a música grita "run!" (corra);
  • No momento que Dorothy encontra Oz, entra a música "Us and Them", soando Us como Oz bem quando aparece a 1a imagem de Oz;
  • Várias frases das letras contidas nas músicas coincidem com os mesmos atos sendo executados pelos atores no mesmo momento;
  • A duração da maioria das músicas coincide precisamente com a duração das cenas no filme.

O Enigma de PULSE: a revelação do mistério ou somente uma provocação?

O disco ao vivo P.U.L.S.E, show gravado pelo Pink Floyd em 1994 e lançado no ano seguinte, contou com a execução de The Dark Side of The Moon na íntegra e a banda fez questão de referenciar a sincronia entre o filme e o álbum em dois momentos:


A letra falada de Great Gig In The Sky, que originalmente é ”I never said I was frightened of dying” (“Eu nunca disse que tinha medo de morrer”), mudou para “I never said I was frightened of Dorothy” (“Eu nunca disse que tinha medo de Dorothy”) eu não notei diferença na letra, mas há quem diga que mudou;

A capa do álbum, um imenso globo ocular, traz imagens subliminares que somente enxergando bem de perto podemos perceber, são elas:
  • Uma garota com sapatos vermelhos (em alusão à personagem principal do filme);
  • A silhueta de um homem de lata;
  • Uma bicicleta muito parecida com a que Almira Gulch usava no filme.

Isso tudo só reforçou a teoria de que o efeito havia sido planejado pela banda, mas também pode apenas ter sido uma provocação da gravadora Sony para se aproveitar da discussão, que naquele momento estava no auge.

Abaixo vocês podem conferir o vídeo com as sincronias.


Primeira Parte:


Segunda Parte:


Terceira Parte:


Quarta Parte:


Quinta Parte:


Fontes: Wikipédia e Cadê Meu Whiskey

Quando amanhecer, você já será um de nós...

16 Comentários
Comentários
16 comentários:
  1. O filme ficaria perfeito com essa trilha sonora...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sabe que, anos atrás, após eu ver esses vídeos, com a música e sincronia, me interessei por assistir ao filme...rsrsrsr

      O filme parece um vídeo clipe gigante...

      Excluir
  2. Parabéns. Já havia visto comentários sobre estas coincidências antes.
    Coincidência my ass, duvido que não tenham gravado o álbum assistindo ao filme.
    Dark Side of the Moon é discoteca básica, foi o primeiro CD que compre nos anos 80.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pensa que loco os caras chegarem para começar as gravações e simplesmente lançarem essa ideia...vamos fazer o cd inteiro sincronizado com um filme...os produtores devem ter ido a loucura...rsrsrsr

      Excluir
  3. rapaz.... sempre ouvir falar q esse album e foda. e na moral o filme ficaria melhor com essa trilha sonora. agradeço ao site pq duas musicas q eu era doida pra descobrir quem cantava eu descobri aqui. e confirmo, antes do amanhecer, sou um de vcs. Beijo no pescoço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é Edna...eu já era fã do filme antes de saber dessa história...e admito que o som do Pink Floyd deu um ar todo especial a trama...rsrsr.

      Agradeço a participação...

      Excluir
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
  4. Já havia assistido alguns vídeos com teorias sinistras a respeito desse filme (ex.: símbolos maçônicos e iluminatis na casa do sr Marvel e Oz seria a representação do satanista Aliester Crowley), além de muitas outras. Mas achei coincidências de mais. Imagine grande trabalho músico-artístico envolvido. E pr q? É d pirar.
    Sempre achei " The dark side of the moon" um dos melhores (se não, o melho) álbum de rock de todos os tempos. Agora ele tem um ingredient . A mais.
    Parabéns pl matéria.

    ResponderExcluir
  5. Já havia assistido alguns vídeos com teorias sinistras a respeito desse filme (ex.: símbolos maçônicos e iluminatis na casa do sr Marvel e Oz seria a representação do satanista Aliester Crowley), além de muitas outras. Mas achei coincidências de mais. Imagine grande trabalho músico-artístico envolvido. E pr q? É d pirar.
    Sempre achei " The dark side of the moon" um dos melhores (se não, o melho) álbum de rock de todos os tempos. Agora ele tem um ingredient . A mais.
    Parabéns pl matéria.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara...não sei se esse é o meu álbum favorito de rock, mas seguramente é um dos mais influentes da história, e um dos que mais aprecio...Se essa tal sincronia chegou mesmo a ter sido planejada pelo Pink Floyd, essa foi a maior piração dos caras...

      Excluir
  6. No exato momento da letra "and every one you fight" Dorothy meche o braço do Homem de Lata que contém o machado, nem precisa comentar também...

    ResponderExcluir
  7. Quanto bobagem! Como disse o Gilmour, neguim tinha todo o tempo livre para pensar nessas besteiras.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bobagem nada. Isso fez parte do pacto do silêncio entre eles para nunca admitirem. Pink Floyd não é desse planeta e serão eternos.

      Excluir
  8. No final do filme Doroty volta pra casa com a ajuda da fada/princesa, e ele canta "home, home again" da música Time, essa parte é crucial pra matar a charada de vez !

    Pink Floyd é Sensacional !

    ResponderExcluir

Página do Facebook

Publicidade 1

Noite Sinistra no YouTube

Postagem em destaque

O misterioso perfil do Facebook de Karin Catherine Waldegrave