23/08/2013

Özgür Dengiz, o canibal de Ancara


Olá amigos e amigas, hoje voltamos a falar de um sujeito que além de cometer crimes contra a vida de outros seres humanos, praticava canibalismo. Falaremos de Özgür Dengiz (nascido em 1980) é um assassino e canibal nascido na Turquia. Capturado em 14 de setembro de 2007, em Ancara, depois de assassinar um homem, e posteriormente canibalizar o mesmo. Ele admitiu ter matado dois homens, e de ter cometido canibalismo em um dos crimes. Por esse episódio ele recebei o apelido de "Cannibal de Ancara".

Primeiros anos

Özgür Dengiz é filho de um oficial veterano da invasão turca ao Chipre e Sultan, com uma costureira. Ele vivia uma situação não muito amistosa com seus pais, e muitas vezes fugiu de casa. Ele não seus estudos depois de terminar o ensino médio.

Quando ele tinha 17 anos, ele matou um de seus amigos durante uma discussão, por esse crime ele foi condenado a 10 anos de prisão. Ele cumpriu três anos da pena antes de ser posto em liberdade condicional.

Em seguida,  Dengiz se alistou no exército, por insistência de seu pai, que acreditava que a disciplina militar pudesse "concertar" o filho. Durante o serviço militar, ele foi hospitalizado várias vezes por problemas psicológicos.

Depois de completar seu serviço, ele voltou a Ancara. Algumas fontes dizem que sua mãe abriu um pequeno negócio com ele, para ver se Dengiz se acomodasse, o que acabou não acontecendo.

Crimes

Em 05 de junho de 2007 Dengiz matou Sedat Erzurumlu, um engenheiro de computação, que lhe irritou, zombando dele dizendo que Dengiz não teria condições de comprar o laptop que estava olhando na loja de Sedat. Dengiz acabou roubando dois laptops da loja, e levou também o celular de sua vítima com ele. Mais tarde, Dengiz tentou vender um dos laptops, mas foi enganado pelo receptador, que o ameaçou de denuncia a polícia, o que fez com que Dengiz entregasse o labtop sem receber pelo mesmo, comprando o silêncio do "comprador". O outro aparelho foi mantido em casa.

Em 9 de agosto de 2007, ele conheceu Abbas İnan no lixão público em Mamak, Ancara, e atirou oito vezes contra a vítima, atingindo o mesmo na cabeça e no estômago. Apesar do número de disparos İnan sobreviveu.

Em 12 de setembro de 2007, Dengiz se reuniu com Cafer Er, um trabalhador municipal de 55 anos, e depois de uma breve conversa Dengiz acabou assassinando o mesmo, atingindo Er na cabeça duas vezes por trás, com disparos de arma de fogo. Ele arrastou o corpo da vítima e colocou o mesmo em seu carro. Então, ele removeu a pele do cadáver, e devorou algumas porções de carne cura mesmo, guardando em uma bolsa outras porções de carne que ele levaria para casa. Ele enrolou o corpo em um pano e colocou no porta malas. Ele abandonou o cadáver no lixão de Mamak e voltou para o apartamento que dividia com seus pais. Dengiz deu um pedaço de carne aos cães de rua que ficavam nos arredores de onde morava. O restante foi guardado na geladeira.

Captura

Cafer Er ficou por vários dias desaparecido até que seu corpo foi descoberto em Mamak. Numa análise mais aprofundada, tornou-se evidente que ele tinha sido assassinado, e seu corpo mutilado com grandes pedaços de carne de partes moles do corpo faltando. Investigações posteriores revelaram que Er tinha sido visto pela última vez discutindo com um jovem no parque. A polícia passou a procurar o jovem.

A polícia logo chegou a Dengiz com a ajuda de gravações de chamadas feitas por Dengiz com o celular que ele havia roubado de sua segunda vítima, o qual ele perdeu na última cena do crime. Eles realizaram uma busca em seu apartamento procurando por provas, e descobriram carne fresca em um saco plástico na geladeira. Os policiais recolheram amostras para análise, que posteriormente levou a identificação de um braço humano, nádega e coxa.

Interrogatório e prisão

Dengiz não mostrou nenhum remorso por seus crimes, dizendo que ele foi irresistivelmente atraído para comer carne humana. A única emoção que exibida por Dengiz, foram os ataques de riso que as vezes o acometiam durante os interrogatórios. Ele disse que caso não tivesse sido capturado, certamente continuaria matando e que voltaria a praticar canibalismo.

Depois de fazer sua declaração, Dengiz foi preso e aguardada julgamento.

Canibalismo no Islã

Os crimes de Dengiz causaram clamor público na Turquia, onde o canibalismo é raramente reconhecido (ou, de fato, mencionado) por causa de fortes tabus culturais.

De acordo com Fazile Zahir, um cipriota jornalista turco:

"O canibalismo ocorreu em casos de matanças em países cristãos, mas os tabus do Islã contra o ato de comer a carne humana, uma vez que o homem é sagrado (como ele é a imagem de Deus) parecem ter sido esquecidos nesse caso. Dengiz parece ser o primeiro homem-comedor da Turquia e, talvez, um dos seus poucos psicopatas ".


Fonte: Murderpedia

Quando amanhecer, você já será um de nós...

Não deixe de dar uma conferida nas redes sociais do blog Noite Sinistra...

 Siga o Noite Sinistra no Twitter   Noite Sinistra no Facebook   Comunidade Noite Sinistra no Google +   Noite Sinistra no Tumblr
Links Relacionados:
0 Comentários
Comentários
Nenhum comentário :

Página do Facebook

Publicidade 1

Noite Sinistra no YouTube

Postagem em destaque

O misterioso perfil do Facebook de Karin Catherine Waldegrave